Como se livrar de estoque parado e evitar prejuízos

Por: Kawan Lopes
Como se livrar de estoque parado e evitar prejuízos

Aqui você encontra:

Gerenciar seu próprio negócio é, sem dúvidas, bastante desafiador e, às vezes, erros básicos podem gerar grandes prejuízos, como nos casos de estoque parado.

Para garantir um negócio sólido, é preciso ter cautela na hora de alimentar o estoque de produtos da sua loja. É neste momento em que muitos lojistas erram e acabam enfrentando sérios problemas.

Neste artigo, irei contar o que fazer com o estoque parado e como evitar os prejuízos. Vamos começar? 😉

O que é estoque parado?

Estoque parado é o termo usado para definir o excesso ou acúmulo de produtos em estoque, que, devido às baixas vendas, ficam parados nas prateleiras, apenas ocupando espaço. Essa é uma situação comum entre os lojistas do varejo e do e-commerce.

Isso pode ocorrer quando produzimos ou encomendamos um número de itens que não é equiparado com nossa demanda comercial. Com a baixa saída desta mercadoria, o estoque e o faturamento da loja acabam sendo comprometidos.

4 principais prejuízos do estoque parado

Sem dúvidas, o estoque parado oferece uma série de riscos a qualquer negócio. Além de afetar diretamente os lucros da empresa, a relação com fornecedores também pode sofrer impactos.

Dentre os principais prejuízos, os que podem causar mais danos são:

1. Custos com a manutenção do estoque

Com o estoque cheio de produtos parados, eventualmente, será necessário dispor de mais espaço para armazenar novos itens. Dependendo do tipo de mercadoria, custos de armazenamento específicos, como refrigeração, podem gerar mais gastos ao lojista.

2. Perda de produtos por validade e sazonalidade

Produtos perecíveis podem gerar uma grande perda ao lojista se atingirem sua data de validade antes de serem comercializados. Em outros casos, a sazonalidade pode empacar de vez as vendas.

Itens que envolvam necessidades pontuais de acordo com o momento, como roupas e acessórios que acompanham tendências, por exemplo, podem ter demanda de compra em períodos específicos e ficar parados no estoque, ocupando espaço em outras épocas do ano.

3. Baixa liquidez

Com a compra de muitas unidades, o lojista pode acabar investindo um valor que não será recuperado se os itens ficarem parados em estoque. Sem o retorno gerado pelas vendas, não haverá lucro, prejudicando diretamente a saúde do negócio.

4. Endividamento

Com o estoque parado e pouca entrada de capital, muitos lojistas acabam apelando para os empréstimos e soluções de crédito oferecidas pelos bancos. Às vezes, o que parece ser uma ajuda, acaba se tornando parte do problema, já que os juros cobrados por estas instituições são altos e podem acabar colocando o seu negócio na corda bamba.

Como evitar o estoque parado?

Um dos principais erros de lojistas que estão começando é comprar produtos em volumes superiores à demanda existente. Portanto, ao definir o estoque de um item, é importante mensurar sua busca no mercado. Desta forma, é possível garantir que a quantidade de mercadorias em armazenamento seja equiparada à projeção das vendas.

Outro erro comum é basear as compras em impressões, sensações e deduções do mercado. Para não cair nessas armadilhas, veja algumas dicas a seguir:

1. Mantenha-se bem informado

Sempre busque dados, números e informações oficiais sobre o que está acontecendo no mercado em que você atua. Para isso, acompanhe portais, especialistas, profissionais do meio e pessoas que tenham propriedade sobre o assunto.

Somente dados embasados podem garantir maior assertividade em suas estratégias. Use sua criatividade e seu sexto sentido para outras frentes do negócio. 😜

2. Conheça o seu público-alvo

Para que os produtos sejam bem segmentados, é importante que tenhamos total conhecimento sobre o perfil dos compradores que queremos atingir com a nossa marca. Pesquise sobre o seu público-alvo, pois isso vai te ajudar a criar estratégias mais eficazes para o seu negócio.

3. Pesquise sobre o seu produto no mercado

Também é importante pesquisar minuciosamente sobre cada produto que você pretende vender. A boa gestão do seu estoque é a chave para garantir um faturamento sustentável.

Lembre: um produto pode fazer sentido para o mercado neste momento, mas será que, daqui um ou dois meses, sua busca será a mesma?

Um bom exemplo são as máscaras de pano. Nos primeiros meses da pandemia da Covid-19, houve uma demanda brusca por estes produtos. Mas será que daqui a seis meses, este ainda será um produto com alta demanda de compra? Neste momento, valeria a pena investir em um número agressivo de peças?

4. Invista na gestão do seu negócio

Ferramentas como ERPs, por exemplo, podem ser grandes aliadas para fazer a gestão da sua empresa e garantir a saúde e a sustentabilidade do negócio.

ERPs são programas de gestão comercial que oferecem diversas funções para facilitar o dia a dia dos lojistas, como controle de armazenamento, métricas de entrada e saída de itens, gestão de faturamento e cálculo de custos de estoque parado.

No mercado digital, o uso destes sistemas é bem comum e recomendado. Caso queira saber mais sobre o assunto, confira o conteúdo abaixo:


Saiba mais...

Como vender o estoque parado?

Evitar o estoque parado é importante, mas se por algum motivo você está enfrentando este problema, existem dicas que podem te ajudar a vender estes produtos de forma saudável e rentável. Acompanhe-as a seguir:

1. Aposte em promoções

Lembra quando eu disse para não usar a criatividade na hora de estudar sobre o seu mercado? Bom, você pode usá-la para criar promoções, combos, kits, cupons de desconto, frete grátis etc. Essas estratégias vão te ajudar a gerar vendas com os produtos parados.

Pense no público-alvo, entenda como essas peças podem ser atrativas em condições promocionais e não tenha medo de ousar. Quanto melhor a oferta, maior a chance de movimentar estes itens.

2. Faça um estudo sobre o seu estoque

Saiba exatamente quais mercadorias estão paradas e busque entender os motivos. Analise se os produtos fazem sentido para algum grupo específico de compradores, se os valores podem ser revistos, se são passíveis de promoção e tente recolocá-los no mercado.

3. Negocie com seus fornecedores

Manter uma boa relação com os fornecedores é vital, principalmente em situações assim. Tente negociar trocas ou devoluções com eles em caso de estoque parado. Alguns parceiros podem ser mais maleáveis do que outros, mas tentar fazer acordos é sempre uma saída.

4. Observe os interesses do seu cliente

Fique de olho no comportamento do seu consumidor — isso pode te ajudar a identificar uma demanda para algum produto parado, como em datas comemorativas, por exemplo. Dessa forma, você pode criar promoções especiais e se livrar destes itens, eliminando prejuízos para o seu negócio.

Como escolher a melhor opção de estoque para o seu negócio?

Uma boa opção que pode cortar o mal pela raíz, é definir previamente o formato de estoque que faz mais sentido para o seu modelo de negócio. Para isso, é interessante estudar as opções disponíveis, portanto, conheça-as a seguir.

1. Estoque compartilhado

Este modelo é ideal para pequenos ou novos negócios, pois consiste em um estoque centralizado em um armazém compartilhado. Seja com outras empresas ou em locais em que são realizadas outras atividades.

O estoque compartilhado é definitivamente uma boa opção para empreendedores que procuram reduzir custos, já que o investimento em um galpão próprio custa caro. Porém, para este modelo, é essencial ter alguns pontos de atenção, principalmente com relação à logística.

Uma vez que o movimento nestes armazéns é mais intenso, devido às diversas atividades que ocorrem neles, é preciso reforçar a atenção em tudo o que entra e sai do seu estoque. O controle dos itens precisa ser minucioso e os cuidados com o armazenamento devem ser redobrados.

2. Estoque descentralizado

O estoque descentralizado é a escolha certa para e-commerces com vasta abrangência. Isto é, lojas que realizam entregas em todo o país, por exemplo.

Este modelo consiste em diversos armazéns espalhados de forma estratégica para que o processo de entrega seja mais ágil. Nestes casos, é necessário fazer um estudo de locais que podem facilitar a logística do seu negócio e implantar estoques em cada um deles.

No entanto, para garantir que o seu fluxo de envio funcione, é preciso assegurar a transferência dos itens entre os diversos pontos. Assim, você garante que a experiência de compra dos clientes seja positiva independentemente do local onde eles moram.

3. Estoque consignado

O estoque consignado pode ser uma das melhores opções para empreendedores que não querem se arriscar muito. Neste formato, o fornecedor abastece o seu estoque de acordo com uma quantidade definida, considerando a demanda, sazonalidade, validade etc.

O que diferencia este modelo dos demais é que, caso não ocorra a venda de todos os itens, estes podem ser devolvidos ao fornecedor. Porém, toda a relação deve ser prevista por um contrato assinado por ambas as partes.

Portanto, caso opte por este tipo de estoque, estude muito bem o contrato antes de firmar um compromisso. Assim, você garante uma relação comercial saudável para o seu negócio.

4. Estoque terceirizado

Por fim, o estoque terceirizado pode ser uma solução prática e eficiente para o seu negócio. Através dele, você tira do seu colo algumas das principais e mais trabalhosas etapas de uma venda online.

Neste modelo, o seu estoque pode funcionar de duas formas:

  • Crossdocking: as encomendas saem do fornecedor e são recebidas em um centro de distribuição especializado. Depois disso, são despachadas e entregues ao consumidor final.
  • Dropshipping: você recebe o pedido em sua loja virtual e informa ao fornecedor, que será encarregado de separar o produto e enviá-lo diretamente ao consumidor.

Em ambos formatos, todo o fluxo logístico fica por conta do fornecedor.

Dica extra: trabalhe com up selling e cross selling

No e-commerce, algumas técnicas podem te ajudar a melhorar suas vendas e se desfazer daqueles itens parados no estoque. O up selling e o cross selling, por exemplo, são ótimas alternativas.

O cross selling — em tradução livre, venda cruzada — consiste em oferecer ao cliente outros produtos relacionados com o item que ele pretende comprar. No e-commerce, essa estratégia funciona muito bem, já que abordamos o consumidor em um momento decisivo de compra.

O up selling, por sua vez, funciona basicamente como uma sugestão de upgrade do produto no momento da compra. Ao adicionar o produto no carrinho, sugerimos ao consumidor levar um item com qualidade melhor, maior quantidade, outra marca etc.

Quer saber mais sobre essas técnicas de venda e como aplicá-las em seu negócio? Confira tudo sobre o assunto no artigo abaixo:


Saiba mais...

Entendido?

O caminho de um empreendedor pode conter obstáculos, mas se lembre de que erros são comuns. O importante é que usemos essas experiências para aprender e evoluir.

Com um bom preparo, paciência e sabedoria, é possível desviar dos empecilhos e trilhar um caminho de sucesso.

Se você ainda não deu o primeiro passo para ter o seu negócio, que tal criar sua loja agora e testar a plataforma da Nuvemshop por 30 dias grátis? Estamos aqui para te ajudar a potencializar sua história de sucesso! 💙

Faça como +60mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer mudar de vida vendendo pela internet?

Crie agora sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional.

Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies