O que é e-business e como ele se estrutura?

Por: Raquel Lisboa

empreendedora de e-business trabalhando

Com o advento da tecnologia, a palavra “e-business” tem se tornado cada vez mais comum no meio empreendedor. Assim, se você não sabe o que ela significa ou quer aprender mais sobre o assunto, fique aqui com a gente. 🙂

Neste artigo, exploraremos o universo do e-business: o que é, como ele se diferencia do e-commerce, quais são suas modalidades e vantagens, como ele se estrutura e quais são as etapas para desenvolver tal estratégia. Acompanhe!

O que é e-business?

E-business é o acrônimo de electronic business, que significa “negócio eletrônico”. Como a própria tradução indica, este termo diz respeito a empresas que se desenvolvem 100% no ambiente digital — tanto em relação ao modelo de negócio, quanto à organização financeira, logística e de vendas.

Alguns cases atuais de e-business são a Netflix e o Spotify. Estes se diferem de empreendimentos mistos (online + offline) exatamente por não terem espaços de atendimento e/ou de venda físicos, como o Magazine Luiza e a Netshoes, por exemplo.

Qual é a diferença entre e-business e e-commerce?

A esta altura você já deve estar se perguntando se estes dois termos são a mesma coisa, e a resposta é “não”.

E-commerce é um componente do e-business. Ele se refere apenas à parte visível de um negócio eletrônico (exposição dos produtos, contato com o público-alvo e concretização das vendas) — ou seja, a loja virtual.

E-business, por outro lado, é macro: envolve todos os processos de um empreendimento digital (planejamento, execução e mensuração dos resultados).

💡 Saiba maisO que é e-commerce?

Quais são as modalidades do e-business?

Dependendo da área de atuação (matérias-primas, produtos prontos, serviços etc) e do público-alvo, o e-business pode funcionar a partir de diferentes modalidades. Assim, dentre elas, destacam-se:

  • B2B (Business to Business, ou “de empresa para empresa”);
  • B2C (Business to Consumer, ou “de empresa para consumidor”);
  • B2G (Business to Government, ou “de empresa para o governo”);
  • C2C (Consumer to Consumer, ou “de consumidor para consumidor”).

Para conhecer as características de cada um destes modelos, assista ao vídeo a seguir:

Qual é a estrutura do e-business?

Conforme explicado, o e-business envolve todos os processos de um empreendimento digital. Logo, ele abrange diferentes áreas para manter o negócio ativo e saudável. Abaixo, conheça-as:

E-commerce

O e-commerce, como visto, é a base virtual para apresentar os produtos (ou serviços) do negócio, manter contato com o público-alvo durante a jornada de compra, disponibilizar um espaço seguro para efetuar transações financeiras e fidelizar o cliente no período de pós-venda.

A Nuvemshop, por exemplo, é uma plataforma de e-commerce robusta e flexível, que oferece fácil integração com as principais soluções do ecossistema digital, como meios de pagamento, de frete e ferramentas de gestão e de marketing.

Crie a sua loja virtual e venda pela internet
Testar 30 dias grátis

BI (Business Intelligence)

Business Intelligence, ou “inteligência de negócios”, é a área responsável por coletar, organizar e analisar os dados da própria empresa e compará-los aos do mercado. Tal sistema de informação resulta em insights (de marketing, vendas, gestão etc) para a evolução do e-business.


Saiba mais

Procurement

Procurement é um sistema que propicia uma comunicação ágil entre a empresa e seus fornecedores. A equipe responsável por tal gestão pode fazê-la de duas maneiras: por e-sourcing (leilão reverso) ou e-informing.

No e-sourcing, a companhia recebe lances de diversos fornecedores do mercado e escolhe a proposta mais vantajosa. No e-informing, por outro lado, a empresa troca informações com vendedores para gerar um banco de fornecedores variados.


Saiba mais

SCM (Supply Chain Management)

Supply Chain Management, ou “gestão de cadeia de suprimentos”, é a esfera responsável por integrar o fluxo de recursos no e-business — ou seja, desde o recebimento do pedido do cliente até o momento da entrega da encomenda.

O SCM diz respeito ao planejamento e à distribuição de despachos: como os produtos serão armazenados e manuseados, quais são as melhores rotas para entrega, como otimizar o tempo de envio etc.


Saiba mais

ERP (Enterprise Resource Planning)

Enterprise Resource Planning, ou “planejamento de recursos empresariais”, é uma ferramenta utilizada para centralizar e automatizar as atribuições da gestão de um negócio, tais como: fluxo de caixa, controle de estoque, emissão de notas fiscais etc.

A Nuvemshop, por exemplo, oferece integração com os ERPs mais conhecidos do mercado, como o Bling e o Tiny, que podem auxiliar (e muito!) na escalabilidade de uma empresa.


Saiba mais

CRM (Customer Relationship Management)

Customer Relationship Management, ou “gestão de relacionamento com o cliente”, é um sistema que reúne e administra dados dos compradores e potenciais consumidores, como o RD Station CRM, por exemplo.

Diferentemente do ERP, que possui foco financeiro, fiscal e logístico, o CRM geralmente é usado pelas equipes de atendimento, marketing e vendas.


Saiba mais

Para que serve o e-business?

Depois de conhecer as características e os componentes do e-business, fica fácil constatar suas principais vantagens, que são as de:

  • Inserir a marca no comércio eletrônico (que a cada ano se torna mais popular);
  • Facilitar a comunicação com parceiros do negócio (com fornecedores, por exemplo);
  • Integrar a gestão de processos (financeiros, fiscais, logísticos e de marketing);
  • Reduzir custos (com a dispensabilidade de viagens e espaços físicos, por exemplo);
  • Disponibilizar a compra digital a todos (por meio de uma loja virtual).

As 4 etapas para desenvolver uma estratégia e-business

Se depois de ler o conteúdo acima, você tiver decidido que o e-business é para você (seja para migrar o seu negócio do offline para o online ou montar uma empresa digital do zero), siga com a gente!

A seguir, confira quais são os quatro passos essenciais para criar uma estratégia eletrônica, além de artigos complementares para te ajudar em tal tarefa:

1. Definição dos objetivos

Na primeira etapa, é indicado reunir dados do mercado e estabelecer as metas do seu negócio. Se você possui um empreendimento offline, é provável que já tenha delimitado alguns destes tópicos anteriormente. No entanto, não deixe de revisá-los, ok? Assim:

  • Escolha um nicho de atuação;
  • Investigue a concorrência (seus pontos fortes e fracos);
  • Determine a missão e os valores da empresa;
  • Conheça as principais características do público-alvo.

Saiba mais

2. Criação do plano de negócio

Neste próximo passo, você deve montar a estrutura da sua empresa (através do modelo Lean Canvas, por exemplo), considerando seu diferencial diante dos concorrentes e o custo-benefício da estratégia e-business. Portanto:

  • Reflita sobre os pontos fracos da concorrência;
  • Descubra oportunidades de negócio a partir disso;
  • Pesquise parceiros do segmento (fornecedores, distribuidores etc);
  • Defina quais canais de venda utilizar (loja virtual e Instagram, por exemplo);
  • Estime custos e gastos recorrentes (mensais ou semestrais).

Saiba mais

3. Implementação do projeto

No terceiro estágio, chega o momento de colocar o projeto no ar e divulgar os produtos e/ou serviços. À vista disso:

  • Veicule publicações nas redes sociais;
  • Invista, se couber no seu orçamento, em anúncios pagos (no Google, por exemplo);
  • Crie conteúdos engajadores relacionados ao seu nicho;
  • Esteja atento aos canais de atendimento (para eventuais dúvidas do público-alvo).

Saiba mais

4. Mensuração dos resultados

Por fim, para compreender se o projeto-piloto do e-business está trazendo bons resultados, é primordial avaliar o desempenho dos setores e aplicar melhorias, quando se fizer necessário. Logo:

  • Determine os KPIs (indicadores-chave de performance) do negócio;
  • Escolha períodos específicos para verificá-los (semanais, mensais e/ou semestrais);
  • Incentive o cliente a dar feedbacks e mostre-se disposto a recebê-los;
  • Faça benchmarking (pesquise, entre outras empresas, as melhores práticas de gestão).


Saiba mais

Entendido?

Esperamos que você tenha tirado suas dúvidas sobre e-business e notado que este é o modelo de negócio ideal para quem deseja atingir clientes e potenciais clientes em grande escala e otimizar a gestão das principais esferas de uma empresa.

Caso queira encontrar artigos similares ao que você acabou de ler, indicamos a categoria Negócio do Blog da Nuvemshop.

Ah, e se você ainda não criou a sua loja virtual (parte fundamental para a estratégia e-business!), que tal testar a Nuvemshop por 30 dias gratuitos? Conte com a gente para potencializar a sua história de sucesso. 🚀

Aqui você encontra:

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies