Guia completo para fazer vendas online [dicas + ferramentas]

Por: Manoella Curi

Visão de cima de um balcão de loja, com uma tela de computador mostrando um e-commerce e uma pessoa segurando um celular, representando as vendas online.

Aqui você encontra:

Trabalhar com vendas online exige, principalmente, organização. Selecionar os produtos, ordenar a vitrine virtual, gerenciar o estoque e sistematizar a logística são algumas das etapas essenciais para quem quer ter sucesso com um negócio digital.


A tecnologia ganhou espaço na vida das pessoas e se faz cada vez mais presente, inclusive, quando falamos em hábitos de consumo. Nos últimos anos, muitas empresas viram que ter uma loja virtual para fazer suas vendas online não era apenas uma opção, mas também uma necessidade.

O e-commerce brasileiro deu um salto em 2020 e foram movimentados R$ 115,3 bilhões — apenas considerando os meses de janeiro a novembro, segundo um levantamento da Neotrust. E a tendência é que os números cresçam ainda mais. Por isso, saber como trabalhar com vendas digitais pode te colocar um passo à frente no mercado.

Mas, apesar dos investimentos mais baixos, organizar uma loja virtual exige tanto cuidado quanto uma loja física. A gestão pode ser algo complexo quando não se entende a importância de cada etapa na hora de criar e manter um e-commerce.

O ideal é que os departamentos sejam bem definidos, como área comercial, financeira, compras, estoque, atendimento, pagamento, entre outros. E isso vale também para quem vai começar sozinho. Afinal, não é porque você será a única pessoa no negócio que não deve se planejar.

Neste artigo, vamos te apresentar as principais formas e ferramentas para fazer suas vendas online de forma organizada. Além disso, criamos um passo a passo sobre como e por onde começar a trabalhar nesse modelo de negócio. Continue a leitura e aproveite o conteúdo! 🙂

Quais são as vantagens de trabalhar com vendas online?

Trabalhar com vendas online garante ótimas oportunidades para o seu negócio. Mesmo que você já tenha uma loja física, estar na internet pode aumentar (e muito) o seu faturamento.

Mas, além do lucro, existem outros benefícios de se trabalhar com e-commerce. Veja quais são eles!

1. Alcança um maior número de potenciais clientes

Uma das premissas do mundo digital é encurtar distâncias, e isso acontece também quando o assunto são as vendas online. Nesse contexto, as barreiras geográficas não são mais um empecilho para adquirir um produto ou serviço.

Você pode vender para outras cidades, outros estados e até mesmo outros países. Consequentemente, o número de prospects (potenciais consumidores) e clientes que o seu negócio pode alcançar também é bem maior.

💡 Saiba mais: 4 formas de atrair clientes para a sua loja virtual

2. Tem um custo mais baixo

Outra vantagem, quando falamos de ter uma loja virtual, é o baixo investimento, uma vez que, nesse modelo, espaço físico e uma grande equipe de vendedores não se fazem necessários. Dependendo do tamanho do seu negócio, uma pessoa para gerenciar as vendas online, separar e enviar os pedidos já é suficiente.

Com isso, todo esse custo pode ser revertido para outras ações, como melhoria dos produtos ou campanhas de marketing.

3. Incentiva carrinhos de compra mais cheios

Aqui, existem alguns fatores que podem contribuir para que o cliente compre mais na sua loja online do que presencialmente. O primeiro deles — e, talvez, mais relevante — é a existência de frete. Dessa maneira, as pessoas tendem a comprar mais produtos de uma vez só, para “compensar” o valor que estão pagando na entrega.

Mas, mesmo em casos em que a loja oferece frete grátis, essa tendência se mantém. Isso porque é comum que o cliente navegue por toda a loja, encontre tudo o que está precisando no momento e realize uma única compra. Isso garante a ele uma economia de tempo e dinheiro.

Por fim, um terceiro elemento que pode influenciar um carrinho de compras mais cheio é, justamente, o valor dos produtos. Por terem um investimento mais baixo com infraestrutura, os lojistas da internet tendem a cobrar um preço mais barato em comparação às lojas físicas.

4. Está disponível 24/7 para o cliente

Na internet, não existe “horário comercial” e a sua loja não fecha em um determinado momento do dia. Com isso, seu cliente tem a possibilidade de comprar quando quiser: bem cedinho antes de começar a trabalhar, de noite enquanto tem um tempo livre ou durante a madrugada.

Essa flexibilidade é muito positiva para os dois lados da moeda. Seu cliente não se limita ao horário em que a loja está aberta, e você tem chances de vender ainda mais.

Como começar a trabalhar com vendas online?

É natural se sentir confuso na hora de começar novos projetos. Pensando nisso, listamos aqui um passo a passo de como trabalhar com vendas online.

Para que você possa iniciar o seu negócio do jeito certo, é importante ter atenção e organização em cada uma dessas etapas, ok? Vamos lá!

1. Escolha o seu nicho de atuação

Esse é o primeiro passo para qualquer empresa, e com o comércio digital não seria diferente. De início, quanto mais segmentado e especializado for o seu nicho de mercado, melhor.

Para defini-lo e apostar os seus esforços em um negócio que vai trazer bons frutos no futuro, o ideal é balancear três pontos principais:

  • É algo que você gosta de fazer? A sua empresa deve se basear em algo que te motiva, e não só uma coisa que você faz por obrigação e para ganhar dinheiro;
  • É algo que você sabe fazer? É importante investir em um negócio que esteja dentro da sua expertise;
  • É algo de que as pessoas precisam? Você precisa suprir alguma necessidade dos seus possíveis clientes para que eles tenham interesse no seu produto ou serviço.

Por exemplo, se você sabe cozinhar e pretende criar um e-commerce de comidas congeladas, uma boa ideia é começar focando em uma necessidade específica, como pratos vegetarianos ou livres de lactose. Assim, você tem mais chances de conquistar e fidelizar os seus primeiros clientes.

2. Conheça o seu público

Depois de escolher o nicho em que deseja atuar, chegou a hora de conhecer a fundo o seu cliente. Desenhe a persona da sua empresa, entendendo como ela consome e se comunica pela internet. Quanto mais detalhadas forem essas informações, mais fácil será direcionar todas as suas estratégias a partir daqui.

💡 Saiba mais: Buyer persona: como identificar seu cliente ideal?

3. Elabore um plano de negócios

Antes de começar a realizar vendas online, é preciso que você entenda tudo que compreende um e-commerce. Quanto você precisará investir? Quem serão seus parceiros? Quais serão seus concorrentes? Como acontecerá sua estratégia de marketing?

Responder a cada uma dessas perguntas vai te ajudar a entender a dimensão da sua loja virtual e tudo o que precisa ser feito para que os processos fluam de forma organizada e com redução de erros. Além de evitar prejuízos, esta etapa garante que você ofereça uma boa experiência aos clientes que optarem pela sua marca.

Para isso, é importante que você registre todas essas informações em um documento chamado plano de negócios. Nele, deve constar:

  • Sumário executivo: principais informações sobre o negócio;
  • Análise de mercado: apresentação do seu público-alvo, análise da concorrência e de fornecedores;
  • Plano de marketing: organização das ações de divulgação;
  • Plano operacional: detalhamento do funcionamento do seu negócio;
  • Plano financeiro: estrutura de custos contendo tudo que você vai investir em sua empresa.

A elaboração desse documento pode parecer trabalhosa, mas é essencial para que o seu e-commerce tenha um crescimento sustentável e ordenado.

4. Organize a área comercial

Para começar a vender online é preciso organizar o seu departamento comercial. Este setor é responsável por analisar os pedidos dos clientes assim que entram na loja, mesmo que, no início, você mesmo seja a pessoa que vai realizar todas as funções.

Nesse caso, é importante verificar se os pedidos chegaram completos e se os produtos encomendados estão disponíveis no seu estoque. Esse processo evita que o consumidor receba itens diferentes dos que foram encomendados, além de organizar o que entra e o que sai da sua loja.

5. Defina o setor financeiro e os métodos de pagamento

O caminho do pedido tem sua próxima etapa no setor financeiro do e-commerce. Nesse momento, é verificado o crédito do cliente e o meio de pagamento utilizado, como boleto bancário, transferência, depósito, cartão de crédito, entre outros.

Vale lembrar que algumas dessas modalidades precisam de alguns dias para a confirmação. Cabe a você decidir quais delas quer aceitar na sua loja virtual ou não.

Pagamentos instantâneos, ou seja, que não precisam de confirmação ou compensação bancária, devem contar com sistemas antifraude, que detectam problemas nos números dos cartões de crédito e outras divergências de informações. Muitos intermediadores especializados em e-commerce já oferecem esse sistema integrado na plataforma.

💡 Saiba mais: Quais são e como funcionam os meios de pagamento para e-commerce?

6. Controle a área de compras

Alguns e-commerces têm seu próprio estoque. Já os que não têm seus produtos físicos, precisam organizar uma área de compras para que tudo aconteça no tempo correto para os pedidos dos clientes.

Em geral, os lojistas sem estoque compram o produto vendido. Já as grandes marcas firmam parceria com fabricantes e distribuidores, que entregam a encomenda diretamente para o cliente. Existe o intermédio da compra pela loja virtual, mas a entrega é mais rápida e feita de forma direta.

7. Preste atenção ao estoque e à expedição dos produtos

Os e-commerces que têm estoque precisam separar as encomendas de cada venda. É uma etapa que exige atenção, já que os pedidos errados representam prejuízos à loja, que precisa fazer um novo envio e pagar o frete de devolução do cliente — a chamada logística reversa.

Para manter tudo organizado e evitar erros, o ideal é contar com um sistema de organização de estoque que atualize a quantidade de produtos disponíveis a cada pedido. Além disso, é importante fazer uma revisão do produto antes do envio, para que a mesma mercadoria não seja entregue duas vezes.

No caso de produtos que estão no estoque há muito tempo, a dica é criar promoções de “queima de estoque”, que oferecem preços baixos e ainda liberam o espaço que você tem disponível para novos produtos e lançamentos.

💡 Saiba mais: O que é controle de estoque e como fazê-lo?

8. Selecione os tipos de entrega

Uma das principais etapas da venda online é, obviamente, o envio do produto ao cliente. Como nas compras pela internet não existe o contato físico, o consumidor cria grandes expectativas sobre a chegada do produto. Por isso, conhecer e selecionar os tipos de entrega disponíveis na sua loja virtual é tão importante.

Seja pelos Correios ou através de transportadoras, você precisa garantir que a mercadoria vai chegar no dia ou até antes do prazo de entrega que consta no seu site. Esta etapa é um dos principais divisores de águas entre os clientes satisfeitos e os insatisfeitos.

Para te ajudar nesse processo de logística, uma ferramenta muito útil é o que chamamos de gateway de frete.

9. Tenha uma equipe de atendimento ao cliente

Para que seu canal de atendimento ao cliente seja eficiente, é preciso que você conte com diversos pontos de contato. Para isso, esteja nas redes sociais, disponibilize um chat, um e-mail e, se o perfil dos seus clientes exigir, um número de telefone por onde as pessoas possam falar com a sua equipe.

Isso é importante para a resolução rápida dos problemas, já que muitas pessoas ainda desconfiam das compras online, precisam acompanhar os pedidos e tirar suas dúvidas da forma como for mais fácil para elas.

Outra ideia é ter nas suas páginas do e-commerce um botão direto para o seu número de WhatsApp. Se preferir, automatize as primeiras mensagens e filtre-as por assunto antes que cheguem no atendimento humano.

Seja qual for o meio pelo qual você optar, é importante focar em oferecer um excelente atendimento.

📹 Veja também: Como aumentar suas vendas com estratégias de marketing digital?

Formatos e canais para fazer vendas online

Entendendo todos os passos que você precisa dar antes de começar a vender online, agora é o momento de conhecer os canais para realizar, de fato, essas vendas. A internet oferece infinitas possibilidades, e cabe a você analisar quais delas melhor se encaixam no seu modelo de negócio.

Nos próximos tópicos, listamos os principais formatos que você pode explorar no seu e-commerce. Fique atento às nossas dicas! 😉

Loja virtual

A maneira mais conhecida de trabalhar com vendas online é criando a sua própria loja virtual. Para isso, você precisa contar com uma ferramenta de e-commerce funcional e que te ofereça os recursos para facilitar a sua vida como lojista, garantindo a melhor experiência ao seu consumidor.

Com uma plataforma de hospedagem completa e intuitiva, como é o caso da Nuvemshop, você cria sua loja, cadastra os seus produtos e pode começar a fazer suas vendas no mesmo dia. Saiba como, assistindo ao vídeo abaixo:

Além disso, outras vantagens são:

  • Integração com os meios de pagamento e envio;
  • Migração facilitada, caso você já tenha criado o seu site anteriormente;
  • Personalização total da sua vitrine virtual, já que a identidade visual gera mais autoridade e confiança ao seu e-commerce.

💡 Saiba mais: Como criar site de vendas?

Crie sua loja virtual
Testar 30 dias grátis

Marketplace

Podemos comparar o marketplace a um “shopping online”, no qual encontramos vários vendedores em um só ambiente virtual. Com isso, o consumidor tem, à sua disposição, uma maior variedade de produtos, ofertas e condições de pagamento, escolhendo a que melhor atende suas necessidades no momento.

Alguns exemplos dos principais marketplaces brasileiros são o Mercado Livre, Grupo B2W — detendor das Lojas Americanas, Submarino e Shoptime —, Buscapé, Amazon, entre outros.

Para os lojistas que decidem vender por esse canal, as principais vantagens são a estrutura facilitada — sem a necessidade de criar um site para o seu negócio —, a grande visibilidade e o baixo custo investido.

💡 Saiba mais: 7 dicas para vender em um marketplace

Dropshipping

Para quem quer vender online sem ter dor de cabeça com estoques e formas de entrega, o dropshipping é uma ótima opção. Nesse caso, o lojista vai apenas intermediar a relação entre o cliente final e o fornecedor da mercadoria. Mas, depois da compra, todo o processo de separação e envio do produto ao consumidor é feito diretamente por quem o forneceu.

Como qualquer negócio, esse modelo de venda digital também exige dedicação, já que você continua sendo o responsável por criar sua própria loja virtual, atender os clientes e cuidar das divulgações.

Ainda assim, as vantagens do dropshipping são muitas. Saiba mais sobre elas no vídeo abaixo:

Redes sociais

As redes sociais, além de serem um forte canal de divulgação e marketing, podem ser usadas também para as vendas online. O Facebook, por exemplo, criou o seu próprio marketplace, que permite a criação de lojas dentro da rede social.

Você pode realizar transações diretamente na tela dos respectivos aplicativos, ou também usar recursos que redirecionam os usuários para a sua loja virtual. No Instagram, isso pode ser feito pela funcionalidade do “Shopping” e, no YouTube, pelos cards adicionados aos vídeos.

Live commerce

As lives surgiram nas redes sociais e, de um tempo para cá, vêm ganhando força e espaço como mais um formato para vender online. Hoje, existem plataformas especializadas nisso, que permitem realizar as transmissões ao vivo e as vendas, tudo ao mesmo tempo.

O live commerce — ou shopstreaming — é uma forma interessante de usar o entretenimento do marketing de influência para engajar seus clientes e vender mais.

💡 Saiba mais: Como usar o live commerce na estratégia de vendas da sua loja?

E-mail marketing

Muita gente ainda subestima o poder dos e-mails. Mas, a verdade é que essa ainda é uma importante ferramenta de marketing e vendas. Por isso, criar e-mails de promoções, ofertas e lançamentos pode ser um canal poderoso para a sua loja virtual.

Aproveite esse espaço para se aproximar e criar um relacionamento com o seu cliente. Essa nutrição ajuda a estabelecer confiança, entendendo quais são as necessidades e os hábitos de consumo que ele costuma ter.

WhatsApp Business

Mais do que um chat para conversar com os amigos e com o grupo da família, o WhatsApp também está presente nas relações comerciais do brasileiro.

Com o recurso do “Business”, a sua empresa tem acesso a funcionalidades específicas, como a possibilidade de inserir informações do negócio no status do perfil, criação de respostas automáticas, métricas de acompanhamento e separação das conversas por assuntos.

Além disso, o WhatsApp Payments — recentemente aprovado pelo Banco Central — promete revolucionar e facilitar a maneira como fazemos transferências e pagamentos. Assim, torna-se possível vender online diretamente pelo aplicativo.

💡 Saiba mais: Como vender pelo WhatsApp

Quais são os principais tipos de e-commerce?

Também conhecido como comércio digital, loja virtual ou loja online, o e-commerce nada mais é do que o site no qual você pode vender pela internet os seus produtos ou serviços. Assim, o consumidor consegue realizar suas compras com mais facilidade, sem precisar ir até o estabelecimento, e recebendo a mercadoria na sua própria casa.

Existem vários tipos de e-commerce e falaremos sobre cada um deles neste tópico. Continue a leitura para conhecer os modelos de venda online que você pode adotar!

E-commerce Business to Customer (B2C)

No e-commerce B2C (Business to Customer) a relação de compra e venda é estabelecida entre a empresa e o consumidor final. É o tipo de venda digital mais comum e conhecido no mercado, pois tem como exemplo grandes empresas do varejo, como Casas Bahia e Amaro.

Mas você não precisa ser uma gigante do mercado para conseguir vender pela internet diretamente para o seu cliente. O mundo digital está cada vez mais acessível para qualquer lojista ou comerciante que queira vender por aqui também.

Print do site da loja Pimenta Rosa para representar um e-commerce B2C.

E-commerce Pimenta Rosa, que vende óculos diretamente para seus clientes finais.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

E-commerce Business to Business (B2B)

No modelo B2B (Business to Business), a relação comercial acontece entre duas empresas. Revenda de produtos, fornecimento de mercadorias ou matéria-prima, reposição de estoque e Supply Chain são as práticas mais conhecidas nesse caso.

Assim, nas vendas feitas pela internet, esse tipo de e-commerce é adotado, principalmente, por atacadistas ou pelos próprios produtores.

Print do site da Intel para representar um e-commerce B2B.

E-commerce da Intel, que vende computadores e notebooks diretamente para outras empresas.

💡 Saiba mais: O que é e-commerce B2B e como ele se diferencia do B2C?

E-commerce Consumer to Consumer (C2C)

Quando falamos em e-commerce C2C (Customer to Customer), estamos nos referindo às vendas de pessoa física para pessoa física, sem envolver nenhum CNPJ na transação comercial.

Geralmente, essa venda digital acontece diretamente pelas redes sociais, ou através de plataformas que possibilitam que qualquer pessoa anuncie um produto por ali. Alguns exemplos mais conhecidos são a OLX, o Enjoei e o Mercado Livre.

Diferentemente das lojas oficiais das marcas, esse modelo de e-commerce tem abertura para os “desapegos” e para a venda de produtos usados ou de segunda mão. Por estimular o consumo consciente e a economia de dinheiro, vem se tornando cada vez mais comum.

Print do site Enjoei para representar um e-commerce C2C.

Site Enjoei, que permite a venda de produtos de pessoa física para pessoa física.

E-commerce Consumer to Business (C2B)

Já na modalidade de e-commerce C2B (Customer to Business), quem compra é uma empresa e quem vende é uma pessoa física, invertendo, assim, a relação comercial mais tradicional.

Um exemplo muito comum são fotógrafos e designers que vendem seus trabalhos em bancos de imagem online, como Shutterstock e Freepik Premium. Nesses casos, a empresa que está precisando de fotos ou vetores para suas peças publicitárias precisa pagar por esses conteúdos.

Print do site Shutterstock para representar um e-commerce C2B.

Site Shutterstock, que trabalha com a venda de banco de imagens para empresas.

👉 Saiba mais: O que é e-commerce e como ele funciona?

Quais os melhores produtos para vender na internet?

No mundo das vendas online, falamos o tempo todo em conceitos como nicho de atuação e encontrar a persona certa para o seu negócio. Pensando em te ajudar a ter ideias e a saber o que costuma funcionar bem, neste tópico, listamos os melhores tipos de produto para vender online!

1. Moda e vestuário

O segmento da moda é um dos carros-chefe quando falamos em e-commerce. Dentro da plataforma da Nuvemshop, por exemplo, 42% dos clientes são deste segmento — segundo informações do NuvemCommerce 2021, relatório anual com dados do comércio online.

Roupas, sapatos, moda praia ou acessórios. Para crianças, idosos, homens ou mulheres. Sabemos que, na internet, a concorrência é grande. Mas as possibilidades e combinações, também. Por isso, o ideal é começar atuando de maneira bem focada em uma dessas categorias.

💡 Saiba mais: Como montar uma loja virtual de roupas?

2. Saúde, beleza e cosméticos

Com a crise sanitária causada pela pandemia, esse foi um setor que cresceu em 2020, fechando o ano com alta de 5,8%, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC).

Mas, além dos itens de higiene necessários para as medidas de segurança contra o Covid-19 — como álcool gel e sabonete líquido —, o nicho dos produtos voltados para autocuidado e beleza também merece destaque: o crescimento foi de 21,9% em comparação a 2019.

3. Alimentação

A venda de alimentos e o delivery de comidas prontas também é uma tendência interessante para quem quer trabalhar com vendas online. Além da preocupação com a saúde, a falta de tempo e a rotina do home office fazem com que as pessoas busquem por alternativas mais práticas.

Um exemplo disso são as “quitandas online”, que levam alimentos frescos, retirados direto da horta, até a casa dos consumidores. Nesse caso, a praticidade de não precisar ir ao mercado e a qualidade dos produtos são fatores que ganham o coração da clientela.

4. Artesanato

Já pensou em transformar um hobby ou trabalho artístico em negócio? Pois isso está cada vez mais comum nas redes sociais e lojas online.

Os trabalhos manuais e personalizados — como bordados, pinturas, macramês, entre outras coisas — são uma fonte de renda para muitas pessoas. Por serem, muitas vezes, peças únicas e feitas sob encomenda, essa é uma ótima maneira de mirar em um nicho de atuação mais específico.

💡 Saiba mais: Como calcular o preço do meu artesanato?

5. Mercado pet

O Brasil tem o 2° maior mercado pet de todo o mundo, e isso pode trazer muitas oportunidades para o seu negócio online. Os animais de estimação são como filhos e, durante a pandemia, se tornaram as principais companhias para muitos donos.

As opções vão desde acessórios, roupas e caminhas, até comidas balanceadas e feitas especialmente para as características de cada cachorro. O e-commerce Simple Dog, por exemplo, tem um case de sucesso bem interessante nesse ramo.

6. Papelaria

Principalmente com a adoção do home office por muitas empresas, os artigos de papelaria e escritório também passaram a ser mais procurados. A principal necessidade é montar um espaço confortável de trabalho, com recursos parecidos com os que eram disponibilizados pelas empresas.

Móveis, luminárias, planners e até post-its são itens cada vez mais valorizados para a rotina do trabalho em casa.

7. Produtos digitais

Trabalhar com vendas online permite, ainda, que você ofereça produtos digitais aos seus clientes. Ou seja, e-books, cursos, webinars e outros tipos de experiências, que não necessariamente precisam ter a sua versão offline.

As pessoas estão buscando cada vez mais aprendizado. Use a sua expertise para encontrar o nicho de conteúdo que deseja produzir, crie os seus materiais e comece a vender!

Resumo

Ufa! Quanta coisa falamos neste artigo, hein? Acredito que, depois deste guia, você já se sinta mais preparado para trabalhar com vendas online, não é mesmo?

Mas, para não perder nenhuma informação importante e relembrar os nossos principais pontos, preparamos um resumo final para você! 😉

Quais as vantagens de trabalhar com vendas online?

  1. Alcança um maior número de potenciais clientes
  2. Tem um custo mais baixo
  3. Incentiva carrinhos de compra mais cheios
  4. Está disponível 24/7 para o cliente

Como começar a trabalhar com vendas online?

  1. Escolha o seu nicho de atuação
  2. Conheça o seu público
  3. Elabore um plano de negócios
  4. Organize a área comercial
  5. Defina o setor financeiro e os métodos de pagamento
  6. Controle a área de compras
  7. Preste atenção ao estoque e à expedição dos produtos
  8. Selecione os tipos de entrega
  9. Tenha uma equipe de atendimento ao cliente

Formatos e canais para fazer vendas online

  • Loja virtual
  • Marketplace
  • Dropshipping
  • Redes sociais
  • Live commerce
  • E-mail marketing
  • WhatsApp Business

Quais são os principais tipos de e-commerce?

  • E-commerce Business to Customer (B2C)
  • E-commerce Business to Business (B2B)
  • E-commerce Consumer to Consumer (C2C)
  • E-commerce Consumer to Business (C2B)

Quais são os melhores produtos para vender na internet?

  1. Moda e vestuário
  2. Saúde, beleza e cosméticos
  3. Alimentação
  4. Artesanato
  5. Mercado pet
  6. Papelaria
  7. Produtos digitais

E, se você se animou com a ideia de fazer vendas online, te convido a fazer um teste de 30 dias grátis na plataforma da Nuvemshop. Temos certeza de que você terá ótimos resultados! 💙

Faça como +80mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer trabalhar com vendas online?

Crie a sua loja virtual na plataforma da Nuvemshop e comece a fazer as suas vendas pela internet hoje mesmo!

Testar 30 dias grátis

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies