Como fazer a integração com marketplace e quais as principais vantagens para seu e-commerce?

Por: Manoella Curi

Foto de uma mulher sentada digitando no notebook e rodeada de caixas com produtos para representar a venda e integração com marketplace.

Saber como fazer a integração com marketplace é um passo importante para os lojistas de e-commerce que querem aumentar seus resultados vendendo por mais de um canal. Além da facilidade para expor seus produtos, o maior alcance de divulgação também reflete na satisfação de quem escolhe vender por sites como Mercado Livre, Amazon, entre outros.

Prova disso é o destaque que essa modalidade de comércio online ganhou nos últimos anos. Segundo uma pesquisa divulgada pela Ebit | Nielsen, o marketplace teve alta de 52% — superando os 41% de crescimento do mercado de e-commerce no geral — e um total de R$ 73,2 bilhões em vendas no ano de 2020.

A oportunidade é grande e as opções para o seu negócio são muitas. Por isso, neste artigo, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre como fazer a integração com marketplace: desde as ferramentas que facilitam o processo até uma lista completa dos principais sites existentes e suas tarifas.

Continue a leitura e aproveite as nossas dicas!

💡 Saiba mais: O que é marketplace e como funciona este canal de venda?

Como fazer a integração com marketplace?

Para começar a pensar sobre como integrar sua loja virtual com um marketplace, é preciso ter em mente quatro pontos principais. São eles:

  • Os marketplaces que fazem sentido para o seu negócio — sim, é possível vender em mais de um simultaneamente;
  • A presença do seu público-alvo nesses marketplaces;
  • A relevância que esses sites têm dentro do seu segmento de atuação;
  • Os produtos que você pretende vender por eles.

Vale lembrar que, para todo início de estratégia, quanto mais certeiro for o seu foco, mais chances seu negócio tem de dar certo. Então, uma dica é começar escolhendo o marketplace que dá mais destaque para o tipo de produto que você vende. Daremos alguns exemplos disso mais à frente, no tópico “Escolhendo o marketplace para integrar e vender”.

Integração nativa x Hub de integração: qual a diferença?

Existem duas maneiras de como fazer a integração com marketplace: de forma nativa ou por meio de um hub/aplicativo. E a escolha entre os dois vai depender das configurações da plataforma de e-commerce que você utiliza para hospedar a sua loja.

Na integração nativa, isso acontece diretamente com o marketplace, sem a necessidade de um intermediário. Basicamente, sabendo quais são os que se conectam com a ferramenta que já utiliza, você solicita a integração — que, em alguns casos, exige requisitos como uma boa reputação no Reclame Aqui — e aguarda a aprovação.

Depois disso, basta cadastrar os seus produtos e começar a vender. Nesse caso, a gestão das vendas pode, sim, ter custos adicionais e é feita dentro de cada um dos marketplaces em que você estiver vendendo.

Já utilizando um hub de integração, esse aplicativo é que vai fazer a intermediação entre o seu e-commerce e o marketplace. Assim, além de automatizar o cadastro dos produtos, a gestão de pedidos e o pós-vendas também são otimizados. Tudo acontece em uma só plataforma, independentemente da quantidade de marketplaces em que você escolha vender.

Por isso, no fim das contas, apesar de a segunda opção envolver as etapas de escolha e contratação desse parceiro, o saldo continua sendo muito positivo e vantajoso para o seu negócio.

Hubs de integração com marketplace na sua loja Nuvemshop

Por ser uma opção facilitadora, muitos lojistas escolhem utilizar os hubs de integração para vender em marketplaces. Se você já tem ou pretende criar o seu e-commerce na plataforma da Nuvemshop, em nossa Loja de Aplicativos é possível encontrar o caminho para instalar o PluggTo e o ANYMARKET.

Além disso, alguns ERPs — ferramenta essencial para a gestão de um e-commerce — também podem fazer essa intermediação. É o caso do Bling e do Tiny.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

Quais são as vantagens de fazer a integração da sua loja virtual com marketplace?

Os marketplaces funcionam como grandes shoppings virtuais, reunindo diferentes vendedores e ofertas. Para o consumidor, a grande vantagem está na diversidade de opções, tanto de mercadorias quanto na hora de escolher as formas de pagamento e entrega.

Por isso, as lojas que também vendem por ali têm chances de atingir um público muito maior. É nesse ponto que entra o que chamamos de integração com marketplace, ou seja, a conexão entre o seu e-commerce e o “grande shopping online” que você escolheu.

Confira abaixo alguns motivos pelos quais você deve investir nesse processo:

1. Tem um retorno financeiro rápido

Ao vender seus produtos e serviços por um site já reconhecido no mundo do e-commerce, o retorno financeiro tende a ser mais rápido. Isso acontece porque, fazendo a pesquisa na própria plataforma, o consumidor tem muitas chances de encontrar o seu anúncio.

Para se destacar frente aos concorrentes, você pode seguir algumas boas práticas, como caprichar nas descrições dos produtos, oferecer um atendimento de qualidade ou criar descontos e promoções.

💡 Saiba mais: 7 dicas para vender em um marketplace

2. Representa um baixo investimento

Apesar das taxas que precisam ser pagas para o próprio marketplace, anunciar por ali significa que você vai usar toda a estrutura daquela plataforma para vender suas mercadorias. Assim, etapas como exibição do produto, entrega e faturamento estão reunidas em um só lugar.

Isso diminui seus custos com diversas ferramentas e os direciona para outras áreas importantes do seu negócio. Além disso, todo o gasto com marketing e publicidade é feito por meio do próprio marketplace.

3. Dá mais visibilidade à sua loja virtual

Outro benefício de integrar a loja virtual com um marketplace é a construção da sua marca a longo prazo. Isso significa que atrelar sua imagem a uma grande empresa do varejo — como é o caso dos marketplaces — pode dar mais visibilidade ao seu negócio.

À medida em que as vendas forem acontecendo por esse canal, você pode aproveitar o envio dos produtos para divulgar a sua loja diretamente. Uma ideia é colocar um QR Code levando para o seu site na própria embalagem ou em um flyer dentro dela.

Com isso, um número maior de clientes passa a conhecer o seu e-commerce e a comprar dele, aumentando também as suas vendas diretas.

4. Aumenta a confiança e credibilidade para seus clientes

Seja pela impossibilidade de experimentar o produto ou pelo medo de cair em golpes, muitas pessoas ainda têm receio de fazer compras pela internet. Por isso, transmitir confiança para o cliente é essencial em qualquer comércio digital. Estar dentro de um marketplace te ajuda a conquistar e firmar essa credibilidade dentro do seu nicho de mercado.

5. Melhora o SEO do seu e-commerce

O SEO — Search Engine Optimization ou, em português, otimização para mecanismos de busca — é a estratégia que facilita que o seu site seja encontrado nas pesquisas feitas pelos usuários dentro dos buscadores, como Google, Bing ou Yahoo. E esse é um fator que está totalmente relacionado à visibilidade da sua loja.

Quanto mais as pessoas te conhecem, mais elas vão pesquisar e acessar o seu e-commerce. Isso faz com que o Google, por exemplo, atribua mais relevância para o seu site e mostre-o para mais pessoas durante suas buscas orgânicas.

💡 Saiba mais: Como fazer SEO para e-commerce?

Por que não vender somente pelo marketplace?

Apesar de todas as vantagens, é importante deixar claro que a melhor estratégia a ser adotada para o seu e-commerce é usar o marketplace como um segundo canal de venda, e não como único ou principal. Assim, ter a sua própria loja virtual continua sendo essencial.

Confira quais são os principais motivos para não vender apenas por um marketplace:

  • No marketplace, você não terá um site seu, com sua marca e identidade visual;
  • Será sempre preciso ficar se adequando às mudanças de regras e diretrizes do site;
  • Em alguns casos, você não terá acesso a dados mais completos sobre seus clientes;
  • Tendo a sua loja, existe a oportunidade de direcionar ações de marketing digital (Facebook Ads, Google Ads etc.) diretamente para ela;
  • A gestão de vendas é mais organizada quando se tem uma loja virtual própria.
Crie sua loja virtual
Testar 30 dias grátis

Escolhendo o melhor site para fazer a integração com marketplace

Existem muitos marketplaces no Brasil, cada um com suas particularidades. Alguns mais abrangentes, outros mais segmentados. Cabe a você, antes de realizar a integração, conhecer essas diferenças e entender quais plataformas mais se encaixam nas suas necessidades no momento.

Para facilitar o entendimento e te ajudar nessa escolha, vamos priorizar informações como nicho de produtos, taxas cobradas e tempo de repasse do dinheiro ao lojista. Acompanhe!

1. B2W

O grupo B2W, que reúne as marcas Americanas, Submarino e Shoptime, é considerado uma referência para o varejo no país e vem se destacando cada vez mais. Por ser mais abrangente e expor ofertas de diversos tipos, o público que frequenta esse marketplace também não é segmentado.

A taxa cobrada pela venda dos produtos é de 16% sobre o valor total da venda (produto e frete) e mais R$ 5. Já o repasse do dinheiro para o vendedor é feito de 15 em 15 dias, e refere-se ao período anterior ao que está vigente. Isso porque o valor só é desbloqueado quando o produto chega nas mãos do consumidor.

2. Shopee

Ganhando cada vez mais força e espaço no mercado brasileiro, a Shopee tem se revelado um marketplace interessante para e-commerces de todos os nichos de mercado.

Uma das principais vantagens — e que brilha os olhos dos lojistas — é o baixo custo das comissões, que ficam em torno de 5% sobre o valor do produto. Além disso, o frete grátis nas compras acima de R$ 40 é oferecido pelo próprio site e atrai muitos consumidores.

Quanto ao repasse, o mesmo é feito ao vendedor em até 7 dias úteis depois que o cliente confirmar o recebimento da sua compra. O dinheiro fica armazenado em uma carteira, até que o saque seja realizado.

💡 Saiba mais: O que é e como funciona a Shopee?

📹 Veja também: Como vender na Shopee?

3. Mercado Livre

Dados divulgados pelo site E-commerce Brasil mostram que, com a pandemia da Covid-19, o Mercado Livre deu um salto de 185% em suas vendas, assumindo a posição de líder na América Latina e competindo com gigantes globais, como Amazon e Alibaba. Está aí uma oportunidade e tanto para a sua loja virtual.

A plataforma é conhecida por sua grande variedade de ofertas, não tendo, então, um público muito nichado. Quanto aos valores cobrados por cada venda realizada, tanto na modalidade clássica quanto premium, as tarifas variam de acordo com o produto anunciado e o grau de exposição que você escolher. Além disso, pedidos abaixo de R$ 79 têm uma taxa fixa de R$ 5.

Optando pela opção de entrega pelo Mercado Envios, dois dias depois de o cliente receber a mercadoria, você já terá acesso ao dinheiro. Caso realize a entrega por outro meio, esse prazo aumenta para 11 dias.

Para conferir outras dicas e saber se vale a pena vender pelo Mercado Livre, assista ao vídeo abaixo:

4. Amazon

Uma das líderes mundiais em vendas online, a Amazon também é uma ótima opção para os lojistas que querem integrar com marketplaces. A porcentagem cobrada pela plataforma pode variar de 8% a 20%, de acordo com a categoria.

Além disso, o repasse acontece quinzenalmente e é depositado diretamente na conta bancária do vendedor, que pode acompanhar os valores e as datas dos próximos lançamentos dentro da própria ferramenta.

💡 Saiba mais: Guia completo sobre como vender na Amazon

5. Via Varejo

Outro grande grupo é o Via Varejo, conhecido por englobar as lojas Casas Bahia, Extra e Ponto Frio, e que também dispõe de ofertas dos mais diversos tipos de produtos. Para os lojistas que decidem vender por aqui, as tarifas variam de 14% a 18%, dependendo da categoria de produtos.

O recebimento do dinheiro por parte do lojista pode acontecer em dois dias diferentes: 20 (para pedidos entregues para a transportadora entre 26 e 10 do mês anterior) e 30 (para pedidos entregues para a transportadora entre 11 e 25 do mês anterior).

6. Magazine Luiza

Além da já conhecida Magalu, o grupo não para de crescer e é detentor de outros marketplaces mais nichados, como Netshoes e Zattini, especializados, respectivamente, em artigos esportivos e moda no geral.

No caso dessas duas últimas marcas, se você trabalha com produtos específicos dentro dos segmentos mencionados, há uma grande oportunidade para o seu e-commerce. Assim, o cliente chega até você com uma intenção de compra muito mais focada.

Sobre as taxas, aqui elas vão variar de 10% a 20%, conforme a categoria. E, diferentemente dos exemplos anteriores, neste caso, o repasse é feito de outra maneira: o vendedor recebe de acordo com o número de parcelas que o cliente resolveu pagar, e tem a opção de escolher se prefere receber semanal ou mensalmente.

7. MadeiraMadeira

O marketplace MadeiraMadeira é outro que foca em um segmento bem específico de produtos: móveis, eletrodomésticos e tudo mais que você precisar para montar a sua casa. Por isso, é uma integração muito interessante para lojistas que atuam nesse nicho.

As tarifas chegam a até 20% do valor do produto somado ao frete, mas podem ser negociadas diretamente com o marketplace. O repasse acontece quinzenalmente.

8. Carrefour

Muito conhecido pelos seus supermercados, a rede Carrefour também tem um marketplace que engloba uma variedade enorme de produtos, desde pneus até roupas de cama, mesa e banho. As taxas ficam entre 10% e 14% e os pagamentos a prazo podem ser adiantados em até duas parcelas por mês.

Aqui, o repasse também pode acontecer em dois dias: 20 (para pedidos entregues para a transportadora entre 26 e 10 do mês anterior) ou 30 (para pedidos entregues para a transportadora entre 11 e 25 do mês anterior).

9. Elo7

Para os e-commerces que vendem trabalhos artesanais e feitos sob encomenda, o Elo7 é uma opção muito interessante de integração. As tarifas variam de acordo com a exposição escolhida pelo vendedor: 12% para a clássica — exposição normal — e 18% para a plus — exposição alta, com prioridade nas buscas e no marketing da plataforma.

Para receber o dinheiro em até dois dias após a venda, o lojista precisa criar uma conta na Wirecard. Além disso, o repasse nesse marketplace é feito de maneira integral, então, no dia 10 de cada mês, uma fatura é encaminhada para o vendedor com o valor total de comissões que deve ser pago ao site.

10. Global Fashion Group

Também conhecido pela sigla GFG, o Global Fashion Group detém marcas como Dafiti e Kanui, especializadas no segmento de moda e calçados, além da Tricae, voltada para o público infantil.

As taxas cobradas do lojista variam entre 25% e 30%, com o repasse feito no último dia de cada mês. Para isso, as vendas realizadas entre os dias 10 do mês atual e 9 do mês seguinte precisam ser confirmadas em até 5 dias úteis depois que forem efetuadas.

Tabela comparativa entre marketplaces

Marketplace Tarifa cobrada pelas vendas
B2W (Americanas, Submarino e Shoptime) 16% sobre o valor total da venda (produto e frete) e mais R$ 5.
Shopee 12% sobre o valor do produto.
Mercado Livre Variável de acordo com o produto anunciado e o grau de exposição. Pedidos abaixo de R$ 79 têm uma taxa fixa de R$ 5.
Amazon De 8% a 20%, dependendo da categoria de produtos.
Via Varejo (Casas Bahia, Extra e Ponto Frio) De 14% a 18%, dependendo da categoria de produtos.
Magazine Luiza (Magalu, Netshoes e Zattini) De 10% a 20%, dependendo da categoria de produtos.
MadeiraMadeira Até 20% do valor total da venda (produto e frete).
Carrefour De 10% a 14%, dependendo da categoria de produtos.
Elo7 12% para exposição clássica e 18% para exposição plus.
Global Fashion Group (Dafiti, Kanui e Tricae) De 25% e 30%, dependendo da categoria de produtos.

Resumo sobre como fazer a integração com marketplace

Viu só como a integração com marketplace pode ser uma ótima opção para melhorar as vendas da sua loja virtual? Então, para que você saia daqui preparado para dar esse próximo passo nas suas vendas, nós preparamos um resumo e uma tabela com todos os sites e suas respectivas taxas que listamos no artigo.

Vamos lá?

Como fazer a integração com marketplace?

Pontos para levar em consideração:

  • O marketplace faz sentido para o seu negócio?
  • Seu público está nele?
  • Qual a relevância dentro do seu segmento de atuação?
  • Quais produtos você vai vender?

Além disso, existem dois tipos de integração com marketplace e é importante saber qual deles a sua plataforma de e-commerce permite. A principal diferença é:

  • Integração nativa: acontece diretamente entre a loja virtual e o marketplace escolhido
  • Hub de integração: é um intermediador que centraliza a gestão dos diferentes marketplaces em que você deseja anunciar

Quais são as vantagens de fazer a integração da sua loja virtual com marketplace?

  1. Tem um retorno financeiro rápido
  2. Representa um baixo investimento
  3. Dá mais visibilidade à sua loja virtual
  4. Aumenta a confiança e credibilidade para seus clientes
  5. Melhora o SEO do seu e-commerce

Por que não vender somente pelo marketplace?

  • No marketplace, você não terá um site seu, com sua marca e identidade visual
  • Será sempre preciso ficar se adequando às mudanças de regras e diretrizes do site
  • Em alguns casos, você não terá acesso a dados mais completos sobre seus clientes
  • Tendo a sua loja, existe a oportunidade de direcionar ações de marketing digital diretamente para ela
  • A gestão de vendas é mais organizada quando se tem uma loja virtual própria

Escolhendo o melhor site para fazer a integração com marketplace

Antes de escolher os marketplaces pelos quais você quer fazer suas vendas, é importante conhecer o nicho de produtos, as taxas cobradas e o prazo de recebimento dos valores. As principais opções disponíveis no mercado são:

  1. B2W (Americanas, Submarino e Shoptime)
  2. Shopee
  3. Mercado Livre
  4. Amazon
  5. Via Varejo (Casas Bahia, Extra e Ponto Frio)
  6. Magazine Luiza (Magalu, Netshoes e Zattini)
  7. MadeiraMadeira
  8. Carrefour
  9. Elo7
  10. Global Fashion Group (Dafiti, Kanui e Tricae)

E se, antes de começar a integrar com os marketplaces, você ainda precisa criar o seu e-commerce, te convidamos a fazer um teste gratuito de 30 dias na plataforma da Nuvemshop. Aqui você monta a sua loja, cadastra os seus produtos e começa a vender no mesmo dia! 💙

Aqui você encontra:

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer mudar de vida vendendo pela internet?

Crie agora sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional.

Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies