Como vender em marketplace? [passo a passo para começar]

Por: Kawan Lopes

Imagem mostrando um carrinho de compras com produtos, representando as vendas em um marketplace.

As principais dicas sobre como vender em marketplace são:

  • Escolha o marketplace em que deseja vender
  • Consulte as tarifas e serviços adicionais
  • Estude o tráfego do site
  • Entenda o regulamento da plataforma
  • Cadastre os seus produtos
  • Tenha um split de pagamento
  • Organize a logística de entrega

Quer se aprofundar e descobrir dicas essenciais para suas vendas nesse canal? Siga a leitura deste artigo!


Com a grande concorrência no mercado digital, apostar em canais de venda como marketplaces tem sido uma grande estratégia para empresas do e-commerce. No entanto, se você não sabe como vender em marketplace, chegou ao conteúdo certo.

Pensando nisso, neste artigo, vamos entender como vender em um marketplace e conhecer algumas dicas que irão te ajudar a potencializar suas vendas neste canal. 🤑 Vamos lá?

Como vender em marketplace?

No Brasil, o mercado de marketplaces vive em constante crescimento. Com isso, as opções para vender seus produtos são diversas. Por tratar-se de um canal de baixo investimento, estas plataformas atraem um grande número de lojistas, logo, a disputa por visibilidade é maior.

Entretanto, escolhendo o canal de venda ideal para seus produtos e trabalhando com estratégias eficazes, é possível obter bons resultados. Para isso, pesquise em quais marketplaces você irá encontrar o seu público-alvo.

Se você vende roupas e acessórios, o ideal é focar em um canal de venda que receba visitantes interessados nestes tipo de produto, como o marketplace da Dafiti, por exemplo.

Pense que cada marketplace tem o seu ponto forte. O site das Americanas, por exemplo, recebe um alto volume de busca por produtos eletrônicos. Já o da Magazine Luiza é referência no mercado de eletrodomésticos.

Contudo, embora os marketplaces sejam canais de venda de baixo investimento, é preciso entender as regras e tarifas de cada um deles antes de fazer sua escolha. Algumas plataformas exigem o cadastro de CNPJ e têm regulamentos quanto aos produtos publicados.

Referente às taxas, normalmente, os marketplaces cobram uma porcentagem por venda concluída. O valor varia em cada plataforma, por isso, é importante pesquisar bem antes de cadastrar seus produtos.

💡 Saiba mais: Como fazer a integração com marketplace?

Para te ajudar na busca pelo marketplace ideal, confira algumas informações que você precisa consultar antes de se cadastrar:

1. Escolha o marketplace em que deseja vender

Existem muitos marketplaces no mercado, como o Mercado Livre e a Amazon. Uma das dicas para escolher o canal de venda ideal para o seu negócio é entender o nicho de mercado que a plataforma atende.

Alguns canais têm foco em categorias específicas, como: têxtil, eletrônicos, variedades, cosméticos, etc. Já outros, como a Shopee, são mais abrangentes.

Por isso, procure um marketplace que faça sentido para divulgar o seu produto (ou mix de produtos), assim, fica mais fácil encontrar potenciais clientes.

2. Consulte as tarifas e serviços adicionais

A maioria dos marketplaces têm valores cobrados por venda e serviços adicionais que podem gerar gastos. Portanto, leia atentamente o termo de uso do canal que você escolher para saber exatamente quais serão os seus custos.

3. Estude o tráfego do site

Para dar maior visibilidade de seus produtos, invista em canais de venda que tenham um alto volume de visitantes. Na internet, você encontra pesquisas anuais sobre o tráfego dos principais marketplaces do mundo, portanto, considere isso na hora fazer sua escolha.

4. Entenda o regulamento da plataforma

Depois de escolher a plataforma ideal para o seu negócio, o próximo passo de como vender em um marketplace é ler atentamente o regulamento do canal de venda.

Algumas plataformas vão exigir o cadastro apenas com o CNPJ da sua empresa, outras, vão solicitar uma lista de documentos, como:

  • Comprovante de Inscrição Estadual;
  • Declaração do regime de tributação;
  • Consulta Pública ao Cadastro do Estado (SINTEGRA – ICMS);
  • Alvará de funcionamento do estabelecimento (localidade) que irá disponibilizar produtos;
  • Certidões Negativas de Débitos Tributários, Trabalhistas, Débitos Previdenciários;
  • Falência e Concordata;
  • Certidão de distribuição de ações e execuções cíveis e criminais da Justiça Federal;
  • Contrato Social atualizado,
  • Entre outros documentos.

A maioria desses documentos você retira pela internet gratuitamente, usando apenas o número do CNPJ. Para isso, acesse o site da SINTEGRA e o Portal da Fazenda.

5. Cadastre os seus produtos

Após o cadastro, você já pode começar a vender no marketplace! Para isso, cadastre os seus produtos lembrando de incluir:

Imagens

Imagens são o ponto forte para atrair um cliente para uma compra. Então, tire boas fotos dos seus produtos.

Registre diferentes ângulos da mercadoria e publique fotos do mesmo tamanho. Assim, você ajuda o seu cliente a se concentrar nos detalhes do produto.

💡 Saiba mais: Tudo sobre como editar fotos para lojas virtuais

Título e descrição do produto

Depois de se interessar pela foto do produto, os clientes provavelmente vão querer saber mais detalhes sobre a peça. Então, deixe claro no título do anúncio o que exatamente é o produto.

Por exemplo, se você vende camisetas online, seja criativo na chamada. Ao invés de colocar camiseta temática Harry Potter, opte por explorar um diferencial, como: camiseta Harry Potter Quadribol Grifinória.

Além disso, capriche na descrição dos produtos. Deixe claro o preço, política de frete, tamanhos, materiais usados na fabricação, validade (em caso de não duráveis), etc.

6. Tenha um split de pagamento

O modelo de negócio de marketplace exige que haja uma divisão dos recebíveis. Dessa forma, uma parte do dinheiro fica para a plataforma e outra vai para o vendedor.

Por isso, contar com um split de pagamentos, como o Pagar.me, pode ser uma boa opção.

A solução divide uma transação (em porcentagem ou reais), e cada participante da venda, inclusive o próprio marketplace, recebe sua respectiva parte em contas de banco separadas.

Para utilizá-la, basta se cadastrar na plataforma gratuitamente e escolher o plano que faça mais sentido para o seu negócio.

7. Organize a logística de entrega

Na última etapa do passo a passo de como vender por marketplace, é importante que você esteja atento à logística de entrega quando receber um pedido.

Em um marketplace, a separação e a entrega do produto são de sua responsabilidade. Para vendas online, as formas de entrega mais comuns são os Correios ou uma transportadora.

Nos Correios, a principal vantagem é o alcance de entrega a todo território nacional. Já com uma transportadora, você não precisa se preocupar com a restrição de peso para os pacotes — diferentemente dos Correios, que têm o limite de 30 quilos.

💡 Saiba mais: 7 boas práticas de operações e logísticas para o seu negócio

É possível vender no marketplace sem ter um e-commerce?

Se, no decorrer da leitura do passo a passo de como vender em um marketplace, você se perguntou se é possível vender na plataforma sem ter uma loja virtual, saiba que sim. Entretanto, para negócios do e-commerce, canais de venda como marketplaces tendem a ser grandes parceiros.

Em resumo, para vender em um marketplace, você só precisa dispor dos produtos e de tempo para gerenciar suas vendas e garantir o fluxo de entrega dos itens. Estes canais de venda irão te oferecer o suporte e a estrutura de que você precisa para vender online sem grandes preocupações.

Todavia, ter uma loja virtual pode trazer uma série de benefícios, como:

  • Criar uma identidade para sua marca;
  • Fidelizar clientes;
  • Trabalhar com estratégias focadas em seu público-alvo;
  • Aumentar sua visibilidade online etc.

Vender em um marketplace tem suas vantagens, mas, sem dúvidas, somar esta estratégia a um e-commerce próprio irá ampliar não só o alcance da sua empresa, como também pode aumentar significativamente suas vendas.

Com uma loja virtual na Nuvemshop, levar seus produtos para marketplaces fica ainda mais fácil. Por meio de aplicativos pré-integrados, como o Bling, a PluggTo e o Tiny ERP, você pode exportar o seu catálogo para canais de venda e faturar muito mais.

Com estas ferramentas, você pode vender nos principais marketplaces do país, como, por exemplo, o Mercado Livre, a Centauro, a B2W etc. Para saber como instalar os aplicativos em sua loja, confira os tutoriais abaixo:

👉 Como instalar o aplicativo do Bling em sua loja

👉 Como instalar o aplicativo da PluggTo em sua loja

👉 Como instalar o aplicativo do Tiny ERP em sua loja

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

Quais são as vantagens e desvantagens de vender em um marketplace?

Vender em um marketplace pode ser a chave para aumentar as vendas do seu negócio. E, para aqueles que estão começando, é o pontapé inicial para uma trajetória de sucesso no mercado digital.

Porém, se você pretende investir em posicionamento de marca, o marketplace pode não ser o caminho ideal. Portanto, vamos conferir os prós e contras de vender em marketplace.

Vantagens de vender em um marketplace

1. Infraestrutura

Se você procura por um lugar para expor e vender seus produtos sem a intenção de investir em uma superestrutura, o marketplace é a escolha certa. Estes canais oferecem todo o aparato para que você possa fazer a gestão das suas vendas de forma prática e intuitiva.

2. Visibilidade

Para novos negócios, o marketplace pode ser o canal ideal para dar projeção aos seus produtos no mercado digital. Para aqueles que já vendem online, apostar neste modelo também é bastante positivo.

Marketplaces como o Mercado Livre, por exemplo, recebem milhões de usuários. Com isso, as chances de seus produtos serem vistos e comprados são bem grandes.

3. Aumento do ROI

Canais de venda, como marketplaces, demandam baixos valores de investimento. Isso porque, como vimos logo acima, a estrutura do site é administrada pela própria plataforma.

Com isso, os seus investimentos serão destinados ao estoque, taxas administrativas e eventuais custos com manutenção. Logo, o ROI (Return on Investment) — em tradução livre para o português, “Retorno sobre o Investimento” — será maior e mais rápido em relação a outros modelos de negócio.

Desvantagens de vender no marketplace

1. Identidade da marca

Se você pretende criar uma identidade para sua marca para aproximar-se do público-alvo, o marketplace não é o canal ideal para o seu negócio. Neste modelo, o foco está nos produtos, e os lojistas não encontram espaço para investir na visibilidade da marca.

💡 Saiba mais: O que é branding e como aplicar em sua marca?

2. Taxas e comissões

Embora o investimento em infraestrutura seja baixo, os marketplaces podem aplicar tarifas de serviço e cobranças sobre vendas. Com isso, parte do seu lucro será destinado a esses custos previstos pela plataforma.

Neste caso, vale pesquisar bastante antes de escolher o canal para publicar os seus produtos. Assim, é possível equilibrar a sua receita e as despesas necessárias para vender nos marketplaces.

3. Estratégias limitadas

Grandes marketplaces, como o Mercado Livre e a B2W, por exemplo, dispõem de uma série de ferramentas para envio, pagamento omnichannel, publicidade etc. Porém, sabemos que, no e-commerce, existe um vasto leque de possibilidades para ampliar o alcance de uma marca.

Dessa maneira, algumas estratégias de venda, marketing e engajamento acabam ficando de fora quando optamos vender por meio desse tipo de canal. Isso porque os marketplaces são um tanto quanto limitados quando o assunto é técnicas de vendas.

7 dicas para vender em um marketplace

Conforme vimos ao longo deste artigo, vender em um marketplace não é uma estratégia complicada. Contudo, algumas boas práticas podem te ajudar a se destacar entre a concorrência e obter resultados mais positivos.

Portanto, separe o bloco de notas e venha comigo conhecer algumas dicas de como vender mais em marketplace. 📝

1. Defina a precificação dos produtos

Hoje, é muito fácil para o consumidor comparar valores e condições de cada loja antes de decidir qual produto comprar. Com tantas ofertas disponíveis, é preciso oferecer preços atrativos. Por isso, é de extrema importância pensar na precificação dos seus itens.

Nesta etapa, é importante ter cuidado, já que, por mais que seja importante trabalhar com preços atraentes, o valor da venda precisa ser rentável para o seu negócio. Portanto, trabalhe com preços que sejam competitivos no mercado, mas que gerem um retorno positivo para o seu bolso.

💡 Saiba mais: Como fazer a precificação dos seus produtos?

2. Crie promoções

Ainda falando sobre preços, criar promoções periodicamente é uma ótima estratégia para atrair a atenção dos clientes e gerar vendas. Aproveitando a dica anterior, tome cuidado ao diminuir o valor dos produtos, lembre-se de que descontos muito grandes podem te trazer prejuízos.

Se você sentir que determinados produtos não são elegíveis a descontos, tente criar promoções para o valor do frete. Normalmente, produtos com envio gratuito, por exemplo, tendem a contribuir para a decisão de compra.

3. Ofereça as melhores condições de envio

As condições de envio do produto são fatores importantes para a compra, já que fretes muito caros ou com prazos de entrega extensos podem gerar desistência. Por isso, trabalhe com as opções mais vantajosas e práticas para você e seu consumidor.

Normalmente, os marketplaces oferecem soluções integradas de envio, mas, de qualquer forma, é importante entender como oferecer a melhor experiência de compra para seus clientes.

4. Cultive uma boa reputação online

Um ponto crucial na decisão de compra está na reputação do lojista. Portanto, é necessário oferecer a melhor experiência possível para garantir a satisfação do cliente e sua credibilidade como vendedor.

Os marketplaces reservam espaços para que clientes opinem sobre o produto, o processo de compra, o atendimento do lojista etc. Estas informações são públicas e podem ser acessadas por qualquer pessoa. Logo, é importante garantir que os visitantes encontrem comentários positivos, não é mesmo?

5. Ofereça um excelente atendimento ao cliente

O atendimento ao cliente é fundamental em qualquer empresa, pois garante a satisfação do consumidor e contribui para a construção de uma imagem positiva do negócio. Como vimos no tópico anterior, manter uma boa reputação é importante para a captação de clientes.

Algumas boas práticas que podem te ajudar são:

  • Evitar responder perguntas e reclamações em um prazo extenso;
  • Sempre atender com cordialidade;
  • Ser empático com as diferentes situações dos clientes;
  • E oferecer um bom suporte pós-venda.

Normalmente, os marketplaces dispõem de ferramentas internas para a comunicação com os consumidores. Portanto, é válido sempre ficar de olho nestas caixas de mensagens para garantir que nenhum cliente fique sem respostas.

6. Tenha produtos em estoque

Evite anunciar produtos em sua página do marketplace sem ter um estoque. Se o seu armazenamento for muito pequeno e se esgotar, sugerimos que você pause o anúncio na plataforma.

Caso contrário, você pode perder relevância no algoritmo do marketplace para indicação de produtos.

💡 Saiba mais: O que é controle de estoque e como fazê-lo?

7. Invista na visibilidade dos produtos por meio de publicidade

Esta última dica é válida para vendedores dispostos a investir massivamente na publicidade dos produtos. No mercado, existe uma série de soluções de marketing digital que podem trazer bons resultados para o seu negócio.

A maioria dos canais de venda oferecem ferramentas de anúncios pagos que ajudam a potencializar o alcance dos itens nos resultados de busca. O Mercado Livre, por exemplo, tem o Mercado Ads, que é pré-integrado e pode ser adquirido por qualquer vendedor.

Outra ferramenta que pode ser útil e é bastante utilizada no e-commerce é o Google Shopping. Ele funciona como um comparador de preços online e aparece em uma aba específica nos resultados de pesquisa do Google.

No artigo abaixo você encontra mais informações sobre esta ferramenta que pode acrescentar muito à sua estratégia de venda:

💡 Saiba mais: O que é o Google Shopping?

Confira também um vídeo com dicas exclusivas sobre como vender no maior marketplace do país, o Mercado Livre:

Resumo

Espero que, com essas dicas sobre como vender em marketplace, você sinta mais segurança para começar a vender por esse meio. Não há dúvidas de que esses canais de venda podem te trazer um retorno superpositivo, então não perca tempo. 😉

Antes de ir embora, confira um resumo sobre os principais pontos deste conteúdo:

Como vender em marketplace?

  1. Escolha o marketplace em que deseja vender
  2. Consulte as tarifas e serviços adicionais
  3. Estude o tráfego do site
  4. Entenda o regulamento da plataforma
  5. Cadastre os seus produtos
  6. Tenha um split de pagamento
  7. Organize a logística de entrega

Vantagens de vender em um marketplace

  • Infraestrutura
  • Visibilidade
  • Aumento do ROI

Desvantagens de vender no marketplace

  • Identidade da marca
  • Taxas e comissões
  • Estratégias limitadas

7 dicas para vender mais em marketplace

  1. Defina a precificação dos produtos
  2. Crie promoções
  3. Ofereça as melhores condições de envio
  4. Cultive uma boa reputação online
  5. Ofereça um excelente atendimento ao cliente
  6. Tenha produtos em estoque
  7. Invista na visibilidade dos produtos por meio de publicidade

Se você já vende online, agregar canais de venda irá definitivamente amplificar o alcance da sua marca. E, se você ainda não tem uma loja virtual, o que acha de testar os serviços da Nuvemshop por 30 dias gratuitamente e criar sua loja virtual?

Aqui você encontra:

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Tenha seu catálogo e os preços sincronizados

Crie e integre sua loja virtual aos melhores marketplaces e administre seu negócio de um só lugar.

Osmoze - www.osmozestore.com.br
Morango Brasil - morangobrasil.com.br
Osram - loja.osram.com.br
Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies