7 dicas para vender em um marketplace

Por: Kawan Lopes
7 dicas para vender em um marketplace

Aqui você encontra:

Com a grande concorrência no mercado digital, apostar em canais de venda como marketplaces tem sido uma grande estratégia para empresas do e-commerce. No entanto, se você não sabe como vender em um marketplace, chegou ao conteúdo certo.

Pensando nisso, neste artigo, vamos entender como vender em um marketplace e conhecer algumas dicas que irão te ajudar a potencializar suas vendas neste canal. 🤑 Vamos lá?

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

O que é marketplace?

O marketplace é um canal de venda que opera como um shopping virtual. Este tipo de site concentra vários vendedores, oferecendo ao consumidor uma grande variedade de produtos.

Neste formato de plataforma, o cliente pode comparar as ofertas e decidir qual delas é mais interessante, levando em consideração o valor, as condições de entrega, a reputação do vendedor e outros fatores.

Já o vendedor, pode publicar seus produtos e gerenciar suas vendas na mesma plataforma. Assim, todo o processo de gestão do negócio é mais fácil e prático.

Entre os principais marketplaces do mercado estão:

Quer saber mais sobre marketplaces e como eles funcionam? Acesse o artigo abaixo e confira mais informações sobre o assunto:


Saiba mais...

Como vender em um marketplace?

No Brasil, o mercado de marketplaces vive em constante crescimento. Com isso, as opções para vender seus produtos são diversas. Por tratar-se de um canal de baixo investimento, estas plataformas atraem um grande número de lojistas, logo, a disputa por visibilidade é maior.

Entretanto, escolhendo o canal de venda ideal para seus produtos e trabalhando com estratégias eficazes, é possível obter bons resultados. Para isso, pesquise em quais marketplaces você irá encontrar o seu público-alvo.

Se você vende roupas e acessórios, o ideal é focar em um canal de venda que receba visitantes interessados nestes tipo de produto, como o marketplace da Dafiti, por exemplo.

Pense que cada marketplace possui o seu ponto forte. O site das Americanas, por exemplo, recebe um alto volume de busca por produtos eletrônicos. Já o da Magazine Luiza é referência no mercado de eletrodomésticos.

Contudo, embora os marketplaces sejam canais de venda de baixo investimento, é preciso entender as regras e tarifas de cada um deles antes de fazer sua escolha. Algumas plataformas exigem o cadastro de CNPJ e possuem regulamentos quanto aos produtos publicados.

Referente às taxas, normalmente os marketplaces cobram uma porcentagem por venda concluída. O valor varia em cada plataforma, por isso, é importante pesquisar bem antes de cadastrar seus produtos.

Para te ajudar na busca pelo marketplace ideal, confira algumas informações que você precisa consultar antes de se cadastrar:

  • Segmento principal do marketplace: têxtil, eletrônicos, variedades, cosméticos etc;
  • Tarifas e serviços adicionais: valores cobrados por venda, serviços adicionais que possam gerar gastos etc;
  • Tráfego do site: para dar maior visibilidade de seus produtos, invista em canais de venda que possuam um alto volume de visitantes;
  • Regulamento da plataforma: para evitar transtornos, leia atentamente o regulamento do marketplace para garantir que seus produtos estejam alinhados com as regras da empresa.

7 dicas para vender em um marketplace

Conforme vimos no tópico anterior, vender em um marketplace não é uma estratégia complicada. Contudo, algumas boas práticas podem te ajudar a se destacar entre a concorrência e obter resultados mais positivos.

Portanto, separe o bloco de notas e venha comigo conhecer algumas dicas de como vender em um marketplace. 📝

1. Defina a precificação dos produtos

Hoje, é muito fácil para o consumidor comparar valores e condições de cada loja antes de decidir qual produto comprar. Com tantas ofertas disponíveis, é preciso oferecer preços atrativos. Por isso, é de extrema importância pensar na precificação dos seus itens.

Nesta etapa, é importante ter cuidado, pois, por mais que seja importante trabalhar com preços atraentes, o valor da venda precisa ser rentável para o seu negócio. Portanto, trabalhe com preços que sejam competitivos no mercado, mas que gerem um retorno positivo para o seu bolso.

2. Crie promoções

Ainda falando sobre preços, criar promoções periodicamente é uma ótima estratégia para atrair a atenção dos clientes e gerar vendas. Aproveitando a dica anterior, tome cuidado ao diminuir o valor dos produtos, lembre-se de que descontos muito grandes podem te trazer prejuízos.

Se você sentir que determinados produtos não são elegíveis a descontos, tente criar promoções para o valor do frete. Normalmente, produtos com envio gratuito, por exemplo, tendem a contribuir para a decisão de compra.

3. Ofereça as melhores condições de envio

As condições de envio do produto são fatores importantes para a compra, pois fretes muito caros ou com prazos de entrega extensos podem gerar desistência. Por isso, trabalhe com as opções mais vantajosas e práticas para você e seu consumidor.

Normalmente, os marketplaces oferecem soluções integradas de envio, mas, de qualquer forma, é importante entender como oferecer a melhor experiência de compra para seus clientes.

Caso queira entender mais sobre meios de envio online, confira abaixo o episódio do nosso podcast com mais informações sobre este assunto:

4. Cultive uma boa reputação online

Um ponto crucial na decisão de compra está na reputação do lojista. Portanto, é necessário oferecer a melhor experiência possível para garantir a satisfação do cliente e sua credibilidade como vendedor.

Os marketplaces reservam espaços para que clientes opinem sobre o produto, o processo de compra, o atendimento do lojista etc. Estas informações são públicas e podem ser acessadas por qualquer pessoa. Logo, é importante garantir que os visitantes encontrem comentários positivos, não é mesmo?

5. Ofereça um excelente atendimento ao cliente

O atendimento ao cliente é fundamental em qualquer empresa, pois garante a satisfação do consumidor e contribui para a construção de uma imagem positiva do negócio. Como vimos no tópico anterior, manter uma boa reputação é importante para a captação de clientes.

Algumas boas práticas que podem te ajudar são:

  • Evitar responder perguntas e reclamações em um prazo extenso;
  • Sempre atender com cordialidade;
  • Ser empático com as diferentes situações dos clientes;
  • E oferecer um bom suporte pós-venda.

Normalmente, os marketplaces dispõem de ferramentas internas para a comunicação com os consumidores. Portanto, é válido sempre ficar de olho nestas caixas de mensagens para garantir que nenhum cliente fique sem respostas.

6. Crie uma boa apresentação dos produtos

Como em todo mercado digital, no marketplace, a apresentação dos produtos também é um fator de grande peso na decisão de compra. Pense que, ao comprar online, o consumidor não tem a oportunidade de tocar ou experimentar um produto. Portanto, as imagens, informações e descrições devem ser completas e precisas.

Para garantir que seus clientes se sintam seguros no momento da compra, forneça o máximo de informações possíveis, como: medidas exatas, materiais usados na fabricação, validade (em caso de não duráveis) e imagens de qualidade, que mostrem o item em diferentes ângulos.

7. Invista na visibilidade dos produtos através de publicidade

Esta última dica é válida para vendedores dispostos a investir massivamente na publicidade dos produtos. No mercado, existe uma série de soluções de marketing digital que podem trazer bons resultados para o seu negócio.

A maioria dos canais de venda oferecem ferramentas de anúncios pagos que ajudam a potencializar o alcance dos itens nos resultados de busca. O Mercado Livre, por exemplo, possui o Mercado Ads, que é pré-integrado e pode ser adquirido por qualquer vendedor.

Outra ferramenta que pode ser útil e é bastante utilizada no e-commerce é o Google Shopping. Ele funciona como um comparador de preços online e aparece em uma aba específica nos resultados de pesquisa do Google.

No artigo abaixo você encontra mais informações sobre esta ferramenta que pode acrescentar muito à sua estratégia de venda:

É possível vender no marketplace sem ter um e-commerce?

Se, no decorrer da leitura, você se perguntou se é possível vender em um marketplace sem ter uma loja virtual, saiba que sim. Entretanto, para negócios do e-commerce, canais de venda como marketplaces tendem a ser grandes parceiros.

Em resumo, para vender em um marketplace você só precisa dispor dos produtos e de tempo para gerenciar suas vendas e garantir o fluxo de entrega dos itens. Estes canais de venda irão te oferecer o suporte e a estrutura que você precisa para vender online sem grandes preocupações.

Todavia, possuir uma loja virtual pode trazer uma série de benefícios, como:

  • Criar uma identidade para sua marca;
  • Fidelizar clientes;
  • Trabalhar com estratégias focadas em seu público-alvo;
  • Aumentar sua visibilidade online etc.

Vender em um marketplace tem suas vantagens, mas, sem dúvidas, somar esta estratégia a um e-commerce próprio irá ampliar não só o alcance da sua empresa, como também pode aumentar significativamente suas vendas.

Se você já possui uma loja virtual na Nuvemshop, levar seus produtos para marketplaces fica ainda mais fácil. Através de aplicativos pré-integrados como o Bling, a PluggTo e o Tiny ERP, você pode exportar o seu catálogo para canais de venda e faturar muito mais.

Com estas ferramentas, você pode vender nos principais marketplaces do país, como, por exemplo, o Mercado Livre, a Centauro, a B2W etc. Para saber como instalar os aplicativos em sua loja, confira os tutoriais abaixo:

👉 Como instalar o aplicativo do Bling em sua loja

👉 Como instalar o aplicativo da PluggTo em sua loja

👉 Como instalar o aplicativo do Tiny ERP em sua loja

Prós e contras de vender em um marketplace

Vender em um marketplace pode ser a chave para aumentar as vendas do seu negócio. E para aqueles que estão começando, é o pontapé inicial para uma trajetória de sucesso no mercado digital.

Porém, se você pretende investir em posicionamento de marca, o marketplace pode não ser o caminho ideal. Portanto, vamos conferir os prós e contras de vender em marketplace.

Pontos positivos de vender em um marketplace

1. Infraestrutura

Se você procura por um lugar para expor e vender seus produtos sem a intenção de investir em uma superestrutura, o marketplace é a escolha certa. Estes canais oferecem todo o aparato para que você possa fazer a gestão das suas vendas de forma prática e intuitiva.

2. Visibilidade

Para novos negócios, o marketplace pode ser o canal ideal para dar projeção aos seus produtos no mercado digital. Para aqueles que já vendem online, apostar neste modelo também é bastante positivo.

Marketplaces como o Mercado Livre, por exemplo, recebem milhões de usuários. Com isso, as chances de seus produtos serem vistos e comprados são bem grandes.

3. Aumento do ROI

Canais de venda, como marketplaces, demandam baixos valores de investimento. Isso porque, como vimos logo acima, a estrutura do site é administrada pela própria plataforma.

Com isso, os seus investimentos serão destinados ao estoque, taxas administrativas e eventuais custos com manutenção. Logo, o ROI (Return on Investment) — em tradução livre para o português, “Retorno sobre o Investimento” — será maior e mais rápido em relação a outros modelos de negócio.

Pontos negativos de vender no marketplace

1. Identidade da marca

Se você pretende criar uma identidade para sua marca para aproximar-se do público-alvo, o marketplace não é o canal ideal para o seu negócio. Neste modelo, o foco está nos produtos, e os lojistas não encontram espaço para investir na visibilidade da marca.

2. Taxas e comissões

Embora o investimento em infraestrutura seja baixo, os marketplaces podem aplicar tarifas de serviço e cobranças sobre vendas. Com isso, parte do seu lucro será destinado a estes custos previstos pela plataforma.

Neste caso, vale pesquisar bastante antes de escolher o canal para publicar os seus produtos. Assim, é possível equilibrar a sua receita e as despesas necessárias para vender nos marketplaces.

3. Estratégias limitadas

Grandes marketplaces, como o Mercado Livre e a B2W, por exemplo, dispõem de uma série de ferramentas para envio, pagamento, publicidade etc. Porém, sabemos que no e-commerce existe um vasto leque de possibilidades para ampliar o alcance de uma marca.

Com isso, algumas estratégias de venda, marketing e engajamento acabam ficando de fora quando optamos vender através deste tipo de canal. Isso porque os marketplaces são um tanto quanto limitados quando o assunto é técnicas de venda.

Se você pretende investir massivamente em seu negócio, é interessante começar a pensar em abrir um e-commerce próprio. Para saber mais sobre como criar uma loja virtual, confira o guia abaixo:

Entendido?

Espero que, com essas dicas, você sinta mais segurança para começar a vender em um marketplace. Não há dúvidas de que estes canais de venda podem te trazer um retorno superpositivo, então, não perca tempo. 😉

Se você já vende online, agregar estes canais de venda irá definitivamente amplificar o alcance da sua marca. E se você ainda não possui uma loja virtual, o que acha de testar os serviços da Nuvemshop por 30 dias gratuitamente?

Conte com a gente para potencializar sua história de sucesso. 💙

Faça como +70mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Teste grátis a Nuvemshop por 30 dias

Crie sua loja virtual e comece a vender, tudo no mesmo dia!

Osmoze - www.osmozestore.com.br
Morango Brasil - morangobrasil.com.br
Osram - loja.osram.com.br
Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies