9 dicas de SEO para melhorar o posicionamento da sua loja online nos buscadores

SEO para e-commerce

Se você possui uma loja virtual, é indispensável adotar práticas de SEO (Search Engine Optimization, do inglês) nela. Através de uma boa estratégia de SEO, você conseguirá dar mais destaque ao seu site nos mecanismos de busca, como o Google e o Bing, por exemplo.

Não sabe por onde começar? Confira as melhores técnicas abaixo:

1. Escolha seu domínio com base nas buscas

Quando explicamos como fazer uma análise de mercado antes de se aventurar no e-commerce, nós falamos sobre a importância de ter um domínio diretamente relacionado ao seu negócio. À época, utilizei o exemplo de uma loja virtual de flores. Se você possui uma floricultura online, é indispensável que o nome da sua loja e a URL da mesma contenham palavras relacionadas ao business, de preferência, neste caso, flores.

Existe uma ferramenta que certamente te ajudará a criar um domínio vencedor, trata-se do Planejador de Palavras-Chave do Google. Através dele você conseguirá medir o volume de buscas das palavras-chave relacionadas ao seu negócio. No caso do exemplo das flores, novamente, note que “Flores Online” é um termo muito buscado:

SEO para e-commerce

Seria incrível se você conseguisse criar o endereço floresonline.com.br (que por coincidência já existe), contudo, nem sempre é possível fazer com que o seu domínio bata exatamente com um termo bastante procurado. Para esses casos, tente criar um domínio que tenha apenas a palavra “Flores”.

Se você quiser saber mais sobre como um domínio pode impactar nos buscadores, sugiro que você leia este post do blog do Moz (em inglês).

2. Pense no volume de buscas para nomear produtos e categorias

Esse ponto é de extrema importância. De nada adianta você possuir produtos incríveis e ignorar todo o potencial de SEO deles. Como assim? Vou utilizar como exemplo a Adidas, que tem uma linha de tênis bem legal chamada Superstar.

Por mais que Superstar seja um nome bacana, será que “Adidas Superstar” é um termo relevante para os buscadores? Uma rápida olhada no Planejador de Palavras-Chave do Google revela que sim, mas revela também que o termo “Tênis Adidas” tem um volume de buscas infinitamente superior.

SEO para e-commerce

Ao olhar para dois dos principais e-commerces do Brasil (Netshoes e Dafiti), veja como ambos possuem as categorias “Tênis Adidas” e também uma URL customizada (imagem abaixo). Digitando esse termo no Google, adivinhe quais lojas aparecem liderando a busca orgânica? Acertou se você disse Netshoes e Dafiti (logo após a própria loja da Adidas, por motivos óbvios).

SEO para e-commerce

Portanto, leve sempre em conta o que as pessoas buscam na hora de criar suas URL’s, o nome dos produtos e as categorias da sua loja. Voltando ao caso do Adidas Superstar, repare como a Netshoes mantém o termo “Tênis Adidas” mesmo na landing page de um dos modelos do Superstar. Trata-se de uma estratégia tanto para atrair aqueles que buscam por “Tênis Adidas”, quanto aqueles que procuram “Adidas Superstar”.

SEO para e-commerce

3. Evite conteúdo duplicado

Primeiramente, vale explicar o que é conteúdo duplicado. Numa loja online, é normal você conseguir acessar o mesmo produto através de URL’s diferentes. Por exemplo: floresexemplo.com.br/buque-rosas-vermelhas e floresexemplo.com.br/buques/buque-rosas-vermelhas.

No primeiro caso, trata-se de um link direto para o buquê de rosas vermelhas, enquanto o segundo link é de alguém que clicou na categoria “Buquês” antes de chegar à peça de rosas vermelhas. Quando há mais de uma URL direcionando para um mesmo caminho, como os buscadores podem saber qual das páginas e em qual ordem elas devem aparecer primeiro? É quase impossível!

A alternativa para evitar tamanho problema é inserir URL’s Canônicos no seu site. Se você utiliza a plataforma da Nuvem Shop, no entanto, pode ficar tranquilo, já que a tag rel”canonica” está incluída automaticamente na sua loja. Quer aprender um pouco mais sobre o tema? Leia o tutorial do Google sobre URL’s Canônicos e esse artigo explicando como acabar de vez com conteúdo duplicado.

Por fim, se você trabalha com mercadorias de terceiros, em hipótese alguma deverá copiar a resenha enviada pelo fabricante para descrever os produtos da loja. Isso certamente será identificado como conteúdo duplicado e irá te prejudicar nos buscadores. Falando nisso, capriche ao descrever seus produtos (lembre-se de utilizar palavras-chave no texto), pois isso influenciará positivamente no SEO da página.

4. Faça os buscadores “lerem” suas imagens e observe o tempo de carregamento

Existem quatro práticas recomendadas na hora de incluir imagens num site. Veja só:

  • Alt Text: é impossível para os buscadores “ler” imagens e identificar do que elas se tratam, portanto, elas devem vir acompanhadas do parâmetro “Alt Text” (ou “Texto Alternativo”) explicando exatamente o que elas significam. O “Alt Text”, que aparece visível quando você passa o cursor sobre uma foto, te ajudará a ter um melhor rankeamento nos buscadores de imagens, como o Google Images, por exemplo;
  • Nome do arquivo: por incrível que pareça, o nome que você dá a determinada imagem quando salva ela no seu computador pode ajudar no SEO. Desta forma, em vez de gravar uma imagem com o nome foto.jpg, faça um pequeno esforço e tente utilizar alguma palavra-chave no lugar. Exemplo: sapatos-de-couro.jpg (caso você tenha um e-commerce dedicado a sapatos);
  • Legenda: coloque legenda nas fotos e descreva o significado delas;
  • Tempo de carregamento: esse ponto é de extrema importância. Imagens pesadas podem fazer com que seu site tenha um tempo de carregamento alto. Por outro lado, buscadores como o Google beneficiam aquelas páginas com um tempo de carregamento menor. Como lidar com isso? O ideal é redimensionar suas imagens (se elas forem desnecessariamente pesadas). Para isso, você pode utilizar ferramentas como o PhotoShop ou o PhotoFiltre. Difícil fazer? Dê uma olhada nesse tutorial.

5. Obtenha links para o seu site

Quanto mais links apontarem para seu site melhor será o seu posicionamento. Além disso, a quantidade de Linking Root Domain (domínios diferentes que tenham um link para a sua página) impactará ainda mais no rankeamento. Sempre é melhor ter dois links de domínios diferentes que apontem para o seu site do que ter vários links do mesmo domínio.

Abaixo, oferecemos algumas boas práticas para obter links relevantes:

  • Se ofereça para gerar conteúdo específico para blogs de outros sites. Se você é especialista em algum segmento, ninguém melhor do que você para escrever sobre o assunto, portanto, use essa expertise para trazer links para a sua página;
  • Se você tem um blog (aprenda a criar um), crie conteúdos educativos e, paralelo a isso, defina uma boa estratégia de redes sociais para compartilhar esse material;
  • Invista em infográficos! Esse tipo de conteúdo com apelo imagético tende a ser mais compartilhado. Existem algumas ferramentas online que permitem que você crie infográficos sem a necessidade de ter um conhecimento prévio em design. Uma delas é o Piktochart. Vale a pena dar uma olhada!

O site americano Moz disponibiliza uma ferramenta incrível chamada Open Site Explorer (OSE). Através dela, você conseguirá saber se sua página possui links externos e de onde esses links vieram. Confuso? Veja esse artigo e entenda melhor o funcionamento do OSE.

6. Otimize o texto dos seus links

Além de observar as URL’s na hora de definir o posicionamento, os buscadores também levam em conta o texto que é linkado nesse processo. É impossível controlar o texto que as pessoas linkam para a sua página, mas você pode ter um cuidado especial ao linkar seus conteúdos internos.

Evite colocar links sobre palavras como “clique aqui”, uma vez que esse termo é muito genérico para os buscadores. Veja os dois exemplos abaixo:

Errado: Lindo buquê de rosas com frete grátis para todo o Brasil. Clique aqui para conferir!

Correto: Compre os mais lindos buquês de rosas com frete grátis para todo o Brasil

7. Crie links para as suas página internas

Essa é uma estratégia relevante para buscadores e usuários. Para o buscador, é legal porque quanto mais você linka conteúdos internos, mais ele poderá identificar que o seu site é sobre determinado assunto e, por consequência, premiá-lo com um melhor rankeamento. Para o visitante, é legal porque ele vai ter mais conteúdo disponível para ler e poderá ter uma ideia melhor sobre o que se trata aquela página.

Outra vantagem de incluir links internos é que isso provavelmente aumentará o tempo que um usuário permanece no site. Quanto mais tempo no site, maior a chance daquele visitante ser convertido em um cliente.

8. Escreva títulos e metatags únicos para cada página

Primeiro de tudo, o que é uma metatag? É o texto que vai identificar para o Google (ou qualquer outro buscador) do que se trata determinada página. Uma boa metatag description influenciará diretamente na quantidade de visitas recebidas pelos buscadores, portanto, é essencial tê-las em cada página do seu site.

O tamanho recomendado para as metatags é de 160 caracteres ou menos (aproximadamente duas frases curtas). Ao escrevê-las, tente ser o mais objetivo possível para se encaixar dentro dessa margem de caracteres e evite as práticas abaixo:

  • Textos que nada tenham a ver com o conteúdo da página;
  • Textos muito genéricos;
  • Copiar e colar um pequeno parágrafo que já exista;
  • Utilizar somente palavras-chave.

9. Faça o seu site elegível para os buscadores

Em outras palavras, jamais utilize Flash. O Flash é uma ferramenta usada por designers para construir todo o diálogo do usuário com o site. Acontece que essa ferramenta é ilegível para os buscadores, por isso, dê sempre preferência para HTML, que é perfeitamente acessível para eles. Lembre-se que vai ser inútil aplicar todos esses passos sugeridos nos itens acima se sua página for inacessível para os mecanismos de busca!

Por fim, gostaria de dar algumas dicas extras para o seu planejamento de SEO:

  • Utilize o Google Webmaster Tools: essa é uma ferramenta gratuita fornecida pelo Google (o Bing tem uma igual!) e que permite que você otimize o seu posicionamento ao revelar, entre outras coisas, com que frequência o Google inclui suas páginas no índice, quais páginas ele ignora no seu site e os termos de busca pelos quais os usuários chegam no mesmo. Veja aqui como incluir seu site no Google Webmaster Tools (caso queira também poderá incluir a sua loja no Bing Webmaster Tools).
  • Use o Google Analytics: o Analytics pode funcionar como uma espécie de termômetro da sua estratégia de SEO. Através dessa ferramenta você conseguirá analisar a procedência do tráfego que chega ao seu site, ver em que página os visitantes o abandonam, descobrir quais páginas recebem mais acessos, o tempo de permanência dos usuários por página, etc.

Espero que esses conselhos tenham sido úteis para você e que você consiga aplicá-los o quanto antes! Tem alguma experiência legal com SEO? Compartilhe conosco na caixinha de comentários. E se você ainda não começou a vender pela internet, experimente a Nuvem Shop por 15 dias grátis 🙂


O que você achou desse conteúdo?


Bruno Fernandes

Bruno é jornalista e responsável pela estratégia de conteúdo do blog e da Universidade do E-commerce da Nuvem Shop. É viciado em esportes, sobretudo basquete, e assiste 500 séries de TV ao mesmo tempo.

9-dicas-de-seo-para-melhorar-o-posicionamento-da-sua-loja-online-nos-buscadores