Dropshipping: o que é, como funciona, vantagens e guia para começar

Comece a vender sem estoque

Testar 7 dias grátis
Blog da Nuvemshop

Dropshipping é um modelo de logística em que a empresa atua como um intermediário entre o consumidor e o fornecedor. O lojista recebe o pedido, gerencia o pagamento e repassa a ordem de compra ao fornecedor, que será o responsável por preparar e enviar a mercadoria ao cliente final.


Se você está pensando em criar uma loja virtual, mas tem pouco capital para investir em estoque ou não sabe se terá tempo suficiente para administrar as entregas dos produtos, saber o que é dropshipping e como funciona pode ser a solução para os seus problemas.

Muitas pessoas ainda pensam que dropshipping é crime ou que essa modalidade de venda virtual não funciona tão bem no Brasil como em outros países. No entanto, esses são mitos que precisam ser combatidos. E é por isso que elaboramos este conteúdo.

A seguir, descubra tudo sobre dropshipping: o que é, quais são suas vantagens e desvantagens, como fazer dropshipping, por onde começar e muito mais! 😉

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

O que é drophispping?

Dropshipping é um modelo logístico em que o lojista recebe o pedido do cliente em sua loja virtual e repassa a ordem de compra ao fornecedor, que será o único responsável por providenciar o produto e enviá-lo ao consumidor. Esse processo pode acontecer nacional ou internacionalmente.

Logo, o lojista trabalha sem estoque, sendo somente um intermediário no processo de compra. Todas as questões relacionadas à entrega — desde a embalagem até o produto chegar à casa do cliente — são responsabilidades do fornecedor.

O que é dropshipping nacional?

Dropshipping nacional, como o próprio nome indica, é o dropshipping feito com a ajuda de fornecedores brasileiros, sem a necessidade de fazer a importação de mercadorias.

Diferentemente do modelo internacional, que se popularizou com fornecedores chineses — como o AliExpress e o Alibaba — os distribuidores de dropshipping nacional possibilitam transações em reais.

Esse tipo de dropshipping realizado dentro do Brasil é livre de taxas alfandegárias. Além disso, os tributos e notas fiscais seguem apenas os regimentos brasileiros, o que reduz ainda mais os custos das transações.

📹 Veja também: O que é dropshipping? Entenda de forma simples

Como funciona o dropshipping?

Depois de entender o que é dropshipping, é preciso entender como esse processo funciona. Veja:

  1. O cliente faz o pedido online em sua loja virtual, escolhendo os produtos de acordo com o catálogo de itens do fornecedor que você disponibiliza;
  2. Você, como lojista, envia os pedidos e as ordens de compra do consumidor para o fornecedor, que irá faturar as encomendas;
  3. O fornecedor realiza as entregas diretamente aos clientes que fizeram seus pedidos no e-commerce.

Veja como funciona o processo em detalhes:

1. O cliente faz o pedido online

Tudo começa quando o cliente acessa a loja de dropshipping e tem acesso às mercadorias disponibilizadas por ali. Esse catálogo de produtos, na realidade, é enviado pelo fornecedor previamente ao lojista, levando em consideração dois fatores principais: a logística de distribuição e o estoque disponível.

O primeiro diz respeito à capacidade do fornecedor de realizar a entrega nacional ou internacionalmente, de acordo com as necessidades do vendedor. Já o segundo, é referente à quantidade de produtos que ainda existem no estoque.

Nessa etapa, é muito importante manter um bom alinhamento entre lojista e fornecedor para evitar que a experiência de compra do usuário seja prejudicada. Ou seja, que um cliente compre um produto que não está mais disponível no estoque do fornecedor, por exemplo.

💡 Saiba mais: O que é um catálogo online e como criar um para o seu negócio?

2. Você repassa o pedido ao fornecedor

Após o pedido ser realizado pelo cliente, o lojista faz a aprovação do pagamento e, em seguida, encaminha a ordem de compra para o fornecedor.

Esta segunda etapa é um acordo firmado somente entre vendedor e fornecedor do produto. Portanto, o cliente, além de nem precisar ter conhecimento sobre o que é dropshipping, não deve ser afetado por esse processo.

Assim, o processo de compra flui naturalmente, como qualquer outra venda  feita pela internet.

💡 Saiba mais: O que é taxa de aprovação e por que acompanhar esse indicador?

3. O fornecedor separa e envia o produto

Por fim, a última etapa de como funciona o dropshipping é quando o fornecedor se torna o único responsável por fazer a entrega do produto, desde a embalagem para e-commerce ao transporte que levará a encomenda até a casa do consumidor.

Ou seja, nesta última etapa, o único trabalho do lojista é pegar, com o fornecedor, o código de rastreamento da transportadora e disponibilizá-lo ao cliente, por e-mail ou dentro do próprio e-commerce, para que o mesmo acompanhe o status da entrega do seu pedido.

💡 Saiba mais: Como rastrear encomendas da China para o Brasil?

Quais são as vantagens do dropshipping?

Agora que você já sabe o que é dropshipping, como funciona e de que forma é possível encontrar fornecedores, conheça as cinco principais vantagens dessa operação:

1. Redução de custos

Como já mencionado, esse modelo de negócio não exige o gerenciamento de estoque. Isso reduz grande parte dos investimentos iniciais para adquirir mercadorias, alugar um espaço para armazená-las, mão de obra para fazer o endereçamento de estoque e muitos outros.

💡 Saiba mais: Vale a pena fazer dropshipping?

2. Variedade de artigos

Os fornecedores de dropshipping costumam disponibilizar produtos correlatos (vender tênis e meias, por exemplo), facilitando a venda de diferentes categorias de um mesmo segmento. Como o estoque não é responsabilidade do vendedor, fica mais fácil oferecer ao cliente um catálogo com maior variedade de itens.

💡 Saiba mais: Como ter uma loja de dropshipping de eletrônicos?

3. Flexibilidade de trabalho remoto

Por não ter um estoque físico, não é preciso ter um local fixo de trabalho. Logo, com um notebook e uma boa conexão de internet, o seu escritório está montado em casa ou em qualquer outro lugar!

💡 Saiba mais: 11 ideias para trabalhar em casa e aumentar a renda

4. Possibilidade de atender clientes de todo o país

Da mesma forma que você pode vender de qualquer lugar, o seu cliente também pode comprar de onde estiver, independentemente das barreiras geográficas. Isso dá muitas possibilidades para o seu negócio crescer e escalar de maneira saudável.

💡 Saiba mais: Vale a pena ter um e-commerce para dropshipping?

5. Foco em marketing

A partir do momento que se terceiriza a logística do e-commerce com o dropshipping, sobra mais tempo para investir em outras áreas do negócio e em estratégias para adquirir e fidelizar clientes.

Esse é um tema extenso e que pode ser dividido entre vários canais, como blog, anúncios pagos e redes sociais, por exemplo. Caso queira aprender mais sobre como desenvolver um plano de marketing efetivo, confira gratuitamente este manual estratégico sobre o assunto:

💡 Saiba mais: Plano de marketing: o guia definitivo para o seu e-commerce

6. Suporte, trocas e devoluções

Por fim, mas não menos importante, outra vantagem do dropshipping é que todos os processos pós-venda de trocas ou devoluções de produtos também ficam a cargo do fornecedor. Ou seja, é ele que deve arcar com todos os custos e com a logística reversa, por exemplo.

💡 Saiba mais: Como trabalhar com dropshipping passo a passo

Quais são as desvantagens do dropshipping?

Como nem tudo são flores, depois de entender o que é dropshipping você verá que o processo também tem algumas desvantagens que devem ser levadas em consideração. Veja quais são elas:

1. Barreiras alfandegárias (se o fornecedor for internacional)

A partir do dia 1º de agosto de 2023, compras internacionais de até US$ 50 feitas pela internet serão isentas de taxação. Acima deste valor, haverá a cobrança do imposto de importação, que é de 60%. Tal medida se aplica a compras transportadas tanto pelos Correios quanto por empresas privadas.

Diante dessa situação, muitos lojistas deixam o comprador arcar sozinho com a cobrança. Contudo, se o seu objetivo é construir uma boa reputação com o cliente, ajudar a pagar os adicionais pode contribuir para conquistar mais consumidores.

Caso não seja viável realizar o pagamento das taxas para a liberação da mercadoria, prontifique-se a estornar o valor integral da compra ao consumidor. Além de ser o correto a fazer, isso evitará chargebacks (não reconhecimento da compra por parte do cliente) e, até mesmo, o cancelamento da sua loja por suspeita de fraude.

💡 Saiba mais: O que é contabilidade para dropshipping e como funciona?

2. Competitividade acirrada

O mercado está saturado de produtos similares, especialmente no nicho de dropshipping. Portanto, diferenciar-se vai demandar grandes esforços da sua parte. Aqui, será necessário encontrar bons fornecedores e ter uma boa estratégia de marketing para conquistar o seu espaço no mercado.

💡 Saiba mais: Como escolher um fornecedor?

3. Margem de lucro menor

Mesmo não tendo que investir em estoque, a parceria com um distribuidor tem custos. Assim sendo, com esse repasse financeiro, a margem de lucro nem sempre é dos melhores quando comparamos com um e-commerce tradicional. No dropshipping, ela pode variar de 15% a 45%.

4. Demora na entrega

Fornecedores de dropshipping comumente atendem diversos negócios simultaneamente. Por isso, o processo de entrega é mais lento, podendo levar de 30 a 90 dias — o que pode desestimular a compra.

Se as encomendas forem internacionais, o ePacket pode ser uma boa solução. Esse tipo de frete é mais ágil (com prazos de, no máximo, 30 dias) e confiável, pois disponibiliza códigos de rastreamento.

💡 Saiba mais: O que é ePacket e como ele funciona?

5. Controle de estoque do fornecedor

Por mais que o dropshipping seja uma maneira de vender sem estoque, é necessário manter uma comunicação muito bem alinhada com o seu fornecedor para garantir que ele atualize com frequência as quantidades e opções ainda disponíveis.

Caso contrário, existe o risco de vender um produto em sua loja virtual e, na hora de repassar o pedido ao fornecedor, descobrir que aquela mercadoria não existe mais, quebrando a expectativa do cliente.

📈 Confira a planilha: Modelo de controle de estoque

Dropshipping: como começar?

Para saber como fazer dropshipping, é necessário entender alguns pontos importantes. Veja, abaixo, quais são:

1. Defina um nicho de mercado

Assim como em qualquer modelo de negócio, o primeiro passo para começar no dropshipping é definir o nicho de mercado no qual você pretende atuar. Isso, além de te dar mais poder de conhecimento sobre o seu público-alvo, também será fundamental para encontrar os fornecedores certos.

Aqui, dependendo do ramo que escolher, você poderá decidir se quer trabalhar com a venda de um só tipo de produto, como camisetas, por exemplo. Ou, então, se deseja oferecer uma variedade maior de opções, como peças de vestuário adulto e infantil.

💡 Saiba mais: Definindo o alcance do seu negócio: qual é o seu público-alvo?

2. Faça a prospecção de bons fornecedores

O segundo passo a ser dado é conseguir um fornecedor de dropshipping confiável. Portanto, pesquise opções de acordo com o seu segmento e entre em contato para tirar todas as suas dúvidas.

Normalmente, um distribuidor legítimo requer taxas por entrega, além de uma quantidade mínima de pedidos. Então, na hora de escolher um fornecedor, é importante ter um contrato que esclareça os direitos e deveres de ambas as partes.

💡 Saiba mais: Como funciona atacado no dropshipping? [+ 10 fornecedores]

3. Teste os produtos que irá vender

Por mais que não seja o encarregado pela entrega das mercadorias, você continua sendo o responsável pela venda. Por isso, é essencial garantir a qualidade desses produtos para o seu cliente.

Antes de dar o start na sua loja de dropshipping, uma etapa importante é simular a compra de alguns itens para ter a certeza de que tudo chegará certinho, do jeito que foi anunciado no e-commerce. Além disso, vale se atentar ao prazo de entrega, confirmando que ele será cumprido.

💡 Saiba mais: 27 produtos mais vendidos na internet para lucrar

4. Realize a análise da concorrência

Fazer a análise da concorrência também é um dos passos para começar a vender por dropshipping. Portanto, além de estudar outras lojas do mesmo ramo de atuação, busque por outros vendedores que também utilizam o mesmo fornecedor que você.

Assim, será possível entender como eles se posicionam no mercado, como estão seus canais de comunicação, em quais redes sociais estão presentes, entre outras coisas.

💡 Saiba maisO que é análise de mercado de uma empresa e como fazer?

5. Escolha uma plataforma ou canal de venda

Para expor atrativamente os produtos ao seu público-alvo, é indispensável ter uma plataforma de dropshipping, que é o canal por onde vai acontecer todo o processo de venda. Aqui, algumas opções são:

Loja virtual própria

Ao montar a sua loja virtual, você tem mais autonomia para planejar toda a estratégia de vendas do seu negócio, desde a disposição dos produtos até a identidade visual que melhor conversa com a sua persona.

Na Nuvemshop, por exemplo, você pode criar a sua loja de dropshipping a partir de R$59 ao mês e contar com aplicativos que fazem a integração direta com os catálogos dos fornecedores, tornando o processo de gestão do negócio muito mais simples.

Marketplace

Outra possibilidade é a venda por dropshipping por meio de marketplaces conhecidos no mercado, como Amazon e Mercado Livre. Assim, além de não ter estoque, você também não precisa se preocupar em criar o seu espaço virtual.

Mas, nesta situação, você fica totalmente dependente da visibilidade que a plataforma dará aos seus produtos anunciados. Isso porque, além de não permitir a customização da sua página de vendas, no marketplace os seus anúncios aparecerão de acordo com a sua popularidade e nota dentro da plataforma.

Outro ponto que não é muito vantajoso é a necessidade de pagar uma porcentagem por todos os itens vendidos. Se a margem de lucro do produto for pequena, por exemplo, os lucros se tornarão ainda menores depois das taxas do marketplace.

💡 Saiba mais: Como fazer dropshipping no Mercado Livre?

Redes sociais

Por fim, outra maneira de realizar as vendas por dropshipping é utilizando as redes sociais, como o Facebook e o Instagram. Nesse caso, a dica é investir nas ferramentas de venda próprias das plataformas, como o marketplace do Facebook e o Instagram Shopping.

Aqui, a grande dificuldade é que todo o processo precisa ser feito de forma manual. Ou seja, você vai gastar muito tempo separando os pedidos de cada cliente, o que pode não ser tão viável — principalmente quando comparamos com uma loja virtual, que pode realizar esse processo automaticamente.

💡 Saiba mais: Como vender pelas redes sociais?

6. Opte por bons meios de pagamento

Com o negócio montado e um investimento inicial em marketing digital, as vendas começarão a ser efetivadas e, com isso, pedidos e pagamentos executados — e é seu dever verificar se toda a jornada de compra está fluindo corretamente.

Para isso, você deve optar por meios de pagamento que aceitem a modalidade de dropshipping (como o PayPal e os chamados gateways de pagamento) e garantir a segurança do consumidor, já que ele vai compartilhar dados sensíveis com a sua empresa, como o CVV do cartão de crédito.

Além disso, atente-se ao prazo de liberação do dinheiro após cada venda para garantir mais fluidez ao fluxo de caixa do seu negócio. Na maioria dos casos, as plataformas demoram alguns dias para fazer a liberação.

💡 Saiba mais: Quais são e como funcionam os meios de pagamento para e-commerce?

7. Crie um fluxo para encaminhar as ordens ao fornecedor

Agora, é momento de passar a bola para o distribuidor. Ou seja, nesta etapa, você deve enviar todos os pedidos confirmados junto dos dados de cada cliente. Dessa maneira, ele poderá dar início à embalagem e à entrega das encomendas.

Como já falamos anteriormente, é importante manter uma boa comunicação entre ambas as partes para garantir que o fluxo flua da melhor maneira possível e sem comprometer a experiência do cliente.

Então, caso realize esse processo manualmente, tenha atenção às informações de cada consumidor e ao pedido realizado. Lembre-se que, embora o fornecedor vá enviar, é a reputação da sua loja que será afetada caso haja algum problema na entrega.

💡 Saiba mais: Qual é o prazo de entrega de dropshipping e como reduzir?

8. Tenha uma política clara de troca e devolução

Como em qualquer outro tipo de venda pela internet, trabalhar com dropshipping exige que você deixe bem claro ao seu consumidor como funciona a política de troca e devolução da sua loja virtual. Assim, caso ele decida desistir de uma compra, estará ciente de todos os prazos e condições para isso.

Se você tem uma loja virtual na Nuvemshop, também pode usar os aplicativos Aftersale e Troquecommerce para automatizar esse processo de forma simples e prática.

Com essas soluções, não é preciso acionar o SAC da empresa ou se preocupar com envios: tudo acontece de forma automática, inclusive a geração da logística reversa, rastreamento de pedidos e estorno do valor pago pelo cliente.

⚙️ Baixe os aplicativos:

9. Faça a divulgação do seu negócio

Por mais que você não venda diretamente pelas redes sociais, investir em marketing por esse e outros canais pode otimizar e acelerar as vendas da sua loja. Assim, pensando novamente no seu público-alvo e na sua persona, desenhe uma estratégia forte de divulgação.

Principalmente para quem está iniciando no e-commerce, essa é uma etapa fundamental para atrair os primeiros consumidores. Para isso, você pode usar uma série de ferramentas disponíveis, como:

💡 Saiba mais: 7 dicas de tráfego pago para iniciantes no e-commerce

10. Receba o código de rastreamento e repasse ao cliente

Por último, como foi falado em tópicos anteriores, é primordial que o fornecedor informe os códigos de rastreamento para que você os repasse aos consumidores. Dessa maneira, eles poderão acompanhar seus respectivos pedidos ao longo dos dias até que a entrega seja concluída.

💡 Saiba mais: 7 cursos de dropshipping para começar

Como encontrar fornecedores para dropshipping?

Existem fornecedores internacionais e nacionais para dropshipping. Geralmente, os primeiros oferecem produtos mais baratos, mas com entregas demoradas. Já os distribuidores brasileiros ofertam um frete mais ágil, contudo, os preços (mesmo que em reais) são mais altos.

Muitos lojistas compram diretamente de sites do exterior, como o eBay ou o AliExpress, mas essa nem sempre é a melhor forma de fazer dropshipping, uma vez que você não é capaz de garantir ao cliente a disponibilidade do produto comprado em sua loja virtual.

Caso queira usar esse tipo de fornecedor, como o AliExpress para dropshipping, é melhor contar com uma plataforma automatizada, que garanta a disponibilidade dos itens.

O mais indicado, portanto, é pesquisar fornecedores na internet com variações de palavras-chave de acordo com o seu nicho de mercado. Aqui, é importante ressaltar que sites de dropshipping, via de regra, não são bem projetados visualmente, por isso, não julgue o livro pela capa.

Buscar por fóruns (inclusive no LinkedIn) e fabricantes pode ser interessante também. No primeiro caso, você terá a chance de encontrar diferentes listas de fornecedores. Já ao entrar em contato com fontes de produção, será possível propor parcerias para dropshipping e até conseguir preços mais baixos.

E, claro, não se esqueça de questionar — por telefone e/ou e-mail — o processo de entrega, os tipos de remessas e os prazos por região. Além disso, solicite amostras dos produtos (mesmo que tenham que ser pagas) para atestar a qualidade delas.

💡 Saiba mais: Como encontrar fornecedores de dropshipping?

Melhores fornecedores de dropshipping: sites e plataformas

Como você pôde notar ao entender o que é e como funciona o dropshipping, é possível trabalhar com sites e plataformas nacionais e internacionais. Independentemente de qual fornecedor você escolher, é importante ter atenção à reputação da marca, aos processos logísticos adotados, à qualidade dos produtos e, claro, à cobrança de taxas.

Pensando em ajudar você a encontrar os melhores fornecedores, elaboramos uma lista inicial com os principais nomes nacionais e internacionais. Confira:

Fornecedores de dropshipping em sites nacionais:

  • MixBarato;
  • Xtreme Atacado;
  • Atacado Barato;
  • Kaisan;
  • Importados de Grife;
  • Imagem Folheados;
  • Lux Joias;
  • Empório Bags;
  • Hayamaz;
  • Gazin.

Fornecedores de dropshipping em sites internacionais:

  • DealeXtreme;
  • Alidropship;
  • Alibaba;
  • Ebay;
  • LightInTheBox;
  • Gearbest.

💡 Saiba mais: 23 fornecedores de dropshipping para o seu negócio

Fazer dropshipping é crime?

Por se tratar de algo recente e que, em muitos casos, envolve fornecedores internacionais, muitas pessoas têm uma dúvida em comum: fazer dropshipping é crime?

Não, fazer dropshipping não é crime. No Brasil, não há uma lei que descreva o dropshipping ou as regras específicas desse sistema logístico. Apesar disso, é importante ter em mente que o dropshipping, assim como todos os modelos de negócios, precisa ser regularizado.

Nesse sentido, a tipologia de atividade mais próxima de dropshipping é a de intermediador de negócios. Assim, para não ter complicações judiciais, o empreendedor só precisa seguir as regras existentes para esse modelo de negócios e para o comércio eletrônico.

A seguir, detalhamos melhor como legalizar o dropshipping, tanto com fornecedores internacionais, como nacionais. Continue com a leitura!

Como legalizar o dropshipping?

Antes de aprendermos como montar a sua loja virtual para começar a vender, entenda as diferenças de fazer dropshipping internacional e nacional perante a lei:

Fornecedores internacionais

Para ser considerada legal e poder emitir notas fiscais, a empresa que compra produtos do exterior deve atuar como intermediadora de importação. Tal classificação se enquadra somente nas formalizações de Microempresa (ME), Empresa de Pequeno Porte (EPP) ou Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli).

Portanto, caso ainda não tenha formalizado seu negócio, é necessário abrir uma empresa para o dropshipping internacional e enquadrá-la no campo de atuação citado.

💡 Saiba mais: Como abrir um CNPJ em 2024?

Fornecedores nacionais

Por outro lado, em transações realizadas no Brasil, o lojista pode atuar como uma empresa comum e se registrar com o CNAE dropshipping mais próximo do produto vendido. No entanto, torna-se obrigatória a emissão de notas fiscais, o que obriga a regularização do negócio.

💡 Saiba mais: Quem deve emitir nota fiscal eletrônica (NFe)?

Como fazer dropshipping com uma loja Nuvemshop?

Se você tem ou quer criar uma loja virtual com a plataforma da Nuvemshop, é possível fazer dropshipping com conexão direta aos produtos disponíveis no AliExpress.

Por meio do aplicativo Dropi, seu e-commerce estará automaticamente integrado a mais de 2 bilhões de itens de fornecedores internacionais no site. Basta escolher os produtos que quer vender e importá-los para sua loja virtual. Depois disso, seus clientes acessarão seu site e realizarão a compra normalmente, que será enviada a eles diretamente pelo fornecedor.

Nesse caso, para fazer a integração, existe um plano grátis ou a possibilidade de outras três opções, cujo valores variam entre R$ 45 a R$ 250 por mês.

👉 Confira: Como instalar o aplicativo Dropi?

Além disso, se você pretende trabalhar com fornecedores nacionais, outro aplicativo para lojas Nuvemshop é o DropNacional. Com ele, sua loja virtual tem acesso a uma rede de parceiros de todo o Brasil, que cuidam da produção e entrega de produtos para todas as capitais do país.

👉 Confira: Como instalar o aplicativo DropNacional?

Outra opção de integração interessante, dessa vez para designers e criativos, é o aplicativo Printful. Com ele, é possível vender produtos personalizados de print-on-demand — em português, impressão sob demanda.

Ou seja, você cria e vende a sua arte, aplicando-a aos mais variados tipos de produtos, como camisetas, bonés, quadros etc. Utilizando o modelo de dropshipping, a própria Printful realiza a confecção e o envio dos pedidos com sua marca diretamente aos seus clientes.

👉 Confira: Como instalar o aplicativo Printful?

⚙️Confira todos os apps para dropshipping na Loja de Aplicativos Nuvem

3 dicas para criar uma loja virtual de dropshipping

Se você chegou até aqui, já sabe o que é dropshipping e como funciona esse modelo de comércio. Então, para encerrar, separamos três dicas extras para que você possa criar o seu e-commerce de dropshipping!

Papel e caneta na mão? Vamos lá! 📝

1. Publique fotos de qualidade

Por não ter acesso a um estoque, solicite ao seu fornecedor imagens dos produtos (que geralmente já são bem profissionais) ou, se não for possível, peça amostras das peças, para que você mesmo tire essas fotos.

2. Atente-se às fraudes

Nas redes sociais, às vezes nos deparamos com histórias de pessoas que compraram artigos por dropshipping e receberam itens de qualidade inferior.

Portanto, ao procurar por fornecedores, pesquise-os no Reclame Aqui (se forem brasileiros) ou em seus próprios sites (se forem internacionais) para não cair em ciladas. Observe principalmente a reputação — em classificações de notas ou estrelas — e feedbacks de clientes nos comentários.

Outra estratégia é a de buscar, no Google, pelas marcas dos fornecedores e as palavras “fraude” ou “golpe”. Se houver alguma situação suspeita, provavelmente você achará comentários ou reclamações sobre o assunto.

3. Não se esqueça das páginas institucionais

Nas páginas de Quem somos e Perguntas Frequentes, seja transparente em relação ao modelo do seu negócio. Coloque todas as informações referentes aos fornecedores e prazos de entrega.

Isso com certeza irá transmitir mais segurança ao seu público-alvo, além de resguardar o seu negócio de possíveis problemas judiciais no futuro.

Aprendeu como fazer dropshipping?

Montar um negócio online no formato dropshipping é simples, mas requer que você se atente aos riscos na hora da entrega dos produtos para manter sua empresa de forma sustentável.

Lembre-se que um e-commerce de dropshipping é um negócio como qualquer outro. Por isso, é importante que você dedique tempo e atenção se quiser que o seu negócio prospere e traga bons lucros.

E, se você está pronto para dar o próximo passo, crie a sua loja virtual de dropshipping na Nuvemshop ainda hoje! Faça um teste grátis de 7 dias para conhecer a plataforma e entender como podemos te ajudar a decolar o seu negócio na internet! 💙

Aqui você encontra:
Perguntas frequentes sobre dropshipping

O dropshipping é um modelo de operação em que o lojista recebe o pedido do cliente em sua loja virtual e repassa essa ordem de compra ao fornecedor, que será o único responsável por providenciar o produto solicitado e enviá-lo ao consumidor.

O cliente faz o pedido online na loja virtual, escolhendo os produtos de acordo com o catálogo de itens do fornecedor, o lojista envia as ordens de compra do consumidor para o fornecedor e o fornecedor realiza as entregas diretamente aos clientes.

Não, fazer dropshipping não é crime. Apesar disso, se você tem interesse em trabalhar com um fornecedor internacional, é fundamental regularizar-se e estar atento aos valores dos impostos e tarifas a serem pagas.

Sim, é indicado ter CNPJ para conseguir emitir notas fiscais para seus clientes e garantir a regularidade da empresa. No caso da importação de produtos, esse também é um critério obrigatório.

Faça como milhares de negócios e crie a sua loja

Criar loja grátis

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies