Como vender sem ter um estoque próprio?

Por: Kawan Lopes
Imagem mostrando a entrega de uma encomenda.

Aqui você encontra:

Sem tempo para ler? Não se preocupe! Temos o conteúdo, na íntegra, em versão áudio para você escutar onde estiver. É só apertar o play:

Você já pensou em abrir uma loja virtual, mas, ao se lembrar do trabalho necessário para armazenar os produtos, acabou desistindo? Se este for o caso, continue por aqui, pois, vamos aprender, neste artigo, como vender sem estoque próprio.

No e-commerce, existem diversas alternativas para lojistas que não dispõem de um grande espaço. Portanto, depois de ler este conteúdo, a questão do armazenamento não será mais um obstáculo para você começar a vender online.

Vamos lá? 😉

O que é estoque?

O estoque consiste no armazenamento de produtos e materiais diversos, visando à otimização de toda a gestão logística de um negócio.

Portanto, o estoque não representa somente o armazenamento. Ele precisa ter organização, monitoramento e otimização constante. Assim, as empresas podem ter um controle positivo de seus insumos.

Grandes empresas, normalmente, dispõem de galpões para armazenar adequadamente suas mercadorias. Porém, se falarmos de pequenos negócios, é possível criar espaços adequados para armazenamento dentro de casa, dependendo da quantidade e de qual material estamos falando.


Saiba mais...

Quais são os principais tipos de estoque?

No varejo, no atacado e no e-commerce, existe uma série de alternativas para garantir o armazenamento e gestão dos produtos. O que vale é entender qual formato melhor se encaixa com o seu modelo de negócio e investir na opção que irá trazer mais benefícios.

Dentre os diversos formatos, destacam-se os seguintes:

1. Estoque tradicional

Consiste em um espaço que é alugado ou comprado para servir única e exclusivamente para o armazenamento de materiais. Na maior parte, são grandes galpões com uma infinidade de prateleiras, nas quais os produtos são devidamente separados e empilhados.

2. Estoque compartilhado

O estoque compartilhado normalmente dispõe de amplos espaços, pois, neles, são armazenadas mercadorias de várias empresas e lojistas. Fisicamente, não há muita diferença com relação ao modelo tradicional. As particularidades são encontradas nos fluxos logísticos que tendem a ser mais complexos.

3. Estoque terceirizado

Por fim, o estoque terceirizado é a opção que livra você de algumas responsabilidades. Neste modelo, todo fluxo de armazenamento é atribuído a uma empresa contratada, que irá cuidar desde a entrada do produto até o envio para o consumidor final.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira o conteúdo abaixo sobre controle de estoque:

Como vender sem estoque?

Agora, se você quer vender online mas não dispõe de um espaço adequado para armazenar os produtos, ou não pode investir massivamente em itens, existem algumas opções que podem resolver estes problemas.

Confira, na sequência, cinco alternativas para começar a vender sem estoque:

1. Dropshipping

O dropshipping é um modelo de gestão logística que tem crescido muito, principalmente no e-commerce. Ele funciona da seguinte forma: o empreendedor recebe o pedido em sua loja e encaminha as informações para o fornecedor, que, por sua vez, será responsável por todo o trâmite de separação e envio.

Neste modelo, o lojista tira do colo não apenas o trabalho com o armazenamento dos materiais, mas também todo o fluxo de postagem das entregas. Logo, sobra mais tempo para cuidar de outras frentes do negócio, como vendas e atendimento, por exemplo.

Quer saber mais sobre como funciona o dropshipping? Confira o vídeo abaixo:

Como fazer dropshipping com uma loja Nuvemshop?

Caso queira vender sem estoque por meio do modelo de dropshipping, é possível fazê-lo de maneira muito prática com uma loja Nuvemshop. Com o aplicativo Dropi instalado em seu e-commerce, é possível automatizar a importação de produtos do acervo de mais de 2 bilhões de itens do AliExpress para sua loja.

Desse modo, seus clientes poderão escolher os produtos que quiserem e receber diretamente do fornecedor — sempre em nome da sua loja. Prático, não é mesmo?

👉 Saiba mais: Como instalar o aplicativo Dropi?

2. Venda sob demanda

A venda sob demanda é uma opção ainda mais simples do que o dropshipping. Basicamente, neste formato, o lojista anuncia os produtos que são armazenados por terceiros e os encomenda somente quando ocorrem as vendas.

Quando falamos de terceiros, nos referimos a fabricantes, lojas do varejo ou atacado etc. No entanto, o fluxo de embalagem e envio ficam por conta do lojista, já que ele é o responsável por anunciar e vender os itens.

Então, suponhamos que você anuncie calçados em seu site e, ao fazer uma venda, você imediatamente faz a compra do produto, embala e envia ao consumidor. O seu lucro, neste modelo, irá depender da precificação dos itens, pois, lembre-se de que você vai precisar pagar pelo item a cada venda realizada.

3. Parceria com fornecedores

As parcerias com fornecedores, na prática, irão facilitar o seu fluxo de vendas sob demanda. Ao estabelecer acordos comerciais, você pode garantir que o produtor separe determinados itens para você, além de negociar condições mais vantajosas.

Por exemplo, estabelecer um contrato com uma fábrica de roupas, irá permitir que você tenha a segurança de sempre encontrar os itens que você precisa em estoque. Além disso, como os contratos podem ter duração pré-definida, é possível acordar valores mais acessíveis quanto à aquisição dos produtos.

4. Revenda e vendas como afiliado

O processo de vendas como afiliado é bastante semelhante à revenda. A diferença é que, muitas vezes, o associado irá somente anunciar o produto e receber uma comissão pela venda, sem precisar se envolver em nenhum fluxo de postagem, pós-venda, atendimento etc.

Já o modelo de revenda é bastante popular no varejo, principalmente no ramo de cosméticos e perfumaria. Ele funciona da seguinte forma: o vendedor anuncia os produtos da marca e, ao realizar uma venda, notifica o fornecedor para que dê sequência ao processo de envio.

Em ambos formatos, o vendedor recebe uma comissão por cada venda e o valor varia de acordo com o contrato estabelecido pelo fornecedor. Por isso, é importante entender a margem de lucro esperada antes de investir em um destes modelos.

5. Venda de produtos digitais

Por fim, existe a venda de produtos digitais, que, por sua vez, é mais segmentada do que as demais. A lista de itens que podem ser comercializados desta forma inclui:

  • E-books;
  • Artigos e textos em geral;
  • Revistas digitais;
  • Cursos;
  • Infográficos.

Esta alternativa é ideal para pessoas que trabalham com conteúdo e estão pensando em ganhar dinheiro no e-commerce. Sem os produtos físicos, o estoque é definitivamente riscado da lista de preocupações.

Para vender este tipo de produto, o foco deve estar na produção dos materiais. O envio pode ser feito por ferramentas online como Google Drive e DropBox, por exemplo.


Saiba mais...

Quais são os riscos de vender sem estoque?

Embora vender sem um estoque próprio ofereça uma série de facilidades, é preciso analisar alguns riscos que podem surgir no caminho. Às vezes, mesmo que seja o caminho mais fácil, essa pode não ser a melhor escolha para o seu modelo de negócio.

Para te ajudar a colocar na balança os prós e contras, separei alguns riscos que podem surgir neste formato de trabalho. Confira a seguir.

1. Maiores prazos de entrega

Com o fluxo de separação e envio dependendo de terceiros, o tempo para que o produto chegue até o consumidor final é maior do que o habitual. Pois, é preciso considerar o prazo para que o fornecedor receba a sua solicitação.

2. Trocas e devoluções

Pelos mesmos motivos listados acima, caso o consumidor solicite a troca ou a devolução de um produto, este processo fica mais moroso, pois terá de ser tratado diretamente com o fornecedor.

Como os produtos saem direto do fornecedor, fica mais difícil manter o seu catálogo atualizado de acordo com a disponibilidade de itens.

4. Baixo controle de qualidade

Sem um estoque próprio, você não tem a oportunidade de garantir a qualidade do que você está vendendo.

5. Dependência do fornecedor

Para que você possa enviar os produtos para seus clientes, é preciso garantir que seus fornecedores os provenham e isso gera uma certa dependência.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

Quais são as vantagens de vender sem estoque?

No entanto, existe, sim, uma série de benefícios oferecidos por esses modelos de negócio. Se você está começando a vender agora ou intercala o negócio e outras atividades, certamente irá se interessar pelas vantagens abaixo.

1. Baixo investimento

Sem a necessidade de investir em um espaço físico para armazenamento, seus custos para começar a vender serão significativamente menores, gerando uma grande economia para o seu bolso.

2. Flexibilidade e liberdade

Como você não terá um estoque fixo, realizar mudanças em seu negócio, ou até mesmo, trocar de nicho, fica mais fácil.

3. Maior diversidade de produtos

Podendo contar com mais de um fornecedor, você tem a oportunidade de explorar os diversos segmentos e trabalhar com um grande leque de itens.

4. Facilidade operacional

Como mencionei durante o texto, todo o fluxo logístico deixa de ser sua responsabilidade, logo, suas tarefas em relação às vendas são mais simples e rápidas.

5. Maior tempo hábil

Pela mesma razão listada acima, com todo o processo de envio sendo realizado por terceiros, sobra mais tempo para que você se dedique a outras atividades.

Resumo

Espero que este conteúdo tenha clareado suas ideias sobre como é vender sem estoque. Analise com atenção os prós e contras e entenda se este modelo faz sentido para o seu negócio.

Para tanto, confira um resumo rápido sobre vender sem estoque:

O que é estoque?

O estoque consiste no armazenamento de produtos e materiais diversos, visando à otimização de toda a gestão logística de um negócio. Portanto, o estoque não representa somente o armazenamento. Ele precisa ter organização, monitoramento e otimização constante.

Quais são os principais tipos de estoque?

  • Estoque tradicional
  • Estoque compartilhado
  • Estoque terceirizado

Como vender sem estoque?

  • Faça dropshipping
  • Venda sob demanda
  • Faça parceria com fornecedores
  • Trabalhe com revenda e vendas como afiliado
  • Venda produtos digitais

Vantagens de vender sem estoque

  • Baixo investimento
  • Flexibilidade e liberdade
  • Maior diversidade de produtos
  • Facilidade operacional
  • Maior tempo hábil

Riscos de vender sem estoque

  • Maiores prazos de entrega
  • Trocas e devoluções
  • Sincronização de catálogo
  • Baixo controle de qualidade
  • Dependência do fornecedor

No e-commerce, as opções são diversas, só é necessário ter cuidado na hora de investir para garantir que você fez a escolha certa.

E se você ainda não vende pela internet e está pensando em começar, o que acha de fazer um teste gratuito por 30 dias com a Nuvemshop? Conte com a gente para potencializar sua história de sucesso. 💙

Faça como +75mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer vender pela internet sem estoque?

Teste a Nuvemshop por 30 dias e crie sua loja de dropshipping ou de produtos digitais sem precisar de conhecimentos técnicos!

Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies