24/09/2018

Como estruturar um Lean Canvas para o seu negócio

como montar leans canvas para negocio

Não faz muito tempo que, para começar um negócio e levar sua ideia adiante, era preciso montar um Business Plan de forma detalhada e mostrá-lo para investidores e especialistas que poderiam validar o projeto. Esse processo poderia levar até um ano, entre coleta de informações, projeções de lucro e análise de riscos.

A quantidade de tempo dispensada antes mesmo da empresa ganhar vida fez com que o teórico Alexander Osterwalder  desenvolvesse uma forma mais rápida e simples de organizar e apresentar uma ideia: o Business Model Canvas, composto de alguns poucos pilares. Não muito tempo depois, surgiu o Lean Canvas com aspectos semelhantes ao anterior, porém mais prático e objetivo.

De acordo com Luiz Eduardo Buccos – coordenador dos cursos para executivos na Digital House – se no Business Plan, por exemplo, era necessário detalhar informações como quantas pessoas se encaixam no perfil do segmento desejado e a condição socioeconômica de cada uma, no Lean Canvas você só precisa de uma simples definição de comportamento. Por isso, esse modelo é bastante indicado para startups que ainda estão na fase de testes e hipóteses.

O Lean Canvas utiliza nove pilares que são dispostos em blocos em uma única folha de papel, afinal, seu propósito é economizar recursos e tempo. As partes guiam você através de etapas lógicas, começando com os problemas do seu cliente até a sua vantagem injusta. Abaixo, descubra quais são esses pilares e como usá-los para estruturar seu negócio:

1. Problema

Neste bloco, é preciso descrever de um a três problemas prioritários que seu segmento de consumidores pode ter e que precisam de solução. Sem isso para oferecer, você não terá um produto ou serviço para sua empresa.

2. Segmento de clientes

Esse bloco está intrinsecamente ligado ao anterior. É preciso definir quem são os clientes da sua empresa e como eles podem ser organizados. Se você tiver mais de um segmento, faça um Lean Canvas diferente para cada um deles. Mantenha em mente que sem esta situação, você não conseguirá pensar em um problema e vice-versa.

3. Proposta de valor única

No centro do seu Canvas está a Proposta de valor única, onde é preciso descrever o principal motivo pelo qual seus clientes comprariam o seu produto, o que faz dele diferente e atrativo e por que seu público deveria gastar tempo e dinheiro com a solução oferecida pela sua empresa.

4. Solução

Encontrar a solução é o mesmo que encontrar a galinha dos ovos de ouro. Esse bloco não é o mais fácil de se preencher e pode levar um pouco mais de tempo que os outros. Isso porque, de acordo com Steve Blanks, conhecido empreendedor do Vale do Silício, é preciso buscar essa resposta fora do escritório, conversando com seus potenciais clientes, fazendo pesquisas e entendendo melhor qual solução é a esperada.

5. Métricas-chave

Independentemente do tamanho ou pretensão do seu negócio, é preciso ter métricas-chave para monitorar sua performance, por isso, nesse bloco é preciso descrever quais serão as principais ações e KPIs para avaliar e garantir a retenção de consumidores e geração de receitas.

6. Canais

Os canais são os meios pelos quais você pretende atingir seu público-alvo. Eles também são úteis para te ajudar a ensinar mais sobre o seu segmento. Você pode listar aqueles que gratuitos e/ou pagos que pretende usar, como redes sociais, blog, artigos, e-mail marketing, webinars etc – qualquer meio em que seu público possa estar.

7. Estrutura de custos

Aqui, é preciso listar todos os custos operacionais que a empresa terá ao entrar oficialmente no mercado. É importante fazer uma estimativa de gastos fixos e variáveis – desde contas de luz e água a pesquisas encomendadas.

8. Fluxos de receita

Da mesma forma que o dinheiro vai embora, ele precisa entrar para garantir a receita. Qual será o modelo da sua empresa? Período de teste grátis com assinatura posteriormente? Ou anúncios?

9. Vantagem injusta

O último item é também considerado um dos mais difíceis de ser preenchidos no Lean Canvas.

A vantagem injusta refere-se ao que não pode ser copiado ou comprado de outra empresa, por exemplo, informação privilegiada, uma equipe dos sonhos, apoio de especialistas ou clientes já existentes. Ou seja, você precisa incluir nesse bloco o que sua empresa tem e que ninguém mais pode adquirir.

Com estas dicas, você está pronto para começar a desenhar e estruturar o seu negócio com a ajuda de um Lean Canvas. Mantenha em mente que você talvez não acertará de primeira e precisará refinar suas ideias para testá-las, até chegar em um formato mais realista.

Data da última atualização: 15/10/2018


O que você achou desse conteúdo?


Paola Perroti

Formada em Jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero. É produtora de conteúdo, especializada em social media e entusiasta do marketing digital.


    • Jack Jonh Black

      Foda não ter imagens do próprio canvas no texto… 🙁

    como-estruturar-um-lean-canvas-para-o-seu-negcio