Análise da concorrência: o que é e como fazer para se destacar

Por: Raquel Lisboa
Análise da concorrência: o que é e como fazer para se destacar

Aqui você encontra:

Dedicar-se à análise da concorrência é uma estratégia fundamental para quem deseja alcançar o sucesso. Por meio de tal acompanhamento, é possível melhorar as estratégias de marketing de um negócio, converter e fidelizar mais clientes e, principalmente, ficar frente à frente dos maiores empreendimentos do mercado.

Por isso, ao longo deste conteúdo, vamos entender tudo sobre essa análise, como fazê-la e formas para que seu negócio possa se destacar dos concorrentes. Então, bloco de notas à mão, porque é hora de começar! 🧐

O que é análise de concorrência?

Como o próprio nome indica, análise da concorrência é a prática de monitorar regularmente negócios que oferecem produtos e serviços similares aos seus — ou disponibilizam soluções para personas semelhantes às do seu negócio.

Esse tipo de exame pode ser feito em relação a diversos aspectos, como preços, ações de marketing, experiência do cliente etc. Cabe a você identificar o que faz sentido para sua estratégia e partir para a análise!

Qual a importância da análise de concorrentes?

Ao fazer uma análise da concorrência, você pode saber como sua marca está posicionada no mercado em relação a outras empresas que disputam o mesmo público que você. Dessa forma, será capaz identificar o que diferencia sua marca do resto.

Além disso, esse tipo de estratégia permite que você identifique os pontos em que seu negócio está bem em relação aos concorrentes e aquilo que você precisa melhorar para conquistar mais clientes. Assim, sua empresa pode se tornar cada vez mais competitiva.

Para compreender mais benefícios dessa técnica, assista ao vídeo a seguir:

Como fazer a análise da concorrência?

Como vimos no vídeo, existem muitas maneiras de dedicar-se à análise da concorrência. Visitar outras lojas virtuais e suas redes sociais, cadastrar-se na newsletter e buscar tais marcas no Reclame Aqui são algumas formas de examinar os concorrentes.

Todavia, para que você possa estruturar sua análise concorrencial, vamos conferir um passo a passo:

1. Defina quem são seus concorrentes

Em primeiro lugar, você deve identificar quem são os concorrentes no nicho de mercado em que você atua. Aqui, você deve incluir não apenas as empresas que ofereçam o mesmo tipo de solução que seu negócio, mas, como vimos, aquelas que disputam o mesmo público.

Um exemplo bem simplificado disso poderia ser a concorrência entre uma empresa que vende ou aluga bicicletas e outra, patinetes. Um produto não é exatamente igual ao outro, mas as pessoas tendem a escolher apenas uma opção entre essas duas.

2. Estabeleça os objetivos da análise

Depois de identificar os concorrentes, você precisa estabelecer seu objetivo ao fazer a análise. Pode ser o de examinar os preços ou as campanhas de e-mail marketing da outra empresa, por exemplo.

Saber o que motiva sua análise da concorrência vai torná-la muito mais eficiente, pois seu olhar será direcionado ao ponto específico que você pretende reconhecer.

3. Escolha que critérios vai analisar

Agora, é hora de escolher quais aspectos você vai analisar. Digamos que você definiu, no ponto anterior, que quer observar os blogs dos concorrentes. O que você vai considerar? O volume de tráfego orgânico por mês? A frequência de novas postagens?

Saber quais critérios você quer examinar também vai aumentar a assertividade da estratégia. Lembre-se, apenas, de identificar quais métricas são relevantes para cada análise que pretende fazer, certo?

4. Determine seu método de pesquisa

Aqui, você deve estabelecer como vai coletar, organizar e analisar os dados encontrados. Não há uma regra específica sobre como isso deve ser feito, porém uma forma utilizada por muitas empresas é a análise SWOT (ou FOFA).

Esse método visa a identificar as Forças (Strenghts), Fraquezas (Weaknesses) Oportunidades (Opportunities), e Ameaças (Threats) de cada concorrente — e pode ser aplicado também ao seu próprio negócio. Saiba mais sobre ele no vídeo:

5. Colete os dados e apresente-os às áreas envolvidas

Por fim, é chegada a hora de colocar a mão na massa e fazer sua análise da concorrência. Siga a metodologia que você definiu para coletar os dados. Você pode fazê-lo, por exemplo:

  • Navegando pelo e-commerce dos seus concorrentes;
  • Analisando as redes sociais deles;
  • Cadastrando-se na newsletter do competidor;
  • Visitando sua loja física etc.

Depois disso, anote tudo o que encontrou e apresente as informações às áreas e pessoas envolvidas. Desse modo, um plano de ação pode ser desenvolvido para melhorar aspectos que vão te colocar à frente dos concorrentes.

No vídeo abaixo, você verá algumas dicas do especialista em precificação Frederico Zornig para quem quer começar a pôr em prática o que descobriu sobre o mercado e a concorrência:

Ferramentas gratuitas para ajudar na análise da concorrência

Como vimos, existem diversos aspectos da concorrência que você pode analisar. Esse é um campo bastante amplo, mas, abaixo, listamos algumas ferramentas gratuitas que costumam ser bastante úteis na análise de concorrentes:

Google Alertas

Por meio dessa funcionalidade do maior buscador do mundo, é possível configurar alertas sobre menções dos seus concorrentes na mídia. Dessa forma, toda vez que algum competidor for citado, você será notificado e saberá o que está acontecendo.

Reclame Aqui

Provavelmente você já conhece o Reclame Aqui, aquele site em que clientes relatam problemas que tiveram com empresas. E ele pode ser um grande aliado na hora de fazer a análise da concorrência.

Ao avaliar as páginas de cada um dos seus competidores no portal, você pode observar reclamações recorrentes dos consumidores e como esses negócios têm respondido a essas solicitações. Assim, é possível oferecer ótimas condições em relação àquilo em que a concorrência está falhando.

Ubersuggest

O Ubersuggest é uma ferramenta de planejamento de palavras-chave que permite a análise dos sites de concorrentes. Desse modo, você pode saber o tráfego mensal estimado para as páginas e as palavras-chave em que o site costuma ficar melhor posicionado.

Como se destacar diante da concorrência no e-commerce?

Depois de conferir o que é análise da concorrência, como e por que realizá-la, chega o momento de aprender estratégias exclusivas para se diferenciar. Vamos lá? 😉

Conheça seu público-alvo

Parece meio óbvio, certo? Mas, muitas vezes, esquece-se daqueles que fazem seu negócio realmente lucrar e crescer. Por isso, estabeleça seu público.

Compreenda os hábitos de compra, o que buscam e quais necessidades pretendem suprir. Quanto mais informações, melhor. Considere idade, gênero, nível socioeconômico, quais atividades exercem e problemas enfrentados, o que consomem com maior assiduidade e o porquê.

Por exemplo: você tem uma loja de cosméticos e uma das seções vende produtos com glitter. Claramente, esse departamento só será interessante, em grande parte, para jovens. Levando isso em consideração, é necessário cuidado na precificação e nas formas de pagamento oferecidas, pois seu alvo provavelmente ainda não tem um emprego fixo.

Determinando essas informações, será muito mais fácil satisfazer seus consumidores. Por meio desses dados atrelados a uma análise da concorrência, você conseguirá estabelecer com maior certeza suas estratégias de marketing.

Atente-se à plataforma

Seu site é semelhante a uma loja física. Se você chegar a um estabelecimento e o atendente demorar para te receber, você vai embora, não? O mesmo acontecerá se o carregamento de páginas for lento: o cliente perderá a paciência e buscará por outro e-commerce. Logo, otimize sua landing page para aumentar a velocidade e a qualidade.

Ademais, faça da versão mobile sua melhor amiga. Você sabia que esse tipo de acesso vem crescendo nos últimos meses? De acordo com o NuvemCommerce 2020, as compras por dispositivos móveis representaram 65% no último ano. Assim, invista em layouts responsivos. Com isso, as imagens serão automaticamente redimensionadas, não sobrecarregando a transferência de dados.

