Aprenda como calcular preço de artesanato

Por: Kawan Lopes

Imagem mostrando materiais de artes representando como calcular o preço de artesanato.

Para calcular preço de artesanato é necessário levar em conta alguns fatores como: investimento inicial, os custos fixos e com matéria-prima do seu negócio e valor da hora trabalhada.


Uma das maiores dificuldades de quem produz itens manuais é saber como calcular preço de artesanato. Isso porque, além do custo com matéria-prima, há alguns gastos não tão palpáveis assim, como custos fixos, horas de trabalho, melhorias do ateliê, entre outras coisas.

É necessário saber valorizar o seu trabalho, pois o seu tempo e a sua habilidade também são muito importantes e custam dinheiro. É preciso ter o controle e saber exatamente o porquê do preço escolhido – e ainda poder tomar decisões conscientes na hora de oferecer um desconto ou um frete grátis.

Pensando nisso, nós vamos te ensinar o que levar em consideração na hora de precificar o seu produto. Vale lembrar que isso não é uma fórmula definitiva. O valor do seu artesanato vai depender muito também do preço dele no mercado e da sua habilidade e experiência. Quanto mais técnica, perfeição e demanda o seu trabalho tiver, mais você pode cobrar por ele.

Portanto, confira, a seguir, seis passos para calcular o preço de artesanato. 😉

1. Mensure o investimento inicial

Se você decidiu que quer levar sua produção de artesanato adiante e transformá-la em um negócio, será necessário fazer um investimento inicial. Por menor que sejam, esses gastos são necessários e deverão estar no seu plano de negócios e no seu planejamento financeiro para que você saiba se está vendendo o suficiente para cobrir esse investimento.

Suponhamos que você crie bonecas de pano artesanais e, para começar a trabalhar, precisou adaptar um cômodo da sua casa e fazer uma reforma no seu ateliê, gastando R$ 3.000 com isso. Depois, você investiu R$ 300 em uma máquina de costura e mais R$ 1.500 no marketing digital para promover sua loja online. Seu investimento inicial, portanto, foi de R$ 4.800.

Depois disso, é importante definir em quanto tempo você deseja pagar esse investimento. No nosso exemplo fictício, vamos estabelecer uma meta de dois anos para que esse investimento se pague, portanto:

R$ 4800 (investimento inicial) ÷ 24 meses = R$ 200

O que isso significa? Que para que você não saia no prejuízo suas vendas mensais devem atingir no mínimo o valor de 200 reais.

Você não precisa colocar esse investimento no custo do produto, mas deve ter ele sempre em mente para calcular a quantidade da sua produção e venda. Se você não bater esse número mínimo durante o mês, quer dizer que o seu negócio ainda não começou a se pagar.

2. Mapeie os custos fixos

Existem outros custos que também devem ser colocados no papel para um maior controle. Tratam-se dos custos fixos que você terá todos os meses para manter seu ateliê funcionando. Como: internet, energia elétrica, mensalidade da plataforma virtual que você usa, aluguel do seu espaço, entre outros. Considerando que nosso ateliê fictício funciona em casa e não temos gasto com aluguel, vamos considerar que nosso custo fixo é de 300 reais mensais.

3. Calcule o valor da hora

Assim como qualquer outra profissão, você deve ganhar sim pelo tempo que você gasta trabalhando. E esse tempo inclui não só o momento da confecção da peça, como também o tempo que você usa para comprar a matéria-prima, atender os clientes, fechar pedidos e cuidar da loja virtual.

Quantas horas por dia você está disposto a trabalhar? Se essa é a sua única atividade, recomendamos que separe cerca de oito horas por dia de segunda a sexta feira. Como um mês tem geralmente 22 dias úteis, isso seria cerca de 176 horas mensais.

Depois disso, estipule qual seria o seu salário pelas horas trabalhadas. Se você está começando e ainda não tem tanta procura do seu produto, recomendamos que encontre um valor entre R$ 1.000 e R$ 2.000 ao mês.

No nosso exemplo, escolhemos um salário de R$ 1.200. Mas, vamos adicionar um extra que será dedicado a melhorias, como cursos de aperfeiçoamento e alguns materiais que precisaremos comprar. Calculamos mais R$ 100 por mês.

Pronto. Agora é só fazer a conta para saber o valor da sua hora:

R$ 1200 (salário) + R$ 100 (melhorias) ÷ 176 (horas por mês) = R$ 7,38

Arredondando, o valor da sua hora de trabalho inicialmente seria de R$ 7,40.

4. Separe os gastos com matéria-prima

Agora chegou a hora de começar a calcular o valor de cada produto. Para isso, você precisa saber quanto gasta de matéria-prima com cada um deles. Lembre-se de incluir também os gastos com a embalagem para artesanato.

Vamos supor que o tecido que você utiliza para as suas bonecas custa R$ 20 o metro e que para cada boneca você precisa de aproximadamente dez centímetros de tecido. Isso quer dizer que você gasta R$ 2 de tecido com cada boneca. Faça essa conta com todos os materiais que você usa para fabricar seu produto, incluindo itens como cola, papel para molde, etc.

Bom, a nossa boneca custa, em média, R$ 15 para ser fabricada. Agora, vamos calcular o preço de custo.

5. Fórmula para chegar no preço de custo

Para chegar no preço de custo você pode incluir os seus custos fixos, definir quantas peças você pode produzir por mês e seguir a seguinte fórmula:

(Custo fixo ÷ número mensal de peças) + gastos com matéria-prima = preço de custo

Supondo que o número de peças que vamos produzir por mês é 35 e já com todos os outros dados na mão, o nosso preço de custo é de R$ 23,57.

6. Defina o preço de venda

Após definir quanto custa o seu produto, você precisa estipular a que preço vai vender seus artesanatos para obter um lucro justo. Por isso, a sua hora trabalhada conta muito. O próximo passo é saber quantas horas em média você gasta para produzir cada peça e multiplicar esse número pelo valor da sua hora.

No nosso caso, produzimos cada boneca em quatro horas, então o tempo de produção vale em torno de R$ 29,60. Somando esse número ao preço de custo obtido acima, chegamos no preço de R$ 53,17.

Pronto! Agora você já tem uma ideia de quanto deve custar o seu produto, mas lembre-se que isso pode variar bastante. Para ter uma base se o seu preço está justo, pesquise seus concorrentes e veja qual o valor geral de um produto como o seu. Dependendo do que encontrar, aumente um pouco esse valor para cobrir gastos não esperados.

Mantenha sempre em mente o valor investido e busque ultrapassar sua meta mínima mensal. E claro, use o bom senso na hora de definir seus gastos, horas de trabalho e investimentos.

P.S.: Não se esqueça que não incluímos o frete nessa conta. O envio geralmente é pago à parte. Você pode tornar o frete mais barato ou até gratuito para algumas peças se ajustar suas contas de modo que isso não prejudique o seu orçamento.

Resumo

Espero que esse artigo tenha te ajudado a descobrir o que levar em consideração na hora de definir o preço do seu artesanato. Como dissemos anteriormente, essa é só uma base; você pode fazer outras contas para chegar no valor do seu produto, mas tenha sempre em mente todos esses fatores.

Antes de finalizar, confira um rápido resumo:

Como calcular preço de artesanato?

  1. Mensure o investimento inicial
  2. Mapeie os custos fixos
  3. Calcule o valor da hora
  4. Separe os gastos com matéria-prima
  5. Fórmula para chegar no preço de custo
  6. Defina o preço de venda

Por fim, se você deseja vender online, nossa última dica é testar por 30 dias grátis a plataforma para lojas virtuais da Nuvemshop. É prático, seguro e você não precisa de conhecimentos técnicos! 💙

Aqui você encontra:

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies