Como produzir conteúdo para e-commerce?

Por: Rock Content
Como produzir conteúdo para e-commerce?

Aqui você encontra:

Antes de se preocupar em como produzir conteúdo digital para seu e-commerce, a pergunta é: por que investir nele além do fato de estar alinhado com a proposta do negócio virtual?

A princípio, parece uma resposta óbvia, não é mesmo? Mas considerando que alguns negócios optaram por abrir seu e-commerce como um novo canal de vendas, ainda é preciso considerar que suas lojas físicas, representantes de vendas, entre outros, ainda usufruem dos resultados do marketing convencional.

Então, a melhor caminho para essa resposta não tão óbvia de entender, rapidamente, qual o efeito do conteúdo digital para o marketing e posicionamento do seu negócio.

Qual o efeito do conteúdo sobre os negócios?

Os resultados da pesquisa Content Trends 2019 ajudam a explicar seus benefícios: 59,1% das empresas que usam o Marketing de Conteúdo consideram que suas estratégias são moderadamente ou muito bem-sucedidas. 83,4% das empresas respondentes declararam que suas estratégias têm como foco a geração de leads e 68,1%, as vendas.

Além de outros ganhos, como reconhecimento da marca, engajamento e fidelização de clientes, esses dois dados mostram que mais de 80% das empresas que dedicam suas estratégias para gerar mais vendas estão satisfeitas com os resultados que estão colhendo.

Precisamos considerar ainda que, comparando com os investimentos em ações de marketing convencional, seus custos são menores e as ações são realizadas em um ambiente em que o lead está mais aberto às interações.

Ou seja, já dá para entender que sua performance é muito vantajosa para o negócio que pode gastar menos e gerar mais resultados, certo? Mas ainda podemos colocar mais um benefício: é uma estratégia relativamente fácil de ser realizada.

Para demonstrar isso, neste post, vamos trazer o passo a passo com as principais etapas sobre como produzir conteúdo:

  • Definir a persona da estratégia;
  • Criar um blog;
  • Conhecer o funil de marketing;
  • Produzir conteúdos pensando em SEO;
  • Divulgar em suas redes sociais;
  • Ter um calendário editorial.

Então, quer saber como conduzir cada um dessas etapas e usar o Marketing Digital para consolidar seu e-commerce? Veja a seguir!

1. Definir uma persona

A persona é a representação semifictícia do cliente ideal do seu negócio. É diferente do público-alvo que, essencialmente, é construído pelas estatísticas e pelos dados quantitativos dos potenciais clientes que deseja conquistar.

Como cliente ideal, ela é representada com todas essas informações do público-alvo, porém, é mais próxima da realidade de um consumidor. Isso porque apresenta dores e necessidades comuns, como investir em um novo computador para trabalhar em home office, mas não ter o valor para fazer a compra à vista, por exemplo.

Assim, ela é construída considerando aspectos, como:

  • gênero, idade, escolaridade, relação de trabalho, cargo, tamanho da empresa e segmento;
  • rotinas pessoais, responsabilidades, objetivos, trajetória pessoal e desafios;
  • qual sua forma de consumo de conteúdo, redes sociais que utiliza e assuntos de interesse;
  • como os produtos do e-commerce solucionariam seus problemas e quais os seus diferenciais que encantariam essa persona.

A persona será representada com um nome, pode ser adaptada para o perfil físico ou jurídico e, principalmente, pode existir mais de uma representante semifictícia para o e-commerce.

No caso de um e-commerce novo, a criação da persona vai seguir principalmente os dados estatísticos mas, com o tempo, esse estudo pode ser atualizado e personalizado de acordo com a percepção dos clientes conquistados.

2. Criar um blog

Podemos dizer que o blog é o alicerce da estratégia de conteúdo porque vai direcionar todo o tráfego de visitantes para um endereço comum que sua empresa domina. Ele difere das redes sociais porque, mesmo atraindo seus leads para lá, você ainda tem a concorrência da própria plataforma para manter o foco no seu negócio.

No seu blog, seus conteúdos serão o destaque principal. Quem acessá-lo para ver uma postagem pode se interessar pelas outras e avançar no processo decisório até a compra, já que links para seu e-commerce serão utilizados como call to actions (CTAs), que são sugestões de ações a serem tomadas depois da leitura.

3. Conhecer o funil de marketing

O funil de vendas é uma forma de distribuir os conteúdos e interações com seu público para atrair, educar e converter leads que tenham o perfil dos produtos do seu e-commerce. Ele é dividido em três etapas: atração, consideração e decisão. Vamos conhecer cada uma delas:

Atração

Também é chamada de topo do funil (TOFU) e seus conteúdos são direcionados para atrair novos visitantes para o blog. Muitos deles nem sabem que têm a necessidade de compra do produto. Por isso, os conteúdos criados para essa etapa devem trazer informações para identificação de um problema e os efeitos caso ele não seja solucionado.

Blog posts e infográficos, que são um formato visual e resumido de um conteúdo, são muito utilizados na fase de atração.

Essa etapa é a que concentra o maior volume de postagens. A ideia é de atrair o maior número possível de visitantes e potenciais clientes. Com isso, o blog vai ganhar destaque nos buscadores e, claro, ter maiores chances de conversão.

Consideração

O volume de visitantes conquistados na primeira etapa não é 100% de potenciais compradores. Por isso, é preciso continuar ofertando conteúdos que vão separar aqueles que podem gerar vendas.

Esse é o objetivo do meio de funil (MOFU): apresentar para os visitantes quais são as alternativas existentes para a solução de seus problemas. Nessa etapa, os conteúdos podem trazer informações mais técnicas sobre os produtos para ajudar a persona a entender seus benefícios.

Além dos blogposts, também é possível usar infográficos, e-books e conteúdos interativos, como calculadoras.

Decisão

A última etapa, também conhecida como fundo do funil (BOFU) é chamada de decisão. Aqui, os visitantes que se identificaram com as opções apresentadas na consideração devem ser convencidos de que os diferenciais dos produtos do e-commerce são mais relevantes para seu perfil.

Além de identificar a necessidade de consumo, os valores agregados também vão ajudar na sua escolha, como opções de parcelamento, entrega rápida e outras características do serviço do negócio.

A distribuição dos conteúdos entre as etapas deve obedecer uma proporção aproximada de:

  • 70% na atração;
  • 20% na consideração;
  • e 10% na decisão.

Cada um deles deve oferecer links e call to actions que sempre direcionem para a etapa seguinte.

4. Produzir conteúdos pensando em SEO

Essa distribuição de conteúdos no funil de marketing vai oferecer uma experiência valiosa para o potencial cliente que, diante das informações trazidas gradativamente, vai tomar uma decisão de compra consciente — o que traz maiores chances de satisfação e fidelização.

Mas a estratégia de conteúdo também deve considerar sua otimização, ou seja, existem recursos e ações que podem potencializar esse resultado: o Search Engine Optimization (SEO).

Essa é uma técnica utilizada na estrutura do blog e na formatação do conteúdo para que ele fique mais atraente para a leitura dos leads e também ganhe visibilidade nos mecanismos de busca, como o Google.

Escolher palavras-chave que as personas do seu e-commerce mais buscam no Google e produzir conteúdos baseados nelas, por exemplo, é uma estratégia de SEO.

Dicas de SEO

  • usar a palavra-chave na URL da postagem, pois ajuda os buscadores na identificação do conteúdo;
  • usar intertítulos para deixar o conteúdo mais escaneável, para que o cliente e os buscadores consigam identificar os pontos que o post aborda apenas correndo o olho pelos subtítulos;
  • fazer links para outros conteúdos respeitando a ordem do funil de marketing, fazendo com que os leads permaneçam mais tempo no seu blog e mostrando para os buscadores que suas informações são relevantes;
  • desenvolver design responsivo do blog. Isso significa que seu formato vai se adaptar a diferentes dispositivos, como tablets e smartphones, sem comprometer a experiência de consumo da informação;
  • ter um volume moderado de repetição da palavra-chave nos conteúdos, preferencialmente na introdução, em um intertítulo e na conclusão do conteúdo.

Com essas estratégias, os visitantes do blog vão gostar da experiência de consumo e, além disso, os conteúdos podem alcançar as primeiras posições dos resultados de palavras-chaves que estão associadas para o seu e-commerce.

Isso vai aumentar as visitas no blog e no e-commerce de forma orgânica — ou seja, sem investimentos em anúncios pagos. Isso porque as pessoas que usam os buscadores para tirarem dúvidas acessam mais massivamente os primeiros resultados orgânicos.

5. Divulgar em suas redes sociais

O blog pode ser o alicerce da estratégia de conteúdo, mas precisa de outros canais para gerar tráfego. Nesse sentido, as redes sociais são essenciais.

É preciso considerar que existem redes sociais com objetivos distintos e é preciso saber quais delas são mais relevantes para seu e-commerce. No Instagram e Pinterest, por exemplo, imagens e fotografias são muito valiosas para a experiência de consumo do conteúdo.

No caso do YouTube, os vídeos podem revelar detalhes dos produtos e tutoriais sobre como comprar no e-commerce de forma simples e rápida. O Facebook alterna conteúdo escrito, imagens e vídeos, mas, principalmente, oferece ferramentas para criar comunidades e acessar grupos de interesse no tema do negócio.

Um e-commerce de games, por exemplo, pode divulgar seus produtos, conteúdos e ofertas em grupos de pessoas que gostam de jogar, que curtem as tendências do mercado e gostam de interagir com outros apaixonados pelo tema.

Ou seja, a divulgação de conteúdos em tais canais, usando hashtags e acessando grupos de interessados, vai atrair um público para o blog e para o e-commerce que está mais alinhado com seus produtos. Essa estratégia abrevia o processo do funil de vendas, não é mesmo?

6. Ter um calendário editorial

Ações nas redes sociais, promoções do e-commerce e lançamentos de produtos devem ser alinhados estrategicamente para que seus resultados sejam mais eficazes. Além disso, a regularidade das postagens também é um fator relevante para os buscadores e para os leads.

Por isso, criar um calendário editorial ajuda a distribuir os conteúdos no funil de vendas, adequar com lançamentos e coordenar com outras estratégias de divulgação do e-commerce.

Um outro ponto a considerar é que o calendário editorial permite avaliar mais precisamente o desempenho de cada conteúdo. Essa é outra informação que precisa ser considerada para otimizar ainda mais seus resultados.

Acompanhando os resultados da sua estratégia, será possível identificar quais formatos de conteúdo são mais valiosos para sua persona em cada etapa do seu processo decisório. Também será um dado importante para que seu e-commerce possa criar postagens que se diferenciem da estratégia da concorrência.

Tudo certo sobre como produzir conteúdo?

Agora que você já sabe como produzir conteúdo, pode avaliar quais deles são mais eficientes. Formatos diferentes do usual costumam ser uma boa forma de se destacar. Por isso, conheça mais sobre conteúdos interativos e veja os caminhos para desenvolvê-lo para seu e-commerce.

Você já trabalha com conteúdo em seu e-commerce? Conte nos comentários!

Faça como +50mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop
O melhor evento de e-commerce para PME’s do Brasil

13 a 15 de julho — online e gratuito

Reserve o seu lugar