03/09/2015

Como definir o tipo da sua empresa

Portas diferentes a serem escolhidas.

Então você decidiu acreditar em sua ideia e criar o seu próprio negócio. O que fazer? Nos próximos artigos, traremos algumas dicas de por onde começar.

Sabemos que escolher algo com o qual já exista alguma familiaridade pode ajudar bastante, mas de qualquer forma é preciso estudar a fundo o segmento em que sua empresa será inserida. Conheça outras do ramo, analise suas peculiaridades e trabalhe em seu diferencial. Não é preciso criar algo 100% novo, mas oferecer ao seu público um fator atrativo.

É preciso então definir a forma jurídica do seu negócio. Você pretende gerenciá-lo sozinho ou com algum sócio? Alguém de confiança possui conhecimentos complementares aos seus e pode ser um parceiro? Seja criterioso  e leve em consideração as principais alternativas:

Microempreendedor Individual (MEI)

Perfeito para pessoas que estão começando seu primeiro negócio sozinhas ou com apenas um funcionário fixo e têm faturamento anual de até R$60 mil; permite registro de CNPJ e emissão de notas fiscais. Para saber como se cadastrar e aproveitar todos os recursos, você pode conferir o nosso curso especial sobre o MEI.

Empresa Individual (ENI)

Parecida com o MEI, esta categoria para empreendedores com faturamento anual superior a R$ 60 mil não conta com separação entre o patrimônio da pessoa física e da jurídica. Isso significa que, embora o empresário responda de forma limitada às dívidas trabalhistas, seus bens pessoais podem ser utilizados para saldá-las se houver necessidade.

Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRL)

Este registro foi desenvolvido para evitar os possíveis problemas da categoria anterior, mantendo o empreendedor como único titular, mas separando seu patrimônio pessoal do empresarial. O capital social, porém, precisa ser igual ou superior a cem vezes o salário mínimo vigente no país – o que pode ser inviável para negócios de menor porte.

Sociedade Limitada (Ltda.)

Para dois ou mais sócios, esta é uma boa categoria. Cada um responde às suas responsabilidades e dívidas de forma proporcional ao capital social, sendo também possível delimitar as funções administrativas no próprio contrato e, por meio dele, incluir ou retirar pessoas sem a necessidade de outros procedimentos.

Sociedade Anônima (S/A)

Neste registro, cada sócio possui suas próprias ações da empresa, correspondentes à sua participação nos negócios. Como os impostos são atribuídos com base no faturamento real, os custos são elevados e essa se torna uma opção favorável a empreendimentos maiores. Os lucros são divididos entre todos os acionistas.

Preparado?

Tome sua decisão com calma, após uma análise bastante detalhada dos prós e contras de cada opção. Para mais detalhes sobre as mencionadas, confira o vídeo abaixo:

Certifique-se de que você cumpre os requisitos da categoria escolhida e dê início ao processo. Caso conte com um sócio, busque registrar todas as definições por escrito e guardá-las em segurança.

E se quiser investir no e-commerce, que tal experimentar a Nuvem Shop criando uma loja virtual? É fácil e não precisa de conhecimentos técnicos!

Data da última atualização: 29/08/2018


O que você achou desse conteúdo?


Luane Silvestre

Entusiasta da comunicação e da tecnologia, acredita no potencial de unir as duas ferramentas para transformar negócios e pessoas. É especialista em Marketing e lidera a equipe de Educação da Nuvem Shop no Brasil.

como-definir-o-tipo-da-sua-empresa