Como vender comida pela internet: o que você precisa saber antes de começar

Por: Victoria Salemi
Como vender comida pela internet: o que você precisa saber antes de começar

Aqui você encontra:

Seja por quanto as vendas online são práticas ou pela necessidade de comercializar produtos à distância, mais e mais negócios têm enxergado o e-commerce como uma oportunidade. Para produtos como roupas e eletrônicos, pode parecer tudo simples, mas como vender comida pela internet?

Em primeiro lugar, é importante saber que é possível, sim, comercializar alimentos pela internet. Existem algumas opções diferentes para fazer isso e certas particularidades que a venda de comida exige.

Por isso, ao longo deste artigo, vamos conhecer algumas das principais dicas sobre comidas para vender pela internet. Está pronto?

Por que ter uma loja virtual?

Quando pensamos em vender comida pela internet, logo associamos a ideia a aplicativos como iFood e Rappi. Todavia, essas soluções acabam sendo mais voltadas para restaurantes e pratos cujo consumo será imediato e envolvem taxas para o vendedor.

Entretanto, as comidas para vender não se limitam a essas opções. Existe um universo que engloba salgados, bolos, hortifrutis, comidas congeladas e muito mais.

Nesse cenário, a alternativa de criar uma loja virtual pode abarcar todos esses tipos de negócio, além de deixar toda a estratégia da empresa na mão do lojista. Isso significa que o empreendedor terá total controle sobre as diretrizes de seu negócio, sem precisar se submeter a regras de outros.

Vantagens em vender alimentos online

Confira algumas das vantagens de ter o seu próprio e-commerce para vender alimentos:

  • Deixar sua marca em evidência, facilitando a construção de um posicionamento;
  • Não necessidade de seguir políticas de outras empresas que impactem diretamente seu negócio, como altas taxas de aplicativos, por exemplo;
  • Exposição dos produtos da forma como preferir;
  • Escolha dos meios de envio que quiser e integração automática ao e-commerce;
  • Opção pelos meios de pagamento que melhor se enquadrarem às suas necessidades.

Além disso, se você já tem um estabelecimento offline, ter seu e-commerce pode agregar à sua estratégia, especialmente em momentos de crise, como é o caso da pandemia de coronavírus.

Com a sua própria loja virtual, será possível continuar vendendo mesmo em um momento em que as pessoas não podem sair de casa.

Saiba mais: 20 vantagens do e-commerce para quem já tem loja física

Um caso de migração para o online

Paulo Coutinho, fundador da HortQuality, empresa de Recife (PE), foi um dos empreendedores que tiveram que se adaptar ao momento de crise.

Agora com um hortifruti online, a empresa física começou a funcionar em janeiro de 2020: “Nosso negócio é especializado em processados, tubérculos e atendia escolas e empresas de cozinha. Mas, então, veio o coronavírus”, conta o empreendedor.

Nesse cenário, Paulo viu seus contratos começarem a ser cancelados. “Foi aí que percebi que meu CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) permitia o comércio de produtos de hortifruti”, explica.

Assim, em meados de março, ele decidiu abrir sua loja virtual. “A ideia era mostrar meus produtos online, como uma prateleira mesmo, para realizar as vendas pelo WhatsApp”, relata Paulo. “Mas agora já estou começando a gerar alguns pedidos pelo site”.

Para as entregas, ele conta com um carro da empresa. “Levamos as encomendas a toda a região metropolitana de Recife. Colocamos a opção do frete como personalizado e fazemos nós mesmos as entregas”, explica o fundador da HortQuality.

Se, assim como o Paulo Coutinho, você também pensa em criar uma loja virtual, confira nosso guia:

Com um e-commerce, inclusive para aqueles que vendem em lojas físicas, pelo WhatsApp ou pelas redes sociais, é possível controlar todas as vendas no mesmo lugar, facilitando a organização. Basta adicionar as encomendas que não foram feitas pelo site ao seu painel de vendas, ao criar um pedido manual.

A seguir, vamos entender particularidades sobre como vender comida em uma loja virtual, sobretudo em relação à apresentação dos produtos, aos meios de envio e de pagamento.

Como apresentar meus produtos no e-commerce?

Dependendo do tipo de comida que você for vender, a apresentação da mercadoria deve ser feita de forma diferente. Antes de se aprofundar nisso, contudo, existem boas práticas em comum para qualquer e-commerce, como tirar boas fotos dos produtos para subir no site e escrever descrições completas a respeito de cada item.

Ao vender bolos, doces e salgados

No caso de bolos, doces e salgados, especifique quais são os ingredientes, se há glúten, lactose e outros alérgenos comuns. Além disso, informe quantas porções aquele alimento rende e outras características que podem ajudar seu cliente a tomar a decisão, como sabores, texturas e informações nutricionais.

Ao vender frutas, legumes e verduras

Caso você venda artigos de hortifruti, pode avaliar quais produtos você vai cadastrar para serem selecionados por peso e quais, por unidade. No caso do peso, você pode colocar opções de embalagens de 100g, 500g e 1kg, por exemplo.

Dica da descrição de um tomate na loja virtual HortQuality, sobre como vender comida pela internet

Na descrição, uma boa ideia é informar quanto pesa, em média, uma unidade daquela fruta ou legume. Assim, o cliente tem mais noção do quanto está adquirindo, mesmo sem poder pegar o produto em mãos.

Por fim, seja sua comida para vender um doce, um salgado, frutas ou verduras, é importante cadastrar nas informações o peso do próprio produto. Para as dimensões, todavia, utilize as da embalagem usada para envio. Isso porque essa informação vai ser utilizada no momento do frete, como veremos a seguir.

Meios de envio de alimentos

Quando você cria uma loja virtual por meio de uma plataforma de e-commerce, uma das vantagens é a de poder integrar meios de envio diretamente ao seu site.

Essa integração vai permitir o cálculo direto do frete. Serão utilizadas informações sobre a compra do cliente, como peso e dimensões da encomenda — daí a importância de cadastrar o tamanho da embalagem, como citamos no tópico anterior —, endereço da loja e do comprador.

Entregas rápidas

Quando você vai vender comida pela internet, os Correios não costumam ser uma boa opção de frete, especialmente se os itens forem perecíveis. Afinal, para alimentos, o ideal é que as entregas sejam o mais rápido possível.

Portanto, você deve avaliar transportadoras que ofereçam entrega no mesmo dia ou no dia seguinte. Na Nuvemshop, existem integrações com Loggi, Melhor Envio e Frenet, que podem trazer essas opções, a depender da região que você atenda.

Além disso, se você possui um veículo para fazer entregas, pode habilitar a opção de frete personalizado. Dessa maneira, você mesmo consegue prever o prazo para levar o produto até o cliente. Para essa opção, considere os custos de combustível e de manutenção do veículo na tarifa cobrada, assim você não sai no prejuízo.

Seja qual for sua opção de meio de envio, lembre-se apenas de informar as regiões para as quais você entrega. Dessa forma você evita que, por exemplo, um cliente de Curitiba faça um pedido em sua loja, que só atende a cidade do Rio de Janeiro, e a compra precise ser cancelada.

Ainda sobre manter seu cliente informado, é fundamental que você tenha um banner em algum local chamativo do site para informar sobre os seus canais de atendimento, prazos de entrega e dias de envio (caso não envie as encomendas diariamente).

Exemplo de banner com detalhes sobre local e prazos de entrega da loja virtual Chico Granjeiro, sobre como vender comida pela internet

Além disso, quando você tem alimentos para vender, especialmente os perecíveis, é importante ter um canal direto de atendimento para que seus clientes entrem em contato. Por isso, disponibilize um número de WhatsApp ou o chat online. Para os clientes da Nuvemshop, por exemplo, o JivoChat é uma opção gratuita que pode ser integrada ao e-commerce.

Quais os cuidados com os meios de pagamento?

Assim como em qualquer loja virtual, ao vender comida pela internet, você também consegue cobrar pelas suas vendas integrando meios de pagamento diretamente ao seu e-commerce.

No entanto, como estamos tratando de pedidos que, em geral, precisam ser processados e enviados logo, você deve evitar formas que demorem para ser faturadas e que tenham risco de desistência do comprador, como é o caso do boleto bancário, por exemplo. Opte, portanto, pelo cartão, cuja aprovação costuma ser praticamente instantânea.

Caso identifique a necessidade dos seus clientes de pagar por meio do boleto bancário, avise-os que os pedidos só serão separados após a confirmação do pagamento e que, portanto, o prazo de entrega pode demorar mais. Assim, você evita prejuízos.

Se quiser entender um pouco melhor sobre o assunto, você pode dar o play no NuvemCast #15 – Um debate sobre os meios de pagamentos no Brasil, o podcast da Nuvemshop a respeito do tema:


Saiba mais...

Regularização do negócio

Se você, assim como o Paulo Coutinho, fundador da HortQuality, sobre a qual falamos no início do artigo, já tinha um estabelecimento offline para vender comida, é provável que você já esteja regularizado para praticar o comércio. Nesse caso, observe apenas se há alguma alteração a ser feita. Nesse caso, um contador ou um advogado especializado podem te auxiliar.

Por outro lado, se você for começar seu empreendimento agora, o primeiro passo é regularizá-lo. Se for começar sozinho, uma ótima opção é regularizar-se por meio do MEI (Microempreendedor Individual). Nesse modelo de formalização, os trabalhadores têm alguns benefícios, além de regime tributário reduzido.

Para saber mais sobre como criar um MEI, assista ao vídeo:

Atente-se também ao tipo de artigo que você vai comercializar. Alguns deles exigem regulamentações, como é o caso de produtos de origem animal, que precisam de um selo do Ministério da Agricultura. Para tirar dúvidas pontuais sobre o nicho pelo qual você se interessou, você pode acessar o portal do Sebrae sobre alimentos e bebidas.

Pronto para vender comida online?

Esperamos que, com este conteúdo, você possa reunir mais informações sobre como vender comida pela internet. Assim, você será capaz de dar o próximo passo, seja para complementar sua renda ou para ampliar a atuação da sua empresa!

Se você já pretende dar o pontapé inicial, por que não testar os 30 dias gratuitos da Nuvemshop e começar a vender pela internet? Você pode aproveitar todas as vantagens da nossa plataforma.

Faça como +60mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer mudar de vida vendendo pela internet?

Crie agora sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional.

Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies