O que vender na internet? 10 ideias de produtos para o seu e-commerce

Por: Ana Lucia Vieira
O que vender na internet? 10 ideias de produtos para o seu e-commerce

Aqui você encontra:

Hoje em dia, tudo acontece online. Com a pandemia da Covid-19, até os estabelecimentos 100% físicos tiveram que pensar em uma forma de se digitalizar e criar uma presença virtual para conseguir manter os negócios de pé em um período de isolamento social.

Por isso, se você está pensando em empreender e abrir um negócio e não sabe por onde começar, a dica é dar o primeiro passo online e selecionar o que vender na internet.

Quer saber como empreender, abrir sua loja virtual e descobrir quais são as principais apostas de coisas para vender na internet? Confira nossas dicas a seguir.

10 ideias do que vender na internet

Se você faz parte daquele grupo de empreendedores que ainda está buscando um nicho de mercado e coisas para vender, chegou o momento tão esperado! Separamos uma lista com 10 ideias para inspirar você a começar a vender online.

1. Cosméticos e linhas de skincare

As máscaras faciais, os esfoliantes, limpadores e séruns hidratantes são grandes estrelas e companheiros fiéis das rotinas de beleza. Hoje em dia, as práticas de autocuidado estão em alta e, com isso, o nicho de cosméticos e produtos de skincare está conquistando cada vez mais espaço.

2. Produtos para pets

Seja um cachorro, gato ou porquinho da índia, os bichinhos continuam com um lugar cativo na vida das pessoas e com cada vez mais mimos. Os produtos para pets vão de coleiras e roupinhas a tapetes higiênicos, ração, petiscos e brinquedos. Se você apostar nesse mercado, opções de produtos não vão faltar.

3. Artigos de decoração

Com o isolamento social, as pessoas estão passando muito mais tempo em casa e dando mais atenção aos cuidados com seu lar. Por isso, produtos para decoração vêm ganhando a atenção de quem quer deixar os ambientes mais bonitos e tornar os momentos em casa ainda mais gostosos e aconchegantes.

Nessa categoria, você pode ofertar desde móveis, como mesas e cadeiras, até pequenos artigos de decoração – ou até objetos de cozinha, por exemplo.

4. Moda autoral e pequenos produtores

Falamos no início do texto que as pessoas estão comprando com mais consciência e, com isso, o olhar para a moda fica um pouco mais crítico. Uma tendência que vem aparecendo é a compra de produtores locais e produtos autorais.

Pensando nisso, uma ideia é aproveitar para criar uma loja online com produtos feitos à mão por você ou artesãos locais.

5. Roupas seminovas

Outra aposta do consumo consciente são os brechós online. A venda de roupas seminovas é uma tendência que chegou para ficar e pode ser uma boa aposta para o seu e-commerce.

Para começar, uma opção é juntar as suas roupas que não estão sendo usadas, assim como as da sua família e amigos, e selecionar as que estão bem conservadas para vender na internet.

6. Artigos para fazer exercício

Além do skincare, outros hábitos saudáveis também ganharam espaço com as práticas de autocuidado. Com isso, os equipamentos para prática de esportes e exercícios físicos estão em destaque.

Você pode apostar em roupas e calçados para a prática esportiva, além de acessórios variados, como tapetes de ioga, bolas de pilates, halteres e elásticos para facilitar os treinos em casa.

7. Alimentação saudável

Acabamos de falar sobre hábitos e a alimentação saudável, assim como a vegana/vegetariana, tem ganhado muito espaço nos últimos tempos. Por isso, criar um e-commerce para vender snacks saudáveis e opções vegetarianas pode ser um bom investimento.

8. Artigos de cozinha

Nesse período, muitas pessoas estão se descobrindo bons chefes de cozinha amadores. Com isso, as buscas por produtos do gênero, como facas, tábuas, panelas, frigideiras e outros acessórios de cozinha, vêm aumentando bastante e podem consolidar um mercado promissor.

9. Livros e e-books

Um livro é sempre uma boa companhia. Então, que tal criar uma livraria online e vender livros físicos e também e-books no seu e-commerce?

10. Cursos online

As buscas por novos conhecimentos também estão aumentando consideravelmente. Por isso mesmo, oferecer cursos livres online pode ser uma boa frente de negócio. E aqui valem não só conhecimentos profissionais, mas também hobbies e talentos, como cozinhar, desenhar, etc.

Para isso, escolha os temas de cada curso, planeje as aulas – elas podem ser em áudio, vídeo ou texto – e não se esqueça de divulgá-las em seus canais de marketing.

Nota importante

Você vai perceber que muitas dessas categorias já possuem grandes marcas atuantes ou podem parecer saturadas. Nesses casos, escolha um nicho menor dentro do segmento e foque nos seus diferencias.

Se está pensando em trabalhar com produtos esportivos, seja um especialista em Yoga, por exemplo. Já se a sua opção for por cosméticos, invista em produtos para um tipo específico de cabelo ou, mesmo, ofereça apenas produtos naturais.

Nesse caso, se você for uma loja de nicho, é muito provável que você saia na frente da concorrência, pois ela tende a ser menor.

Como referência, um exemplo de marca que conseguiu encontrar o seu nicho e se destacar no mercado, é a 7MBoots:

Como começar um negócio online?

Para quem é empreendedor de primeira viagem, tudo parece mais difícil, não é? Mas calma. Fizemos uma lista com todos os passos para criar uma loja online

1. Tenha um CPF ou CNPJ

Uma dúvida bem comum é se é preciso ter um CNPJ para criar um e-commerce.

A resposta é não. Você pode sim montar sua loja online como Pessoa Física, usando seu CPF. Porém, com um CNPJ sua loja online ganha mais credibilidade e isso será necessário lá na frente para acompanhar o crescimento da empresa.

Uma boa opção para quem ainda não tem empresa e está dando seus primeiros passos como empreendedor é fazer um cadastro como MEI (Micro Empreendedor Individual). O processo é praticamente todo online, os impostos são reduzidos e você estará com seu CNPJ em mãos em pouco tempo.

2. Regulamente o seu e-commerces

Além da abertura do CNPJ, é importante levar em consideração algumas regulamentações previstas no Decreto Federal de nº 7.962/2013.

Em resumo, existem leis sobre a descrição completa dos produtos, visualização das informações da empresa, canais de atendimento, política de entrega e práticas de coleta de dados e segurança da informação. É importante seguir todas as obrigações definidas no decreto para evitar dores de cabeça no futuro.

Para saber mais, confira os nossos conteúdos sobre as novas leis para o e-commerce no Brasil.

3. Selecione um nicho de mercado

Como falamos mais acima, escolher um nicho de mercado é essencial para se destacar, principalmente em meio à tantas marcas grandes.

Para isso, o primeiro passo é fazer uma boa pesquisa de mercado e entender quais são os nichos que estão em alta e, claro, quais deles você tem afinidade.

Para ver alguns exemplos de lojas que encontraram seus nichos de mercado, confira as histórias de algumas lojas da Nuvemshop e se inspire!

4. Entenda quem é o seu público-alvo

Outra definição fundamental é a do público-alvo. Sabendo o que será vendido no seu e-commerce, é preciso conhecer a fundo o comportamento dos seus clientes. Quais outros produtos eles consomem? Quais as marcas que fazem mais sucesso entre eles? Que conteúdos eles acessam na internet? Quais influenciadores eles seguem?

Com essas respostas, você vai conseguir planejar uma comunicação mais assertiva e criar uma marca que gere identificação entre os seus clientes, além de montar uma estratégia para fazer com que o seu site seja um dos favoritos desse público.

Depois, para medir o sucesso das suas iniciativas, você pode contar com a ajuda de ferramentas gratuitas, como o Google Analytics, por exemplo.

5. Crie um processo logístico

Mercado escolhido e público definido, é hora de pensar em como será feita a entrega dos seus produtos.

Eles exigem um prazo de produção ou você terá um estoque para pronta entrega? Sua entrega será feita através dos Correios ou você vai contratar o serviço de uma transportadora?

Essas definições vão influenciar no prazo e custo da sua entrega, por isso é essencial pesquisar e comparar bem para fazer a melhor escolha.

6. Criação do site

Agora que você já sabe como sua loja online vai funcionar, é preciso colocar seu site no ar.

Para isso, você pode usar ferramentas de criação de sites, como o Wix, ou plataformas de e-commerce, como a Nuvemshop, que permitem a criação de uma loja online em cerca de 10 minutos, sem precisar de conhecimentos técnicos ou da contratação de um programador.

Como ter um e-commerce de sucesso?

Com a loja virtual no ar, existem três pontos fundamentais para garantir o seu sucesso:

Bom atendimento

Não tem coisa mais desagradável do que ter problemas com uma compra na internet e não receber a ajuda necessária para resolver, não é?

Por isso, para fidelizar clientes e ter uma boa reputação, invista em um bom atendimento. Tire dúvidas e, em caso de problemas com a entrega ou algum imprevisto com os produtos, dê explicações sinceras e as orientações necessárias para resolver o problema o mais rápido possível.

Todo mundo está sujeito a imprevistos. Por isso, o que vai fazer diferença é a forma como você vai tratar o cliente diante de uma situação ruim.

Informações detalhadas

Para evitar frustrações ou compras erradas, dê o máximo de detalhes sobre os seus produtos, prazos de entrega e formas de pagamento.

É muito importante que o cliente saiba exatamente o que ele está comprando, qual é o material, como o produto vai chegar e quais são as opções de pagamento para que ele faça uma escolha consciente e assertiva.

Assim, você diminui as chances de arrependimento dos clientes e os deixa mais tranquilos e confiantes para comprar na sua loja online.

Um bom plano de marketing digital

O “boca a boca” é uma forma de divulgação gratuita e muito eficiente. Por isso, você precisa garantir uma ótima reputação.

Porém, com a grande concorrência nas vendas online, é necessário, também, ter um bom planejamento de marketing. Para isso, algumas opções de divulgação são:

  1. Otimizar o conteúdo do seu site com palavras-chaves relevantes para aparecer bem no Google;
  2. Criar anúncios nas redes sociais, mesmo que com pouco investimento;
  3. Ter uma boa estratégia de marketing de influência. E, aqui, não precisam ser grandes influenciadores não! Perfis menores, mas com bom engajamento, custam mais barato e podem ajudar a conquistar mais clientes.

Considerações finais

Depois desse artigo, a falta de ideias de produtos já não pode ser mais uma barreira para que você abra o seu novo negócio e comece a vender online, não é?

E aí, agora já sabe o que vender pela internet? Então aproveite os 30 dias de teste gratuito da Nuvemshop para criar a sua loja online.

Faça como +50mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop
O melhor evento de e-commerce para PME’s do Brasil

13 a 15 de julho — online e gratuito

Reserve o seu lugar