Plano de marketing: o guia definitivo para o seu e-commerce

Índice

O guia definitivo sobre plano de marketing para e-commerce foi desenvolvido para ajudar você, empreendedor, a planejar com mais segurança e assertividade os próximos passos do seu negócio e, consequentemente, alcançar o sucesso.

Neste conteúdo, você aprenderá:

  • O que é e quais são os objetivos do plano de marketing;
  • Quais são as diferenças entre estratégia de marketing e plano de marketing;
  • Quais são as fases de um plano de marketing;
  • Como montar um plano de marketing para a sua empresa;
  • Como aplicar um plano de marketing;
  • Como acompanhar os resultados de um plano de marketing.

Vamos lá? 😉

O que é plano de marketing?

    1

    Plano de marketing nada mais é que uma ferramenta de gestão utilizada para projetar uma marca como um todo ou o lançamento de um produto específico.

    Em especial, ele contempla: análise do mercado de atuação, definição do público-alvo, desenvolvimento da marca, cronograma de execução e monitoramento de resultados. Por meio do plano de marketing, é possível ter uma visão ampla do negócio e estabelecer ações estratégicas a médio e a longo prazo.

    Assim, se você deseja estar menos vulnerável diante dos seus concorrentes, identificar crises com antecedência, otimizar o seu orçamento, reter clientes e aumentar as vendas, o plano de marketing será ideal para o seu e-commerce.

    Vale destacar que, muitas vezes, o plano de marketing é visto com um documento burocrático e difícil de ser feito. Entretanto, este guia da Nuvemshop foi feito para esclarecer e simplificá-lo.

    Para que o seu plano de marketing vigore, ele deve acompanhar etapas básicas — que citaremos ao longo deste conteúdo — e ser organizado e funcional para você e a sua equipe. Sem uma “receita pronta”, ao concluí-lo, ele será único para o seu negócio.

    Diferenças entre estratégia de marketing e plano de marketing

    Antes de seguirmos para o próximo capítulo, vamos elucidar as diferenças entre estratégia de marketing e plano de marketing — equívoco bastante frequente entre empreendedores.

    Estratégia de marketing e plano de marketing se distinguem tanto em definição, quanto em finalidades. Contudo, eles se relacionam: sem uma estratégia, o plano de marketing se torna falho.

    Em linhas gerais, a estratégia de marketing diz respeito ao objetivo que você deseja alcançar. O plano de marketing, por sua vez, se refere a como você pretende atingir tal propósito.

    Logo, a sequência lógica se dá em: objetivo geral → estratégia de marketing → plano de marketing → ação de marketing. Confira um modelo:

    1. Objetivo geral: aumentar as vendas do e-commerce;
    2. Estratégia de marketing: fidelizar clientes;
    3. Plano de marketing: criar campanhas de pós-vendas atrativas para o público-alvo;
    4. Ação de marketing: desenvolver newsletters direcionadas para diferentes personas.

    Se você vende perfumes importados, por exemplo, suas personas podem ser homens e mulheres, de classe média e média-alta. Sabendo disso, será possível criar diferentes listas de newsletters a partir do gênero e dos preços dos produtos.

    Mas você deve estar se perguntando: como diferenciar as personas do meu público-alvo? Em breve, teremos um tópico amplo sobre esse assunto. Continue com a gente!

    Quais são as etapas de um plano de marketing?

      2

      De acordo com o plano de marketing SEBRAE, existem três grandes fases:

      1. Planejamento;
      2. Implementação;
      3. Avaliação.

      O planejamento — a etapa mais complexa do plano de marketing — se refere à análise de macro e microambientes, à definição de personas, à (re)criação da marca e ao mix de marketing.

      Já a implementação trata da execução do que foi planejado. A partir do estabelecimento de objetivos e metas, determina-se o cronograma de ações do plano de marketing (custos estimados, períodos e responsáveis para efetivá-lo).

      Por fim, a avaliação, como o próprio nome indica, verifica os KPIs do negócio e monitora feedbacks dos clientes, buscando ajustar o plano de marketing para que ele se torne cada vez mais eficiente.

      Com isso elucidado, os três próximos capítulos abordarão cada uma das fases do plano de marketing.

      Planejamento: como elaborar um plano de marketing?

        3

        Mesmo sendo a etapa mais complexa do plano de marketing, o planejamento tem diretrizes primárias que vão te ajudar a delimitar cada estágio com bastante clareza, além de te servir como base para as fases 2 e 3. Mas não se preocupe, estaremos com você em todos os passos.

        Vamos começar? 💪

        Sumário executivo do plano de marketing

        O sumário executivo tem como propósito ser o resumo do plano de marketing do seu e-commerce. Assim, para iniciar, é preciso ter em mente — de uma maneira mais abrangente — a situação atual do negócio, independentemente do momento em que ele se encontra.

        Nesta síntese, você deve organizar (em texto corrido ou tópicos, como preferir) as principais características da sua empresa e o que deseja alcançar, e até mesmo modificar, a médio e a longo prazo. Portanto, ao desenvolver o sumário executivo do seu plano de marketing, considere:

        • Tempo de atividade comercial (caso você já tenha um negócio ativo);
        • Localização (se você tiver algum ponto físico);
        • Produtos e serviços (o que é ofertado ao público-alvo ou o que deseja oferecer);
        • Diferencial da sua marca (como você se destaca ou quer se sobressair no varejo);
        • Dificuldades encontradas (em relação aos produtos, concorrentes etc);
        • Objetivo geral (conforme explicado no primeiro capítulo).

        Análise de mercado do plano de marketing

        Depois do sumário executivo pronto, chega o momento de determinar o mercado em que o seu negócio está inserido (ou será introduzido). Para fazê-lo bem em seu plano de marketing, é necessário ponderar aspectos de macro e microambientes e realizar a análise SWOT, que explicaremos a seguir.

        Macro e microambientes no plano de marketing

        O macroambiente estuda fatores econômicos, socioculturais, políticos, legais e tecnológicos do país, além de investigar os concorrentes do seu e-commerce. Já o microambiente depreende de áreas relativas à sua empresa, como a estrutura organizacional dela e os recursos financeiros disponíveis.

        Para examinar o macroambiente no plano de marketing, é essencial acompanhar recorrentemente notícias do Brasil e do varejo. Afinal, são referências que podem influenciar direta e indiretamente o seu negócio, tais como:

        • Fatores econômicos: taxas de juros, inflação, distribuição de renda, entre outras oscilações do mercado;
        • Fatores socioculturais: características gerais da população (faixas etárias, gêneros, classes sociais, escolaridades etc), bem como hábitos e comportamentos;
        • Fatores políticos e legais: Código de Defesa do Consumidor, Código Civil e novas leis (como a do omnichannel);
        • Fatores tecnológicos: mudanças que podem instigar tendências de consumo.

        Para que esse tipo de análise fique clara, acompanhe um exemplo da atualidade que se relaciona a fatores socioculturais:

        De acordo com o NuvemCommerce 2020, 30% dos compradores digitais já são da Geração Z (nascidos em meados da década de 90). Assim, a partir de seus hábitos de consumo, é possível notar que, dentre as diversas estratégias de marketing disponíveis, uma das que tal grupo mais valoriza é o marketing de inclusão (que aborda preservação ambiental, feminismo, desconstrução de estereótipos etc).

        Logo, se o seu negócio tem como público-alvo essa geração, fica bastante evidente em quais temas você deve focar, não é mesmo?

        No que diz respeito à investigação dos concorrentes no macroambiente, é primordial observar produtos ofertados, estratégias de vendas e atendimento. Para aprender como aplicá-la em seu plano de marketing, confira este vídeo com o Frederico Zornig, da Quantiz Pricing Solutions:

        Por outro lado, como dito previamente, para averiguar o microambiente no plano de marketing, é importante considerar:

        • Estrutura organizacional: caso você tenha uma equipe, observe como ela se configura e se seus colaboradores são qualificados para as respectivas áreas de atuação (marketing, financeiro, RH etc). Caso você seja o único membro da empresa, reconheça suas habilidades e em quais setores precisa se aprimorar (ou até mesmo contratar um funcionário);
        • Recursos financeiros: examine o fluxo de caixa do seu e-commerce, se as entradas (vendas) são maiores que as saídas (custos fixos e variáveis), conforme explicamos em detalhes no artigo Fluxo de caixa: como organizar o controle financeiro da sua empresa.

        Análise SWOT no plano de marketing

        Com os macro e microambientes delimitados, passemos para a próxima etapa do diagnóstico de mercado no plano de marketing: a análise SWOT.

        A análise SWOT é uma pesquisa que identifica as forças (strengths), fraquezas (weaknesses), oportunidades (opportunities) e ameaças (threats) de um negócio.

        O modelo SWOT é bastante simples de aplicar: nele, você deve listar as forças e fraquezas do microambiente (fatores internos), e as oportunidades e ameaças do macroambiente (fatores externos). Abaixo, confira exemplos baseados na Geração Z, citada no tópico anterior:

        • Força interna: plataforma de e-commerce moderna (o que faz com que a experiência do cliente na loja virtual seja excelente);
        • Fraqueza interna: recursos financeiros limitados;
        • Oportunidade externa: aumento contínuo de consumidores da Geração Z;
        • Ameaça externa: concorrente consolidado há mais de 10 anos no mercado.

        (Ah, caso queira conhecer os mecanismos que uma plataforma de e-commerce pode proporcionar, conheça os recursos da Nuvemshop. Aproveite o teste de 15 dias gratuitos e monte sua loja virtual hoje mesmo!)

        Esses são alguns exemplos de muitos que você pode enumerar no plano de marketing a partir das particularidades do seu negócio. Por isso, separe ao menos uma hora para refletir sobre eles, ok?

        Perfil do público-alvo no plano de marketing

        Público-alvo é um grupo de personas (potenciais clientes) que possuem atributos em comum. Ao defini-las corretamente, você poderá delinear seus próximos passos do plano de marketing com mais clareza, já que vai compreender como e quando os consumidores preferem adquirir seus produtos e serviços.

        Logo, para começar a criar as personas da sua marca (ou revisá-las, caso você já tenha um negócio ativo), busque agrupá-las por:

        • Fatores geográficos: estados, cidades e, até mesmo, bairros (se seu público-alvo for concentrado);
        • Fatores demográficos: idades, gêneros, profissões, rendas, formações familiares etc;
        • Fatores psicológicos: objetivos, medos, frustrações etc.
        • Fatores comportamentais: estilos de vida, hobbies, hábitos, redes sociais utilizadas etc.

        Agora, na sequência, escute o nosso podcast para descobrir mais dicas sobre como definir seu público-alvo no plano de marketing. Este episódio conta com especialistas de Marketing e Pesquisa, que te ensinarão a identificar motivações de consumo por meio de exemplos, personificar seus clientes e fidelizá-los. É só apertar o play! 🔊

         

        Dica extra: jornada do cliente

        Você sabe o que é jornada do cliente e a sua importância? E quais são as ferramentas utilizadas para compreendê-la melhor? A seguir, assista à entrevista com Rogério Fonseca, professor universitário e especialista em Marketing, que te dará muitas dicas para decifrar seu público-alvo:

        Definição da marca no plano de marketing

        Para quem já tem uma empresa operante, este tópico do plano de marketing pode parecer desnecessário. Entretanto, é essencial considerá-lo como uma etapa de revisão, assim como o anterior. Afinal, com o passar do tempo, sua marca pode se tornar obsoleta e não mais refletir os princípios do seu negócio.

        A Nuvemshop, por exemplo, passou por um rebranding em 2019, exatamente para compartilhar seu novo propósito (“potencializar histórias de sucesso”), transmitir seus diferenciais e posicionar seu produto — que evoluiu muito ao longo dos anos — de uma maneira melhor para o público.

        Portanto, examine. E, se você ainda não tem um negócio ativo, reflita e esboce todas as possibilidades disponíveis.

        Neste estágio do plano de marketing, cabem inúmeros elementos, mas, para que você mantenha o foco nos principais, frisemos: nome, logotipo, missão, visão e valores.

        Nome da marca

        Para te ajudar a escolher o nome ideal para a sua empresa, temos um vídeo com orientações sobre como liberar a criatividade! Além disso, você também pode rever dicas sobre definição do público-alvo no plano de marketing:

        Logotipo da marca

        O logotipo (ou logo) é um componente crucial na definição da marca, pois ele é o símbolo do negócio. É por meio dele que, muitas vezes, seus clientes te reconhecerão em newsletters e nas redes sociais, por exemplo.

        Assim, é fundamental que o logo seja duradouro, apropriado (que se relacione ao que você vende) e adaptável (fácil de ser estampado em diferentes superfícies: site, adesivos, sacolas, camisetas etc).

        Para esta fase do plano de marketing, convidamos a designer Ana Carolina Porto, que deu uma verdadeira aula com diversas instruções de como criar um logotipo incrível para a sua empresa:

        Também temos um artigo amplo sobre o assunto, confira-o a seguir.


        Saiba mais...

        Missão, visão e valores no plano de marketing

        Por fim, sua marca precisa ter princípios e convicções bem delimitadas, para que, ao se comunicar com o público, ele agilmente identifique o seu alto padrão de atendimento e comprometimento. Ademais, estabelecer parâmetros no plano de marketing é sinônimo de contar com um norte para qualquer tomada de decisão.

        Logo, levando isso em consideração, reflita:

        • Missão: por que sua marca foi criada? Para quem ela existe e quais problemas e dificuldades deseja solucionar? A missão da Natura, por exemplo, é “proporcionar o bem-estar-bem, relações harmoniosas do indivíduo consigo mesmo, com os outros e com a natureza”;
        • Visão: onde você deseja chegar? Qual é o seu maior objetivo (mesmo que ele demande anos para ser alcançado)? A visão do Google, por sua vez, é “fornecer acesso às informações do mundo inteiro em um só clique”;
        • Valores: quais são as crenças adotadas na sua empresa? Este questionamento é primordial para guiar toda e qualquer ação da sua equipe. Na Nuvemshop, temos quatro afirmações como princípios: “comprometa-se a fundo”, “diga o que pensa”, “execute com excelência” e “pense grande”.

        Tudo certo até aqui? Sigamos para a última parte do planejamento do plano de marketing! 🚶‍♂️

        Mix de marketing

        Mix de marketing é um conjunto de quatro elementos — produto, preço, promoção e praça — que compõem as atividades de marketing e vendas de um negócio.

        Através destes 4Ps, você tem a oportunidade de observar o seu e-commerce a partir da perspectiva do público, distinguindo as variantes que despertam o desejo de compra no cliente e refletindo sobre o reconhecimento de marca (como ela é identificada por ele).

        Em outras palavras, este composto do plano de marketing tem como propósito alinhar as expectativas (de como o empreendedor gostaria que o público enxergasse a empresa) com a realidade (de como o consumidor realmente vê a marca).

        Para isso, em cada um destes quatro elementos, questione-se:

        Produto

        • Quais são as características físicas do seu produto?
        • Quais benefícios e soluções seu produto proporciona?
        • Como o seu produto se diferencia do dos concorrentes?
        • O que o consumidor deseja obter a partir da compra do seu produto?

        Neste ponto do plano de marketing, o objetivo é compreender se o seu produto tem uma finalidade e cumpre com ela. Porque de nada adianta você oferecer um artigo incrível, se ele não é buscado pelo público. Assim, mais do que bom, seu produto precisa ser apropriado, ter uma função delimitada.

        Se você ainda não tem um negócio ativo, pondere sobre o novo produto que deseja lançar ao mercado. Para te ajudar em tal tarefa do plano de marketing, confira a aula abaixo:

        Preço

        • Quais são os seus gastos com o fornecedor? Ou quanto você investe na produção dos produtos?
        • Qual é o preço do seu produto?
        • Esse valor é competitivo, se comparado ao dos concorrentes?
        • Baixar o preço pode significar mais vendas?
        • Aumentar o valor do produto pode potencializar a sua marca?

        Em especial, essas duas últimas perguntas têm como objetivo te fazer identificar a percepção do seu negócio diante do público.

        Engana-se quem pensa que ter preços muito baixos é sinônimo de alta conversão — isso pode acontecer, mas não é via de regra. Para uma parcela da população, pagar um pouco mais é sinônimo de qualidade (e não de prejuízo), principalmente quando o produto está acompanhado de uma experiência positiva (como uma entrega expressa, por exemplo). 📦

        Logo, no plano de marketing, tenha em mente a importância de reconhecer o que o seu cliente (ou futuro cliente) de fato valoriza.


        Saiba mais...

        Promoção

        • Seu público está presente nas redes sociais? Se sim, em quais?
        • Quais são os melhores horários para promover seus produtos? (No Instagram comercial, por exemplo, são apresentados os períodos em alta para isso.)
        • É possível integrar os meios online e offline (como vender online e disponibilizar retirada em pontos físicos)?

        Nesta fase do plano de marketing, é fundamental compreender como promover o seu negócio para o público. Se as suas personas são adolescentes entre 14 e 16 anos, será bem difícil atingi-los em publicações do LinkedIn, por exemplo. Já no Instagram e no Facebook será muito mais provável.

        Por isso, verifique as mídias em que seu cliente estará disposto a interagir com a sua marca. Desta maneira, você não correrá o risco de investir esforços em meios infrutíferos.

        Praça

        • Onde o seu cliente busca por produtos similares ao seu?
        • Como os concorrentes abordam o público em seus diferentes canais de venda?
        • O que fazer de diferente no que diz respeito à distribuição dos produtos?
        • Os marketplaces podem fazer a diferença na sua estratégia?

        Se em Promoção foca-se em como promover o negócio, em Praça busca-se identificar os melhores ambientes para fazê-lo.

        Como visto previamente, a jornada do cliente se inicia em pesquisas de produtos no Google, mas tal caminho não é a única opção. Com o advento das redes sociais, muitos produtos são divulgados em posts de influenciadores digitais, por exemplo. Assim, no plano de marketing, atente-se aos locais e meios mais propícios para alcançar o seu público, ok?


        Saiba mais...

        Implementação: como colocar um plano de marketing em prática?

          4

          Agora que você já sabe como o mercado e os concorrentes se configuram, quem é o seu público-alvo e onde e como abordá-lo, chega o momento de articular os próximos passos do seu negócio com base nas informações coletadas em cada estágio do planejamento do plano de marketing.

          Para tal, nesta etapa de implementação, você deverá estabelecer objetivos e metas e, na sequência, esquematizar o cronograma de ações.

          Estabelecimento de objetivos e metas do plano de marketing

          Relacionados à missão, visão e valores da empresa, os objetivos e as metas do plano de marketing são os resultados que você deseja atingir através do seu negócio.

          Os objetivos são afirmações de caráter contextualizador; já as metas são pequenas métricas norteadoras que levarão à concretização do propósito final. Para não haver dúvidas, confira estes exemplos:

          • Objetivos: ter campanhas de marketing mais eficazes e ser referência regional até 2022;
          • Metas: reduzir o custo de aquisição de clientes (CAC) em 30% e aumentar o faturamento em 20% ano a ano.

          Por outro lado, ações são pequenos passos que serão dados semana a semana (ou mês a mês) para conquistar, a médio e a longo prazo, os objetivos e as metas estabelecidas no plano de marketing. A seguir, confira dois exemplos que se relacionam à baixa do CAC citada anteriormente — e, consequentemente, a campanhas de marketing mais eficazes:

          • Ação 1: realizar testes A/B de anúncios pagos no Instagram e definir qual é o melhor formato no quesito custo-benefício (Stories ou feed);
          • Ação 2: experimentar vídeos de produtos nas newsletters semanais e notar se há aumento na taxa de conversão.

          Cronograma de ações do plano de marketing

          Sabendo da sequência lógica de objetivos, metas e ações, é tempo de montar o cronograma do seu plano de marketing, que pode ser dividido em semanas, meses e/ou semestres — sinta-se à vontade para escolher o formato que fizer mais sentido para você e a sua equipe.

          No seu cronograma, entretanto, não podem faltar:

          • Ações (o que): descrições objetivas do que deve ser realizado;
          • Períodos (quando): prazos para tais ações serem cumpridas;
          • Como: quais são as etapas necessárias para desenvolver as ações. Na de teste A/B de anúncios pagos, por exemplo, é preciso considerar a montagem de cada peça gráfica;
          • Responsável (quem): qual pessoa da sua equipe — caso sua carreira não seja solo — deve executar a ação. Neste ponto, ainda é importante considerar se o colaborador tem conhecimento para realizá-la ou se precisa dedicar um período para aprender (através de cursos, treinamentos etc);
          • Custo estimado (quanto): o capital disponível para ações do plano de marketing — elemento já estimado no tópico de microambiente.

          Perceba que, neste estágio do plano de marketing, há a liberdade de estabelecer o que quiser, desde que caiba no seu bolso e você tenha recursos humanos (pessoas capacitadas) para isso. Portanto, pés no chão, caneta e papel na mão e muita gana de fazer acontecer! 📝

          Dica extra: incentivo aos colaboradores (para quem já possui uma equipe)

          Além de promover um ambiente de trabalho seguro e organizado e delimitar as próximas ações da sua empresa, é primordial motivar seus funcionários regularmente, já que, sem eles, muitas dessas ações não seriam possíveis. Assim, não se esqueça de:

          • Estar disponível e mostrar apoio e interesse;
          • Valorizar novas ideias (incentive o costume de “pensar fora da caixa”);
          • Criar ações que mesclem equipes (para adquirirem conhecimento de outras áreas);
          • Deixar claro qual é o papel de cada colaborador e por que ele é importante para o desenvolvimento do time;
          • Inspirar pelo exemplo (de nada adianta cobrar algo que você mesmo não faz);
          • Estimular a cultura do feedback empático (seja humano e ilustre com práticas);
          • Comemorar vitórias do plano de marketing (reconheça os bons resultados).

          Avaliação: como monitorar um plano de marketing?

            5

            Nesta fase, pensemos no pós-plano de marketing. Afinal, depois de planejar e colocá-lo em prática, é essencial acompanhar os resultados das ações — através de KPIs e feedbacks do público — e entender se elas estão sendo bem-sucedidas. Pois, se não estiverem, você precisará criar um novo cronograma com medidas retificadoras.

            KPIs do plano de marketing

            A primeira tarefa da etapa de avaliação do plano de marketing é a de fazer uma análise periódica. Em cada final de ciclo (semanal, mensal e/ou semestral, conforme você estipulou no início), dedique um tempo para acompanhar os KPIs do seu negócio.

            KPIs, caso você não saiba, são indicadores-chave de performance. Ou seja, com base em determinadas metas e métricas (que você definiu na fase de implementação do plano de marketing), mostram o desempenho dos objetivos e das ações estabelecidas.

            Para te ajudar a deliberar os principais KPIs do seu plano de marketing, temos um vídeo com diversas orientações da especialista de marketing Natalia Lage. Acompanhe:

            Também temos um artigo completo sobre KPIs e como calculá-los no plano de marketing! 📊


            Saiba mais...

            Feedbacks do público

            A última tarefa do plano de marketing — que não deixa de ser extremamente relevante — é o monitoramento de feedbacks dos seus clientes.

            Este esforço se relaciona intimamente aos KPIs. Afinal, se o desempenho do seu plano de marketing estiver abaixo do esperado, será preciso buscar justificativas para tal. Logo, nada melhor do que buscar as causas “direto na fonte”.

            Para coletar feedbacks do público, você poderá usar tanto pesquisas quantitativas, quanto qualitativas, e ambos os formatos podem ser enviados por e-mail ou disponibilizados em pop-ups na sua loja virtual.

            Para pesquisas quantitativas, que podem ser aferidas a partir de números e taxas, crie afirmativas como “O checkout é simples e funciona bem” e peça para que os usuários avaliem o enunciado com uma nota de 0 a 5, por exemplo (0 sendo para quem discorda e 5 para quem concorda plenamente).

            Já as pesquisas qualitativas são aquelas que o consumidor descreve aspectos que gosta ou não, compartilhando detalhes da sua experiência de compra. Para direcioná-los, faça questões específicas sobre cada área, como atendimento e categorias de produtos, por exemplo.

            O primordial aqui é focar em questões que se refiram aos objetivos, metas e ações que você delimitou anteriormente — portanto, nunca os perca de vista.

            Enfim, com os resultados das pesquisas em mão, separe-os em quesitos que estão indo bem e os que podem ser aprimorados. Esses feedbacks serão a base para medidas corretivas e preventivas a serem aplicadas no cronograma do seu plano de marketing.

            E aí, plano de marketing pronto?

              6

              Dedicar-se a um plano de marketing é o primeiro passo rumo ao sucesso do seu negócio. Pois, por meio dele, você tem a chance de conhecer o mercado, preparar sua estratégia em relação à concorrência, conhecer as principais facetas do seu público e, assim, posicionar a sua marca da melhor maneira possível.

              Por isso, esperamos que este guia sobre plano de marketing tenha suprido todas as suas principais dúvidas sobre o assunto, além de ter ajudado a planejar, implementar e avaliar o seu projeto. Boa sorte e mãos à obra! ✨

              Crie sua loja e venda pela internet

              Criar loja agora
              Imagem illustrativa do Instagram da marca Osmoze
              Imagem illustrativa da loja virtual da marca Osmoze

              Quer mudar de vida vendendo pela internet?

              Crie agora sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional.

              Criar minha loja