Os 5 tipos de vendas mais comuns no mercado e porque usá-los na sua empresa

Por: Rock Content

Vendedor em loja de materiais para exemplificar os tipos de vendas.

Aqui você encontra:

Os principais tipos de vendas do mercado são:

  1. Venda direta
  2. Venda consultiva
  3. Venda corporativa
  4. Venda cruzada
  5. Venda consignada

Quer conhecer os detalhes sobre cada um deles? Então, siga a leitura deste conteúdo!


Para quem está no mercado disputando a atenção — e os recursos — de consumidores cada vez mais exigentes, conhecer diferentes tipos de vendas é uma prática fundamental para o sucesso. Afinal, depender de apenas um tipo de abordagem pode acabar fechando inúmeras possibilidades de negócio para a sua empresa.

A grande vantagem que a transformação digital proporciona é justamente a oportunidade de ampliar os seus negócios com diferentes estratégias e soluções para atrair consumidores em potencial para a sua empresa. Dentro de um mercado tão concorrido, não basta ter o melhor produto ou preços mais baixos, é preciso ser assertivo em suas ações.

Por isso, a parte fundamental para conseguir mais clientes para a sua organização é justamente saber quais os principais tipos de vendas que existem no mercado, avaliando suas aplicações e colocando-os em prática.

Ficou curioso para saber mais? Continue a leitura deste artigo e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!

1. Venda direta

Um dos modelos mais comuns de negociação é a venda direta. Nesse caso, as empresas oferecem seus produtos ou serviços diretamente ao consumidor final, sem que exista um estabelecimento comercial como intermediário.

Estratégia bastante utilizada por organizações de diferentes tamanhos, a ideia é captar vendedores que queiram, por exemplo, adicionar uma renda extra ao seu orçamento.

Assim, o vínculo entre a empresa e esses colaboradores é mínimo e consiste, principalmente, na primeira etapa de comercialização, quando o negócio vende os seus produtos para o vendedor, o que acontece antes do contato direto com o consumidor final.

Para exemplificar: se você compra um produto de beleza de uma revendedora Avon, este é um caso de venda direta. Agora, se você comprasse esse mesmo produto em uma perfumaria que trabalha com diferentes marcas, a venda não poderia ser classificada do mesmo jeito.

Dessa maneira, uma das maiores vantagens do modelo direto é o contato entre vendedor e cliente, que acaba se tornando muito mais próximo e facilitando a fidelização desse consumidor.

Além disso, outro ponto positivo para as empresas é o engajamento que os revendedores costumam ter. Afinal, o faturamento deles depende exclusivamente do seu desempenho com as vendas e, por isso, estão sempre motivados para conseguirem mais clientes. Para as marcas, é uma forma de fortalecer a reputação.

Os revendedores podem atuar batendo de porta em porta para vender os produtos, participando de eventos ou criando uma loja virtual para expor o catálogo. Tudo isso acaba facilitando a adaptação do modelo ao perfil e às necessidades da sua empresa.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

2. Venda consultiva

Focando ainda mais em um relacionamento próximo entre consumidores finais e vendedores, as vendas consultivas são ideais para quem sofre, por exemplo, com um alto churn rate (taxa de cancelamento). A aproximação com o cliente acaba se tornando um diferencial competitivo, simplificando a difícil tarefa de fidelização.

Fazendo um paralelo com o marketing digital, esse é um tipo de venda que busca auxiliar o cliente por meio de informações úteis e que realmente possam facilitar o seu processo de tomada de decisão, como o marketing de conteúdo. O objetivo é fazer um diagnóstico da situação do consumidor, apresentar os problemas e, em seguida, as melhores soluções.

Explicando o cenário em que o cliente se encontra e disponibilizando o produto ou serviço ideal para aquele problema, a conversão se torna muito mais palpável.

Normalmente, as vendas consultivas são utilizadas em nichos que necessitam de soluções mais complexas. Sendo assim, o revendedor precisa dominar o assunto em questão. Quando o trabalho é bem feito, a tendência é que se construa uma relação de confiança entre as duas partes.

3. Venda corporativa

Esse modelo costuma ser utilizado por aquelas empresas que adotam o B2B — Business to Business ou, em português, de empresa para empresa — como estratégia de venda. Nele, muitas vezes, a abordagem das vendas consultivas também é usada.

Isso acontece porque, em vendas para outros negócios, o processo de convencimento precisa ser muito bem trabalhado, especialmente pelos motivos listados abaixo:

  • O ciclo de vendas, ou seja, o tempo até que ela seja fechada, costuma demorar mais;
  • A tomada de decisão é mais complexa, pois envolve um ticket médio mais alto e, muitas vezes, mais de um funcionário da empresa compradora;
  • A escolha de uma opção do mercado se dá muito mais pelos atributos técnicos do produto ou serviço do que por razões emocionais, como pode acontecer muitas vezes na venda ao consumidor final.

Nesse cenário, a equipe de vendas precisa estar muito bem preparada para esse perfil de cliente. Além disso, a resiliência precisa estar presente na característica dos vendedores.

4. Venda cruzada

Estratégia muito simples de ser implementada e que pode ser utilizada de forma simultânea a outros modelos, as vendas cruzadas — também conhecidas como cross selling — são excelentes para quem precisa, por exemplo, aumentar o ticket médio das suas vendas. O objetivo nessa abordagem é pensar na composição de uma negociação, ou seja, adicionar mais itens às transações.

Em vez de vender apenas um brinco, por que não oferecer uma pulseira que combine com a peça? O cliente que já decidiu comprar um item pode acabar aumentando o seu carrinho de compras com outro produto complementar. Outro benefício dessa estratégia é a redução do CAC (Custo de Aquisição de Cliente), o que melhora os lucros da empresa.

Como a abordagem não é tão complexa, o seu foco deve ser em preparar os vendedores — ou representantes — a adotarem essa prática com maior recorrência.

Quanto maior for o mix de produtos do seu negócio, maiores são as chances de a sua equipe conseguir oferecer itens complementares realmente úteis para os consumidores finais.

5. Venda consignada

Para aquelas empresas que trabalham com distribuidores e varejistas em suas cadeias de vendas, esse modelo pode significar uma amplitude ainda maior para os produtos de uma organização.

Na prática, uma empresa firma uma parceria com empreendedores — outros negócios ou revendedores independentes — para negociar os seus itens com novos nichos.

O grande desafio desse modelo é conseguir ter lucro mesmo quando os produtos não são vendidos, afinal, quem aceita revender os seus itens não precisa arcar com custos de devolução, por exemplo. O parceiro vai pagar apenas pelo que é vendido e, assim, o que ficar em seu estoque é de responsabilidade da empresa.

Nesse caso, é fundamental realizar um trabalho preciso de prospecção de potenciais parceiros. Afinal, como os custos vão ser de sua responsabilidade, é preciso reduzir ao máximo as chances de ficar com produtos encalhados no estoque dos revendedores ou distribuidores. Estudar a fundo o seu público-alvo também é uma tática importante.

Outro ponto de atenção ao adotar esse tipo de venda é o alto gasto com logística e a necessidade de um trabalho eficiente nesse quesito. Por mais que o custo com o armazenamento dos produtos reduza — já que estão sob responsabilidade dos parceiros —, é preciso distribuir e recolher os itens com precisão e economia para fazer mais vendas.

[Bônus] Por que não fazer vendas casadas?

Assim como é necessário conhecer os diferentes tipos de vendas que você pode utilizar na sua empresa, é fundamental saber quais são aqueles que devem ser evitados.

As vendas casadas são exemplos clássicos de abordagens que precisam passar longe do planejamento estratégico do seu negócio. Além de antiético, também é considerado crime e pode acarretar em uma multa que varia de 0,1% a 20% do faturamento anual da empresa.

De acordo com o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor:

É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas: (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994)

I – condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço, bem como, sem justa causa, a limites quantitativos;

II – recusar atendimento às demandas dos consumidores, na exata medida de suas disponibilidades de estoque, e, ainda, de conformidade com os usos e costumes (…).

Ou seja, na venda casada o vendedor condiciona a negociação de um item com a obrigatoriedade da compra de outro produto. Como nem sempre o item obrigatório é de interesse do consumidor, além de ser uma prática ilegal, ela também acaba prejudicando o seu relacionamento com o cliente.

Por que conhecer e adotar um tipo de venda no seu negócio?

Faz parte da rotina de qualquer gestor lidar com a cobrança dos seus superiores por resultados, certo? Justamente por conta disso, é fundamental se preparar para apresentar os números que a sua empresa espera conseguir. Parte desse trabalho é definir as estratégias e ações que podem gerar os melhores resultados para o seu negócio.

Dentro de um mercado amplamente competitivo, cada detalhe pode fazer uma enorme diferença e saber aproveitar melhor o orçamento disponível para a sua equipe pode ser esse diferencial. Como fazer isso? Conhecendo os diferentes tipos de vendas que existem e escolhendo aquele modelo que melhor se encaixa aos seus objetivos.

Afinal, assim como a variedade de estratégias é grande, o perfil dos consumidores em potencial também. Avaliando os tipos de vendas, você consegue definir com maior precisão quais abordagens podem ser utilizadas para alcançar as metas estipuladas em seu plano de marketing.

Dicas para aumentar as suas vendas

Agora que você já conhece os principais tipos de vendas, separamos algumas dicas extras para você aumentar os ganhos do seu negócio, independentemente do modelo que escolher.

Vamos lá? 📝

Conheça seu público-alvo

Conhecer bem o seu público-alvo é o primeiro passo para direcionar as suas estratégias de venda da melhor forma. Isso porque, de acordo com o perfil do seu cliente ideal, alguns tipos de vendas podem funcionar melhor do que outros.

Portanto, crie uma persona — ou seja, um personagem fictício que representa o seu consumidor ideal — e coloque-a no centro de todas as suas ações.

💡 Saiba mais: Definindo o alcance do seu negócio: qual é o seu público-alvo?

Estude a concorrência

Explorar o ambiente e as possibilidades de venda também envolve a análise da concorrência. Entenda quem são os seus principais competidores, quais produtos ou serviços eles oferecem aos clientes e seus respectivos diferenciais.

Além de te dar um panorama do contexto em que está inserido, esse é um ponto fundamental para acompanhar as tendências e criar novos argumentos de venda.

Use diferentes técnicas de venda

As técnicas de vendas e os gatilhos mentais são metodologias fundamentais para o trabalho de qualquer vendedor. Ter um discurso alinhado e utilizar os argumentos certos são fatores determinantes para concretizar uma venda.

Mas isso não quer dizer que você precise usar sempre as mesmas palavras. Pelo contrário, um bom vendedor é aquele que cria o rapport — ou seja, o relacionamento — com cada cliente, entendendo suas necessidades individuais.

💡 Saiba mais: 33 técnicas de vendas para aumentar as vendas do seu negócio

Pense no pós-venda

Realizar uma venda não significa que o seu relacionamento com o cliente deve terminar ali. Pelo contrário, este pode ser somente o começo de um vínculo duradouro.

Philip Kotler, um dos principais nomes do marketing, dizia que “manter um cliente custa 5 a 7 vezes menos do que conquistar um novo”. Por isso, apostar em estratégias de pós-venda pode garantir que um mesmo consumidor volte a comprar de você várias vezes.

Para saber mais sobre o assunto, confira o vídeo abaixo:

Crie metas e acompanhe resultados

A única maneira de entender se o tipo de venda escolhido está trazendo frutos para o seu negócio é criando objetivos e medindo os resultados. Só assim será possível entender o que está dando certo e o que precisa ser melhorado.

Por isso, estude quais são os principais KPIs — também conhecidos como indicadores-chave — que fazem sentido para o seu caso e acompanhe-os semanal ou mensalmente.

Resumo

Ao conhecer melhor os diferentes tipos de vendas, você acaba potencializando as chances de sucesso da sua empresa. Afinal, cada uma dessas estratégias tem foco em um público-alvo específico e tende a ser mais efetiva para determinados modelos de negócio, por exemplo. Procure saber mais, avalie e aplique as estratégias mais adequadas.

Além da importância de definir quais tipos de vendas utilizar em sua estratégia, é fundamental saber como aumentar as suas chances de fechar uma transação. Por isso, que tal se aprofundar um pouco mais em maneiras de melhorar o script de vendas da sua equipe?

Antes de terminar este conteúdo, que tal um resumo rápido dos principais pontos abordados?

5 tipos de vendas mais comuns no mercado

  1. Venda direta
  2. Venda consultiva
  3. Venda corporativa
  4. Venda cruzada
  5. Venda consignada

Por que não fazer vendas casadas?

De acordo com o artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor, é crime condicionar a negociação de um item com a obrigatoriedade da compra de outro produto.

Por que conhecer e adotar um tipo de venda no seu negócio?

Avaliando os tipos de vendas e escolhendo um deles para a sua empresa, você consegue definir com mais assertividade quais abordagens podem ser utilizadas para alcançar as metas estipuladas.

Dicas para aumentar as suas vendas

  • Conheça seu público-alvo
  • Estude a concorrência
  • Use diferentes técnicas de venda
  • Pense no pós-venda
  • Crie metas e acompanhe resultados

E, se você já escolheu o tipo de venda que quer implementar no seu negócio, mas ainda não possui uma loja virtual para ofertar seus produtos, o próximo passo é definir o canal de vendas ideal para a sua marca.

Plataformas de e-commerce como a Nuvemshop podem te ajudar a potencializar suas vendas e garantir mais flexibilidade e autonomia na hora de vender!

Faça como +80mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Pesquisando sobre tipos de vendas para vender pela internet?

Crie agora sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional.

Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies