Como escolher o melhor frete? Tipos e dicas para economizar

Por: Andressa Barbosa

Baús de caminhões, representando os tipos de frete

Você já ouviu falar em frete CIF e frete FOB? Se essas siglas não lhe soam familiares, está na hora de mudar isso! Chamamos a sua atenção para esses tipos de frete porque não é à toa que esse fator é responsável por mais de 80% dos carrinhos abandonados no e-commerce.

A entrega é um determinante para a experiência de compra e essencial para incentivar — ou não — o consumidor a fechar o pedido. Mas não é só isso. O frete é um dos elementos fundamentais também para o sucesso do seu negócio.

É por esse motivo que você precisa conhecer as diferentes modalidades de envio de encomendas: para entender como elas podem se encaixar no seu e-commerce.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

Quais são os tipos de frete?

Os tipos de frete mais utilizados atualmente são o CIF e o FOB — siglas citadas na introdução. A seguir, descubra as características de cada um deles e da Entrega Expressa.

CIF

A principal característica do frete CIF é que a responsabilidade do envio da encomenda é do próprio fornecedor do produto. Ou seja, de quem embarca a mercadoria.

A sigla vem originalmente da língua inglesa e se refere à expressão Cost, Insurance and Freight, que traduzida para o português significa: Custo, Seguro e Frete.

Outro ponto importante dessa modalidade é que ao ser responsável pelo transporte do pacote, o fornecedor também é quem paga pelo frete na origem da postagem.

Entretanto, isso não quer dizer que o frete irá sair de graça para o comprador. Nessa situação, é comum o remetente cobrar a quantia gasta na logística embutindo o custo no preço final do item.

💡 Saiba mais: Como fazer entregas de loja virtual?

💡Saiba mais: Como enviar encomenda por transportadora no e-commerce?

FOB

Ao contrário do frete CIF, no frete FOB quem compra o produto assume toda a responsabilidade pelo transporte da mercadoria. Resumindo, o trabalho do fornecedor termina no momento em que a compra é concluída.

Logo, o destinatário que escolher usar o frete descrito pela sigla FOB (Free on Board ou Livre a Bordo, em tradução) precisará negociar os custos e cuidar de todo o processo logístico: desde escolher o melhor seguro, a forma de despacho do pacote e a contratação do serviço para entregar a encomenda.

💡 Saiba mais: O que é frete aéreo e como ele funciona?

Quais são os modelos de contratação de frete?

Além do CIF e do FOB, que são tipos de frete que diferem em relação à cobrança e à responsabilidade sobre a mercadoria, e da Entrega Expressa, existem outras classificações possíveis. Elas dizem respeito a aspectos variados das encomendas.

Referente ao modelo de contratação do frete, há também diferentes tipos:

Contratação normal

Na contratação normal, não há nenhum intermediário no processo. A transportadora recolhe a encomenda com o fornecedor/vendedor e a leva diretamente ao destinatário.

Subcontratação

O modelo de subcontratação é aquele em que a transportadora contratada terceiriza o serviço de entrega a outra empresa. Essa modalidade pode ser escolhida, por exemplo, quando o destino está fora da área de cobertura da transportadora escolhida.

Redespacho

O redespacho é um modelo de contratação em que o percurso de entrega é realizado por duas transportadoras. A empresa contratada pelo cliente faz o percurso do ponto A até o B, e outra transportadora contratada faz o trajeto do ponto B até o destino final.

Redespacho intermediário

Neste tipo, a empresa contratada terceiriza todo o processo de entrega. É contratada uma transportadora que irá receber a mercadoria e realizar o transporte até o ponto B, onde outra transportadora pegará o pacote e levará até o ponto final.

Quais são os tipos de carga?

A forma como as cargas são entregues também influenciam o tipo de frete. Conheça, na sequência, as seis principais modalidades de carga.

1. Carga fracionada

A carga fracionada é aquela composta por diversos itens com volume reduzido. Aqui, para que o valor do transporte não fique muito alto, a carga precisa ser preenchida com várias encomendas.

Em geral, para otimizar o frete, as entregas de lojas virtuais são feitas dessa forma: com vários produtos em um mesmo transporte.

2. Carga lotação

Nesse caso, uma única entrega — com um ou mais itens volumosos ou pesados — ocupam todo o veículo. Desse modo, a carga é otimizada, mesmo que o(s) produto(s) tenha(m) apenas um destinatário.

3. Carga leve

Uma carga leve é aquela que, mesmo que ocupe o volume total do veículo, não atinge o peso máximo suportado. Isso pode acontecer, por exemplo, com algodão, absorventes descartáveis, fraldas descartáveis, papel higiênico etc.

4. Carga pesada

Ao contrário da carga leve, a pesada é aquela que não necessariamente enche o volume máximo do veículo, mas chega ao peso suportado. Máquinas de metal, por exemplo, podem se encaixar nesse caso.

5. Alto valor agregado

Cargas com alto valor agregado tendem a exigir mais cuidados em relação ao veículo que irá transportá-las. Algumas vezes, é necessário até mesmo um serviço de escolta, o que acaba encarecendo consideravelmente o frete.

6. Baixo valor agregado

Cargas de baixo valor agregado são, em geral, insumos e materiais de construção. Nesse caso, o tipo de frete precisa ser muito bem planejado, pois o preço do transporte pode acabar saindo mais caro que as próprias mercadorias.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

Quais são as vantagens e desvantagens do frete CIF?

Conforme mencionamos antes, o CIF se destaca por ser a modalidade mais prática para o destinatário. Afinal ele fica livre de ter que agilizar todos os processos para garantir o transporte do pedido assim que a compra é realizada.

E é exatamente pela praticidade que este é o meio mais utilizado por empresas B2C (empresas que vendem diretamente para clientes) e no e-commerce.

Para você entender melhor, separamos as principais vantagens e desvantagens desse tipo de frete para quem contrata esse serviço. Ou seja, para quem compra a mercadoria. Confira:

Vantagens

  • Maior facilidade para o cliente, que não precisará se preocupar com todos os procedimentos logísticos para a entrega da encomenda;
  • Simplificação da logística de frete para quem adquire os produtos, já que essa parte fica sob a responsabilidade do embarcador da mercadoria;
  • Sem ter que se envolver na contratação de frete, sobra mais tempo para se dedicar às vendas, por exemplo.

Desvantagens

  • Pouco controle sobre o envio da remessa, portanto não é o serviço mais indicado se você precisa ter uma supervisão mais rigorosa durante o transporte;
  • Sem autonomia para escolher alternativas de serviços de frete que possam sair mais em conta para o seu negócio, ou que tenham prazos menores, pois essa escolha é feita exclusivamente pelo embarcador do pedido.

Quais são as vantagens e desvantagens do frete FOB?

Como você já deve ter percebido, os tipos de frete CIF e FOB possuem características opostas. Então, o FOB é a opção empregada nos modelos de negócio B2B (empresas que vendem para empresas).

Mas por que e para quem essa escolha é mais vantajosa? Simples: para empreendedores que precisam ter maior controle sobre a entrega.

Imagine a situação de quem trabalha com a venda de produtos essenciais, por exemplo. Pode não ser uma boa ideia deixar o cuidado com os prazos somente na mão do embarcador, não é?

Logo, ao mesmo tempo em que pode ser uma tranquilidade não ter que contatar a transportadora caso ocorra algum tipo de atraso com a entrega, por outro lado, o comprador não tem autonomia para buscar alternativas. E isso também pode ser um problema.

Veja a seguir os pontos positivos e os negativos do frete FOB e faça sua própria avaliação:

Vantagens

  • Controle total sobre o processo de entrega da encomenda;
  • Autonomia para escolher as melhores condições e prazos de envio (fretes mais baratos ou mais rápidos, por exemplo);
  • Independência para administrar com maior eficiência a gestão de fretes do negócio;
  • Flexibilidade para otimizar custos e mesclar diferentes tipos de frete para garantir alternativas variadas de entrega.

Desvantagens

  • Assumir a responsabilidade pela encomenda assim que ela sai do armazém no fornecedor;
  • Ter que dedicar um tempo considerável para fazer a gestão do frete de todos os pedidos realizados junto ao fornecedor;
  • Precisar cobrar soluções diretamente da empresa contratada para enviar a remessa quando ocorre algum imprevisto como atrasos e extravios.

Tudo entendido sobre os tipos de frete?

Agora você já sabe as principais diferenças entre CIF e FOB esse pode ser um diferencial interessante para o seu negócio. Também conhecemos outros aspectos capazes de influenciar os tipos de frete de uma encomenda.

Esperamos que o conteúdo tenha sido útil para você e que te ajude a tomar decisões mais acertadas no momento de planejar a política de frete do seu e-commerce.

E para facilitar ainda mais esse processo, convidamos você a conhecer o Nuvem Envio, uma ferramenta desenvolvida pela Nuvemshop na qual é possível fazer cotações de frete com Correios e transportadoras privadas rapidinho — e que pode ser integrada diretamente pelos clientes da Nuvemshop em seus e-commerces. 😉

Assim fica fácil gerar fretes: comparando diferentes condições e prazos para escolher as alternativas que fazem mais sentido para a sua loja virtual!

Aqui você encontra:
Perguntas frequentes sobre os tipos de frete

  • Frete CIF;
  • Frete FOB;
  • Entrega Expressa.

  • Contratação normal;
  • Subcontratação;
  • Redespacho;
  • Redespacho intermediário.

Faça como +100 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Criar loja grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies