Guia completo para importar produtos e vender na sua loja virtual

Por: Talitha Adde

Imagem mostra uma empilhadeira com uma embalagem para envio, uma van de transporte de mercadorias e um avião decolando, simulando, então, o queria o processo de importar produtos

Vender produtos importados é uma maneira de aumentar a receita do seu negócio. Isso porque se trata de mercadorias, muitas vezes, vendidas exclusivamente no mercado internacional. Mas como importar produtos legalmente?

Mesmo sabendo que essa é uma área de atuação rentável, é preciso saber como e o que você pode revender para evitar prejuízos para a sua empresa. Então, a seguir, veremos como importar produtos para vender pela internet.

Como importar produtos para vender em sua loja virtual?

Antes de começar a vender produtos de outros países em sua loja virtual, é preciso entender algumas etapas do processo básico de importação. Veja a seguir:

1. Escolha uma plataforma de e-commerce confiável

Para fazer a importação de produtos e revendê-los na internet, você precisa ter uma loja virtual.

Caso ainda esteja pesquisando sobre uma plataforma de e-commerce estável, te convido a conhecer a Nuvemshop para criar a sua loja online.

Com a plataforma, você pode ter uma vitrine virtual personalizada para vender produtos nacionais, importados ou serviços, com as condições necessárias para transmitir confiança ao seu consumidor.

Crie sua loja virtual
Testar 30 dias grátis

💡 Saiba maisO que é e-commerce?

2. Venda produtos importados em marketplaces

Além de ter um e-commerce para vendas, comercializar os seus produtos importados em marketplaces, como a Shopee, o Mercado Livre e a Amazon, pode ser extremamente positivo.

Isso porque a maior vantagem de vender por esse tipo de canal de vendas está na visibilidade que essa modalidade pode trazer para os seus produtos importados.

Como esses sites têm visitantes frequentes, com o seu catálogo disponível nestes marketplaces, o processo de captação de clientes fica mais rápido e curto.

Além disso, existem ferramentas para e-commerce que possibilitam que você faça a integração da sua loja virtual com canais de vendas.

Essa funcionalidade proporcionará mais visibilidade para o seu e-commerce, já que esses sites têm grande potencial de geração de tráfego.

💡 Saiba mais: Canais de venda: o que são e como usá-los a favor da sua marca

3. Conheça as normas de importação

Antes de começar a vender produtos importados, é importante que você estude todos os detalhes burocráticos e obrigações tributárias. Aqui, certifique-se de que a sua empresa esteja propriamente constituída, registrada e legalizada.

💡 Saiba mais: Tipos de empresa: quais são e como escolher?

Para isso, confira se o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) da sua empresa está em situação regular e se a atividade de importação consta como parte do objeto social do seu negócio. Essa informação pode ser consultada, gratuitamente, no site da Receita Federal.

Registro no Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex)

Após atestar que o seu e-commerce está operando em situação legal, o próximo passo é habilitar a sua empresa no Sistema Integrado de Comércio Exterior (Siscomex).

O Siscomex, também conhecido como senha no RADAR, é um sistema utilizado pelo governo brasileiro para monitorar a exportação e importação de produtos no país.

A ferramenta permite a integração de todas as informações e órgãos relacionados às suas operações internacionais em uma mesma plataforma, simplificando as burocracias de exportação e importação e reduzindo os documentos necessários para o processo.

Existem três modalidades do Siscomex:

  • Radar Express: limite de até US$ 50.000 por semestre para importações e ilimitado para as exportações.
  • Radar Limitado: limite de até US$ 150.000 por semestre para importações e ilimitado para as exportações.
  • Radar Ilimitado: importações acima de US$ 150.000 por semestre e operações ilimitadas de exportações.

Para ter essa licença, verifique, no portal da Receita Federal, os documentos necessários para o seu tipo de enquadramento.

Com todos os documentos em mãos e o Requerimento de Habilitação ao Comércio Exterior preenchido, compareça a uma unidade de atendimento da Receita Federal e solicite a habilitação do Siscomex.

Quando aprovada a sua solicitação, você já está regularizado para vender produtos importados na internet.

Veja um vídeo explicativo de como habilitar o radar:

4. Estude o mercado de atuação

O próximo passo é definir quais produtos você pretende importar para vender pela internet. Aqui, é importante ficar atento às taxas de importação cobradas para que não prejudiquem a sua lucratividade.

Além disso, é importante ser assertivo. Então, em vez de optar por importar e vender eletrônicos, por exemplo, defina qual será o seu nicho de atuação no mercado: peças para computadores, fones de ouvido, acessórios para smartphones, ferramentas de áudio e vídeo etc. Lembre-se de que quanto mais preciso, melhor.

Isso porque, para garantir que você ganhe espaço com vendas internacionais na internet, é preciso entender quais problemas ou necessidades de compra do consumidor a sua loja virtual pode resolver.

Quer entender melhor o que levar em consideração para definir o nicho de mercado do seu negócio? Então confira o vídeo abaixo!

💡 Saiba mais: O que é e como definir o seu nicho de mercado

5. Defina o público-alvo

Com a área de atuação do mercado definida, é preciso estabelecer quem é o público-alvo deste segmento do seu negócio, ou seja, qual é o perfil de cliente que vai consumir os produtos importados em seu site.

Conhecendo o seu cliente (comportamento e hábitos, por exemplo), você consegue promover ofertas e definir exatamente o que vender.

Por exemplo, se você vende peças importadas para computadores, pode criar uma estratégia de frete grátis ou oferecer um kit exclusivo com os itens mais vendidos do seu e-commerce no Dia do Consumidor.

💡 Saiba mais: Defina o alcance do seu negócio: qual é o seu público-alvo?

6. Escolha os fornecedores

Agora, chegou a hora de escolher os fornecedores internacionais para importar os produtos para a sua loja virtual.

Se você pretende vender roupas de marcas renomadas no seu e-commerce, você pode importar produtos dos Estados Unidos, por exemplo.

Assim, é possível fazer compras com preços mais em conta e revender por preços mais competitivos do que as lojas nacionais, mantendo uma boa margem de lucro por cada peça vendida.

Por outro lado, se o seu foco são produtos decorativos e acessórios, importar produtos da China pode ser mais vantajoso. Por conta do elevado grau tecnológico das linhas de produção do país, é possível solicitar mercadorias com diferentes cores e designs.

Independentemente de onde os produtos serão importados, o importante é escolher fornecedores de qualidade.

Para isso, pesquise quem pode atender as necessidades da sua empresa, quais formas de pagamento oferecem, prazos de entrega, condições de produção e reputação no mercado.

Por fim, após levantar uma lista com os principais fornecedores, você precisa analisar quem cumpre com os seus requisitos e tem o melhor preço. Além disso, antes de colocar os produtos à venda, pode ser uma boa ideia fazer uma compra você mesmo para conferir a qualidade dos artigos.

💡 Saiba mais: Como escolher bons fornecedores para a sua empresa

7. Determine a logística que será utilizada

Após escolher os fornecedores, o próximo passo é entender como será feita a importação.

Existem três formas principais que você pode utilizar para importar produtos para o Brasil. Vamos te explicar quais as principais características de cada uma para você escolher a que combina mais com o seu negócio.

Dropshipping

O dropshipping é a forma mais popular entre e-commerces para vender produtos importados.

Basicamente, a principal vantagem deste modelo é que você não precisa ter um estoque. Ou seja, para cada compra feita na sua loja, você deverá entrar em contato com o seu fornecedor e solicitar que ele envie a mercadoria diretamente ao seu cliente.

Por exemplo, suponhamos que um cliente acesse a sua loja online e compre um acessório para celular. Assim que receber a solicitação de compra, você deverá acessar o site do seu fornecedor e comprar esse produto, colocando os dados do seu cliente no endereço de entrega.

Nesse sentido, o dropshipping é uma forma de negociação triangular, isto é, inclui o fornecedor, o cliente e você, como o intermediador da venda.

O sistema é indicado, principalmente, para empreendedores que não querem investir na compra de produtos para o estoque antes de realizar as vendas ou que ainda estão testando a aceitação dos produtos no mercado.

Conheça mais sobre o dropshipping no vídeo abaixo:

Importação direta

Na importação direta, você compra o produto do seu fornecedor antecipadamente e armazena o estoque em um local próprio, já em território nacional.

Para isso, você precisa ter a habilitação da Siscomex, além de passar por todo o processo de desembaraço aduaneiro. Esse procedimento consiste na liberação de uma mercadoria pela alfândega para a entrada no país (em caso de importação) ou sua saída (em caso de exportação), depois de a sua documentação ser verificada.

Se, por acaso, você tem interesse nessa opção, mas está começando agora, talvez seja indicado procurar uma trading, ou seja, uma empresa que intermedeia as importações em troca de uma comissão.

Por serem especialistas nesse tipo de operação, elas podem te instruir e agilizar o processo de importação da sua mercadoria.

Essa modalidade é indicada caso você já esteja seguro de que vai importar grandes quantidades de produtos regularmente e quer deixá-los disponíveis para pronta entrega.

💡 Saiba mais: O que é controle de estoque e como fazê-lo?

Importa Fácil

O Importa Fácil é uma modalidade de serviço oferecida pelos Correios que tem o objetivo de simplificar o processo de importação de empresas de pequeno a médio porte.

Nesta opção, o limite do valor das compras deve ser de até US$ 3 mil por vez em quantidade ilimitada, desde que o peso não ultrapasse 30 kg por remessa.

Para utilizá-la, é simples: basta ter um CNPJ e solicitar que seu fornecedor entregue a mercadoria diretamente nos Correios do Brasil.

A principal vantagem é que você pode contratar, por uma taxa extra, os serviços dos próprios Correios para desembaraço da sua mercadoria, o que facilita bastante caso você não tenha experiência com esse tipo de processo.

8. Configure os meios de pagamento

Definir como os seus clientes vão efetuar as compras na sua loja virtual é uma forma de garantir uma experiência agradável e completa.

Por mais que muitos negócios estrangeiros permitam o pagamento com cartão de crédito internacional, é preciso ter em conta que alguns bancos cobram taxas altíssimas para esse tipo de transação.

É por esse motivo que um e-commerce de produtos importados no Brasil pode ser mais vantajoso para o cliente em vez de comprar diretamente de sites estrangeiros.

Para diversificar as opções de fechamento de compras, você pode integrar a sua loja virtual com gateways de pagamento, que permitem que a loja online ofereça as formas tradicionais: boleto, cartão de crédito, débito ou Pix.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

Vantagens de importar produtos dos Estados Unidos

A maioria dos lojistas dos Estados Unidos não envia produtos para o Brasil diretamente. Por isso, é necessário escolher uma empresa de trading que faça a intermediação do processo.

As vantagens de importar produtos dos Estados Unidos incluem:

1. Preços competitivos

O principal benefício quando o assunto é importar produtos dos Estados Unidos é encontrar mercadorias com melhores preços.

Isso porque muitas empresas têm sede de produção no país, o que permite que você pesquise diferentes valores para compra de produtos, como eletrônicos, roupas de marca, suplementos alimentares e cosméticos.

2. Diversidade de produtos

Você pode ter uma diversidade maior de produtos em sua loja virtual se comprar do mercado norte-americano.

A cada mês, nos Estados Unidos, são lançados produtos e tecnologias diferentes, que levam muito tempo para chegar ao mercado brasileiro.

Lembre-se de que quanto mais amplo for o seu portfólio de vendas, mais chances de fechar boas vendas.

3. Competitividade frente à concorrência

Ter produtos importados para revender ajuda a posicionar melhor o seu e-commerce frente à concorrência.

Como a importação de produtos dos Estados Unidos permite trazer para o Brasil alguns itens que ainda vão demorar para serem lançados no país, fica mais fácil fidelizar os seus clientes.

Os preços mais em conta também se tornam um atrativo para novos consumidores.

Vantagens de importar produtos da China

A China manufatura desde os mais simples acessórios até produtos de alta tecnologia envolvendo inteligência artificial. Impulsionada por investimentos em pesquisa e desenvolvimento de qualidade, a produção chinesa tem cada vez mais destaque no cenário mundial.

Veja agora alguns benefícios de importar do país:

1. Custo de produção

Comprar produtos da China para revenda significa reduzir o custo de importação e produção cobrado por fabricantes de outros países.

Isso porque o país tem investido na automatização e robotização dos seus processos produtivos, diminuindo, assim, os gastos com mão de obra.

2. Redesign de produtos

Outra vantagem de importar da China é a capacidade que os fabricantes chineses têm de fazer um redesign de produtos, ou seja, pensar em soluções capazes de reduzir o preço aplicado das mercadorias, sem que haja perda de qualidade na fabricação.

3. Flexibilidade de pagamento

Empresas chinesas oferecem prazos de pagamento da mercadoria mais flexíveis para e-commerces.

Essa vantagem possibilita a diversificação de produtos para vendas em sua loja virtual.

Por fim, vale lembrar que grande parte das importações de produtos da China são feitas a partir do modelo de dropshipping. O AliExpress, por exemplo, é uma plataforma por meio da qual é possível encontrar milhares de fornecedores chineses.

💡 Saiba mais: Como usar o AlixExpress para fazer dropshipping?

Resumo

Ao longo deste artigo, você viu como importar produtos para vender em sua loja virtual.

Com o preço mais competitivo das mercadorias importadas em comparação ao mercado nacional, mesmo para produtos que sofrem taxação, é possível gerar lucro significativo para o seu negócio online a partir de cada venda.

Antes de terminar, veja um resumo deste conteúdo:

Como importar produtos para vender em sua loja virtual?

  1. Escolha uma plataforma de e-commerce confiável
  2. Venda produtos importados em marketplaces
  3. Conheça as normas de importação
  4. Estude o mercado de atuação
  5. Defina o público-alvo
  6. Escolha os fornecedores
  7. Determine a logística que será utilizada
  8. Configure os meios de pagamento

Vantagens de importar produtos dos Estados Unidos

  1. Preços competitivos
  2. Diversidade de produtos
  3. Competitividade frente à concorrência

Vantagens de importar produtos da China

  1. Custo de produção
  2. Redesign de produtos
  3. Flexibilidade de pagamento

Viu como importar produtos é fácil? Se você já vende online, mas procura por uma plataforma de e-commerce que faça integração com dropshipping, te convido a conhecer a Nuvemshop. E, se você ainda não tem uma loja virtual, que tal fazer um teste gratuito por 30 dias com a nossa plataforma? 💙

Aqui você encontra:

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer vender produtos importados em uma loja virtual?

Crie sua loja Nuvemshop e integre o seu e-commerce com plataformas de dropshipping.

Testar 30 dias grátis

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies