O que são e como vender produtos digitais pela internet?

Por: Manoella Curi

Mesa de trabalho com notebook e bloco de notas representa como vender produtos digitais

Os passos para vender produtos digitais são:

  1. Escolha um segmento
  2. Defina o seu público
  3. Faça uma análise da concorrência
  4. Encontre o melhor formato
  5. Precifique corretamente

Quer se aprofundar em cada um deles? Então, continue a leitura!


Com o crescimento das atividades remotas e não presenciais nos últimos anos, vender produtos digitais está se tornando um mercado cada vez mais aquecido.

Hoje, o consumo de cursos online e e-books se destaca por sua facilidade, qualidade dos materiais e baixo investimento necessário. Além disso, esses são formatos ideais se a sua estratégia de marketing tem o objetivo de gerar autoridade e atrair clientes para a sua marca.

Por isso, pensando em te ajudar a entrar nesse universo e a montar uma loja virtual para ganhar dinheiro com infoprodutos, nós preparamos este conteúdo especial. Aqui, você vai conferir exatamente o que são, quais os principais formatos e como vender produtos digitais na internet.

Continue a leitura e aproveite as nossas dicas! 📝

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

O que são produtos digitais?

Produtos digitais são materiais oferecidos e comercializados pela internet que podem, ou não, ter uma versão offline — como e-books, webniras, newsletter, etc. Também conhecidos como infoprodutos, eles têm o objetivo de informar e agregar valor sobre um determinado assunto ao usuário.

A flexibilidade dos produtos digitais permite que você aborde os mais variados temas, além de poder utilizar essas peças na estratégia de marketing digital do seu negócio. Dessa maneira, os infoprodutos são ótimas alternativas para agregar mais autoridade à sua marca e atrair novos leads e possíveis clientes.

6 formatos de produtos digitais mais usados no mercado

O segmento dos produtos digitais ficou popular com os e-books, mas existem muitas opções de formatos que você pode escolher. Veja esta e outras principais nos tópicos abaixo:

1. E-books

Os livros digitais ganharam o coração dos leitores depois dos e-readers, como Kindle e Kobo. Tem quem ainda seja fã dos livros físicos e não abre mão da experiência de folhear as páginas, mas os e-readers apresentam várias vantagens: a principal delas é o fato de não ocuparem espaço e poderem ser levados para qualquer.

Além disso, por não envolver o processo de impressão, o custo de produção fica menor e a diferença de preço também acaba sendo um diferencial importante.

👉 Confira a nossa seleção de e-books

2. Webinars

Webinars (ou webinários) são seminários e palestras que acontecem na web. Eles têm um conteúdo mais curto do que um curso online, por exemplo, e podem ser gravados ou transmitidos ao vivo, por plataformas como Youtube ou Twitch.

Além disso, este formato pode ser uma boa estratégia para divulgar outros produtos ou servir de introdução para um curso mais longo.

💡 Saiba mais: Como fazer live?

3. Cursos online

Os cursos online são um bom método para ensino à distância e, assim como os webinars, podem ser gravados ou ao vivo.

Quando gravados, têm a possibilidade de serem em um formato on demand, no qual as pessoas podem escolher assistir os vídeos na hora que quiserem. Já os cursos ao vivo podem trazer dinâmicas mais interativas para tirar dúvidas e proporcionar networking entre os alunos.

Os nichos para cursos online são cada vez mais diversificados. Existem os de graduação e pós-graduação 100% online, mas também as formações complementares. Ou seja, que são focados em conhecimentos práticos específicos para melhorar o currículo e expandir os conhecimentos nas áreas relacionadas à carreira.

Além disso, está cada vez mais comum transformar conteúdos que geram entretenimento, como receitas ou tutoriais DIY (Do It Yourself ou “faça você mesmo”, em português), em cursos de:

  • Culinária;
  • Consultoria de estilo;
  • Customização de roupas e renovação de armário;
  • Meditação e yoga;
  • Treinos em casa;
  • Entre outros.