Na Nuvemshop, oferecemos uma plataforma estável e ágil, projetada para se adequar a todos os tamanhos de dispositivos – desde desktop a smartphones e tablets. Caso queira descobrir mais vantagens, experimente nossos recursos por 30 dias gratuitos.

Lembre-se também de aperfeiçoar as páginas de checkout. Imagine o cliente como se estivesse na fila do supermercado: ele quer adquirir apenas um produto e há mais de 10 pessoas à sua frente. Desanimador, não é?

O mesmo vale para as páginas que o levam à finalização da compra — tente fazê-las com no máximo três passos, além de simplificar o quanto puder o preenchimento de dados do consumidor.

Capriche, por fim, na interface e no conteúdo. Um design intuitivo e descrições relevantes farão toda a diferença. Saiba informar do que se trata cada produto: tamanho, cor, peso, forma e quais são suas funcionalidades. Tomando todos esses devidos cuidados, você com certeza proporcionará uma navegação muito mais agradável ao seu cliente.

Diversifique as condições de pagamento

Cerca de 82% dos carrinhos gerados no e-commerce brasileiro são abandonados, segundo o E-commerce Radar — e grande parte dessas desistências estão relacionadas ao momento de encerrar a compra.

Pensando em uma experiência mais rápida e prática e, consequentemente, no aumento da taxa de conversão, opte pelo checkout transparente. Trata-se de uma experiência que permite que o cliente efetue o pagamento dentro da própria loja, sem a necessidade de ser redirecionado a páginas exteriores.

Perceba também quais são os melhores meios de pagamento a serem adotados no seu e-commerce: gateways ou intermediadores. O primeiro é uma ferramenta que conecta a sua loja com os bancos e operadoras — como as maquininhas físicas de cartões. E o segundo, o próprio nome já diz: são empresas intermediadoras das transações financeiras, como PagSeguro, Wirecard, Paypal, entre outras.

Portanto, dê diferentes alternativas ao seu consumidor, possibilitando, assim, maior acesso aos seus produtos e serviços. Garanta descontos à vista, mas também parcelamentos por meio de cartões e boletos bancários.

Comunique-se bem

Já dizia Chacrinha: “Quem não se comunica, se trumbica”. Com o seu cliente, então, isso faz toda a diferença.

Ofereça atendimento exclusivo e de qualidade. Esteja sempre aberto a ouvi-lo e use isso a seu favor, implementando melhorias. Responda tudo o mais rápido possível (reclamações principalmente!) e tenha sempre em mente que a reputação da sua marca está em jogo.

Disponibilize suporte via chat antes, durante e depois da compra. Os dois primeiros serão para tirar dúvidas sobre os produtos, serviços, entregas e formas de pagamento, diminuindo assim carrinhos abandonados, já que muitos deixam de comprar por não compreenderem bem o que a loja disponibiliza.

Já o pós-venda terá o intuito de fidelizar o seu cliente. Ele é crucial, pois é o momento para encantar e surpreender. É a ocasião ideal para proporcionar ao seu consumidor uma experiência única. Invista então no elemento surpresa: brinde-o com descontos e/ou frete grátis para a próxima compra.

Se você vende algum tipo de produto que necessita de instalação, outra dica é a de presentear seu cliente com tal serviço gratuito. Por exemplo: “Na compra de três chuveiros da marca X, oferecemos uma instalação grátis* em até sete dias úteis!” Com isso, além de se sentir especial e bem atendido, ele voltará para fazer um novo negócio.

*Só não se esqueça de deixar claro em quais cidades o serviço estará disponível.

Faça liquidações e parcerias + ofereça produtos exclusivos

Esses são outros três elementos — juntos de uma boa divulgação — que te diferenciarão da concorrência. As liquidações são oportunidades de vender produtos que estão parados no estoque e de combinar itens com boa saída e de baixo custo.

Já as parcerias com influenciadores digitais são ótimas tanto para divulgar tanto produtos, quanto serviços. Por exemplo, se você gerencia uma loja de maquiagem e não tem percebido uma boa saída para itens de olhos, esse é o momento ideal para uma cooperação.

Nesse caso, você poderia divulgar: “Na compra de uma sombra cremosa, um delineador e um rímel, ganhe um curso grátis com a maquiadora Y!”. Assim, com certeza sua marca e o trabalho dessa profissional ganharão maior visibilidade.

Os produtos exclusivos são a oferta de algo singular, podendo ser a marca registrada do seu e-commerce. Se você vende artigos esportivos, como camisas de times, ofereça o serviço de customização como um adicional. Isso pode aumentar o valor da compra e, com certeza, chamará a atenção dos fanáticos de futebol.

Pense sempre nas possibilidades e facilidades que só a sua marca poderá proporcionar ao seu comprador. Inovação é a palavra de ordem!

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

 

Crie conteúdos engajadores

Vender bons produtos, ter layouts funcionais e diferentes formas de pagamento faz a diferença? Com certeza! Porém, seu e-commerce não depende só disso. Hoje é preciso ir além. É de extrema importância estar em contato com o seu cliente e não somente no momento da compra.

Por isso, crie conteúdos de qualidade relacionados ao nicho e divulgue-os no seu blog e nas redes sociais. Esses são os meios ideais para se aproximar dos seus seguidores e mantê-los informados sobre as novas tendências.

Se você vende acessórios para o cabelo, por exemplo, invista em posts que ensinem a fazer penteados para diferentes ocasiões. Ou, se você vende brinquedos infantis, crie conteúdos que auxiliem os pais em recreações lúdicas.

Através desses canais, você imprimirá a personalidade da sua marca e assim será muito mais fácil criar um elo de identificação e fidelização com o seu consumidor.

Seja sustentável

Nos tempos atuais, campanhas voltadas à preservação de recursos naturais vêm se tornando cada vez mais frequentes. Governos, escolas e empresas estão se unindo para que ocorra, com maior veemência, uma conscientização mundial.

Por essa razão, sua loja não pode ficar de fora. Seja responsável e transparente em relação aos seus produtos. Se você trabalha com móveis de madeira, por exemplo, indique a origem das peças. Nas entregas, personalize selos de comprovação. E para ganhar ainda mais destaque diante da concorrência, providencie os selos oficiais que são distribuídos por organizações ecológicas.

Se você trabalha com pequenos eletroeletrônicos, negocie: “Envie-nos uma peça quebrada, que está parada na sua casa, e ganhe desconto de 15% na próxima compra!”. Investindo no comércio consciente, seu cliente admirará sua política de venda e voltará para usar o cupom de recompensa.

Busque por economia, agilidade e responsabilidade na hora de empreender. Invista em novos projetos para fazer seu e-commerce crescer ainda mais!

Desenvolva uma voz própria

Sim, é verdade: sua marca precisa ter personalidade, assim como uma pessoa. Ela necessita de uma missão, uma visão e de valores, pois só com essas particularidades será possível transmitir a todos a cultura da sua empresa.

Logo, se você não tem essas características bem delimitadas, repense. Sabendo qual é voz da sua marca e o que deseja transmitir, você automaticamente terá um norte sempre que se sentir em dúvida de qual caminho apostar e investir.

Tudo certo?

Esperamos que essas orientações sobre análise da concorrência tenham inspirado você a continuar empreendendo e investindo na sua marca. Acredite no seu negócio e mãos à obra! 💪

Seu sonho envolve vender pela internet? Então, experimente a Nuvemshop por 30 dias gratuitos e aproveite todas as vantagens da nossa plataforma de e-commerce.

Faça como +50mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Sabemos que migrar sua loja não é uma decisão simples.

Descubra os benefícios e facilidades que a Nuvemshop oferece exclusivamente para migrações.

Saiba mais sobre a migração