👉 Conheça os cursos da Universidade do E-commerce

4. Experiências

Outro nicho que está muito próximo das aulas online voltadas para hobbies e entretenimento são as propostas de experiências imersivas online.

O Airbnb, por exemplo, tem uma categoria de serviços oferecidos por pessoas do mundo inteiro, na qual os usuários podem vivenciar atividades únicas e experiências incríveis com moradores locais em suas viagens.

Porém, com o distanciamento social, uma das medidas recomendadas para reduzir o avanço da pandemia da Covid-19, surgiram novas demandas e, por ora, essas experiências são oferecidas online. Nesse caso, vale de tudo: oficinas de pintura, culinária típica, workshop de fotografia, história da arte local e muito mais.

Este é um tipo de serviço que diminui ainda mais as barreiras geográficas e culturais no mundo e tende a ficar cada vez mais popular.

5. Podcasts

O podcast também é um formato de produto digital que ganhou uma legião de fãs nos últimos tempos. Quer coisa melhor do que se informar sobre algum assunto enquanto realiza outras atividades, como trabalhar ou fazer exercícios físicos?

Segundo uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Podcasters, atualmente, 8% de toda a população do país consome este tipo de conteúdo. Isso demonstra uma forte tendência de crescimento para os próximos anos e pode ser uma boa oportunidade para a sua empresa.

A principal característica do podcast é o fato de transmitir informações somente com o uso do áudio. Sem determinação de tempo, os programas podem ter curta ou longa duração, seguindo o objetivo do negócio. Além disso, para criar uma conexão com o público, a ideia é ter um apresentador fixo, que recebe os convidados e entrevistados.

💡 Saiba mais: Como fazer um podcast: guia completo para começar

6. Newsletters

Já a newsletter é um tipo de infoproduto no qual o usuário recebe o conteúdo por e-mail, após se cadastrar em uma lista já sabendo que esta comunicação chegará periodicamente em sua caixa de entrada.

Assim como todos os outros anteriores, a newsletter pode abordar os mais diversos assuntos, como tecnologia, marketing, psicologia, entre outros. A grande vantagem, neste caso, é a possibilidade de criar um relacionamento próximo com o seu leitor.

Para isso, tenha um tom de voz único e que traduza a personalidade do seu negócio. Assim, será muito mais fácil conquistar a simpatia, a credibilidade e assiduidade do seu público-alvo. Uma ferramenta que pode ajudar neste processo é a criação de uma persona — ou seja, a representação de um cliente ideal — que será o foco dos seus produtos digitais.

💡 Saiba mais: O que é persona e como criar uma para o seu negócio?

Como escolher a plataforma para vender produtos digitais?

Depois de definir formato, público e preço, você vai precisar ter um site para vender produtos digitais. E, para isso, é fundamental fazer uma boa escolha da plataforma de e-commerce onde você vai hospedar esses conteúdos.

Nem todas as ferramentas são feitas para comportar materiais audiovisuais. Por isso, é necessário escolher uma ferramenta que tenha um carregamento rápido para não prejudicar a experiência dos seus clientes durante o consumo do seu conteúdo.

Além disso, você também tem a opção de fazer a exposição e venda pela loja virtual e enviar o produto digital por meio de outra ferramenta. Por exemplo, em casos de peças audiovisuais, você pode mandar um link para o vídeo hospedado no Youtube, que deve ser publicado no privado.

É importante pensar também nos custos da criação do seu e-commerce e, nesse caso, pode ser bem interessante buscar por plataformas que possibilitam criar a sua loja de forma rápida e fácil sem precisar contratar desenvolvedores e designers.

Com a Nuvemshop, por exemplo, você consegue oferecer uma ótima experiência para os seus clientes, com um investimento justo e muito mais praticidade.

👉 Como vender produtos digitais ou serviços na minha loja?

Crie sua loja virtual e comece a vender!
Testar 30 dias grátis

5 dicas de como vender produtos digitais

Se você se interessou por esse mercado, mas não sabe por onde começar, não se preocupe! Neste tópico, listamos pontos essenciais para você considerar antes de montar um e-commerce e vender produtos digitais. Confira:

1. Escolha um segmento

Como os produtos digitais estão diretamente relacionados à informação e experiências imersivas, é fundamental pensar qual tipo de conteúdo você quer passar por meio dos seus infoprodutos. Será focado em formação complementar ou conteúdos ligados à hobbies e entretenimento?

Ao decidir o segmento, é importante fazer alguns questionamentos como:

  • É um assunto que você domina?
  • Quem serão os profissionais envolvidos?
  • Quem é o público que tem interesse por esse assunto?
  • Quais são os seus concorrentes diretos e indiretos?

Com essas perguntas respondidas, será muito mais fácil começar a montar o seu escopo de trabalho.

2. Defina o seu público

Conhecer seu público é fundamental para estruturar diversos pontos da sua estratégia, desde formato, comunicação e até preço.

Por exemplo, se o seu público tem entre 25 e 35 anos — que possivelmente está em um momento-chave da carreira —, será que, para ele, é mais importante assistir aos conteúdos no horário que quiser ou participar de um curso ao vivo com a possibilidade de conhecer outros colegas de profissão e fazer networking? E qual será o valor que esse público está disposto a pagar por isso?

Para vender online, faça uma pesquisa aprofundada para conhecer bem as preferências dos seus potenciais clientes. Quanto mais você envolver seus futuros usuários na criação do seu produto, mais chances você tem de criar ofertas assertivas e garantir o sucesso do seu negócio.

💡 Saiba mais: O que é persona e como criar uma para o seu negócio?

3. Faça uma análise da concorrência

Além de conhecer quem vai consumir o seu conteúdo, é muito importante conhecer quem também oferece produtos como os seus. Quais os formatos disponíveis, como funciona a comunicação, quais os preços, formas de pagamento etc.

Sabendo as opções oferecidas pelos concorrentes fica mais fácil descobrir oportunidades para se diferenciar. Por exemplo, se a maior parte dos cursos é gravado, que tal fazer ao vivo e deixar disponível no seu site para ser consumido depois? Se o seu produto é mais caro do que o mercado, que tal oferecer opções de parcelamento?

💡 Saiba mais: Análise da concorrência: o que é e como fazer para se destacar

4. Encontre o melhor formato

Agora que você já pesquisou a fundo seu público e seus concorrentes, fica mais fácil definir quais formatos oferecer para chamar a atenção dos seus potenciais clientes e ainda se diferenciar dos concorrentes, não é mesmo?

Lembre-se de que você não precisa se prender a um só modelo. Um mesmo conteúdo pode ser um e-book para introduzir o assunto e um webinar com informações mais diretas e resumidas. Já para dar profundidade ao assunto, um curso mais longo para quem quer aprender de forma mais detalhada é uma ótima alternativa.

A variação dos formatos exige mais trabalho na hora de planejar e produzir os materiais, mas amplia as suas possibilidades de vendas online.

5. Precifique corretamente

A precificação de produtos digitais varia muito, principalmente de acordo com o formato e a procura pelo assunto que vai ser falado.

Para definir o preço, você vai precisar levar em consideração todos os seus custos para a produção do material, desde o roteiro, produção audiovisual, profissionais que ministrarão os conteúdos até impostos e taxas dos meios de pagamentos digitais.

5 canais para divulgar seus produtos digitais

A divulgação também é um ponto fundamental de uma estratégia de venda de produtos digitais. Conheça, agora, quais são os principais canais para isso:

Programa de afiliados

Usar o marketing de afiliados para vender seus produtos digitais é uma ótima alternativa. Neste modelo, você conta com pessoas que serão como promoters dos seus infoprodutos. Assim, cada um deles fica responsável pela própria estratégia de divulgação.

Nesta relação, além do produtor do conteúdo, do afiliado e do cliente, há também o envolvimento da rede do programa de afiliados. Ou seja, é o que irá determinar toda a estrutura do plano de vendas, desde os canais escolhidos até a remuneração dos afiliados.

E-mail marketing

Assim como a newsletter é um formato de produto digital que atrai muitas pessoas, o e-mail marketing também é um excelente canal de divulgação.

A partir do momento em que o usuário já disponibilizou seu endereço eletrônico, ele se mostra disposto a receber comunicados e novidades sobre o seu negócio. Portanto, utilizar esta ferramenta para anunciar o lançamento de um novo e-book ou curso online pode ser muito efetivo.

💡 Saiba mais: 15 ferramentas de e-mail marketing totalmente grátis

Aplicativos de mensagens instantâneas

Tanto o Telegram quanto o WhatsApp são ferramentas de mensagens instantâneas utilizadas por muitas pessoas como uma maneira de se atualizar e buscar novos conteúdos. Por eles, é possível criar grupos fechados, nos quais somente o administrador poderá publicar.

Divulgar seus produtos digitais por esses canais torna a comunicação com seu possível cliente ainda mais próxima, uma vez que, além dele ter demonstrado interesse em entrar no grupo, você ainda conseguirá impactá-lo pelo celular, diretamente na palma da sua mão.

💡 Saiba mais: Como vender pelo WhatsApp?

Redes sociais

Bem conhecidas das estratégias de marketing, as redes sociais são uma ferramenta de divulgação fundamental para vender produtos digitais. Por este canal, você consegue apostar em comunicações orgânicas e/ou patrocinadas.

Por meio de plataformas como o Facebook ou Instagram Ads, além de integrar sua loja virtual, você ainda cria anúncios e postagens com a capacidade de atingir milhares de usuários e atrair novos clientes para conhecer a sua empresa e seus produtos digitais.

💡 Saiba mais: Guia completo sobre como vender nas redes sociais

Blog

Por último, você também pode divulgar seus infoprodutos por meio do blog da sua empresa. Utilizando o marketing de conteúdo e as técnicas de SEO, este é um excelente canal para buscar o rankeamento orgânico nos mecanismos de busca, como o Google.

Além de utilizar banners e CTAs (call-to-action ou, em português, chamadas para ação) diretos para o seu produto digital, também é possível criar artigos relacionados aos assuntos do seu universo de atuação.

💡 Saiba mais: Como um blog pode aumentar a audiência do seu e-commerce

Resumo

Com todas essas dicas não dá mais para perder tempo, certo? Faça suas pesquisas, defina mercado, público, formato e preços, crie seu e-commerce do zero e comece já a vender produtos digitais!

Antes de terminar, confira um resumo rápido dos pontos abordados neste conteúdo:

O que são produtos digitais?

Produtos digitais são materiais oferecidos e comercializados pela internet que podem, ou não, ter uma versão offline.

6 formatos de produtos digitais

  1. E-books
  2. Webinars
  3. Cursos online
  4. Experiências
  5. Podcasts
  6. Newsletters

Como escolher a plataforma para vender produtos digitais?

Para hospedar e vender seus produtos digitais é fundamental escolher uma boa escolha da plataforma de e-commerce, na qual você irá criar a sua loja virtual.

5 dicas de como vender produtos digitais

  1. Escolha um segmento
  2. Defina o seu público
  3. Faça uma análise da concorrência
  4. Encontre o melhor formato
  5. Precifique corretamente

5 canais para divulgar seus produtos digitais

  1. Programa de afiliados
  2. E-mail marketing
  3. Aplicativos de mensagens instantâneas
  4. Redes sociais
  5. Blog

E, para te dar mais um empurrãozinho, aproveite os 30 dias de teste gratuito da Nuvemshop e comece a vender seus produtos digitais! 📱

Aqui você encontra:

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer vender produtos digitais?

Crie agora sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional.

Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies