O que é e como planejar a estrutura de custos do seu e-commerce?

Por: José Abuchaem
O que é e como planejar a estrutura de custos do seu e-commerce?

Aqui você encontra:

No processo de começar um negócio, uma vez que você definiu o produto que irá vender e o público-alvo ao qual direcionará seus esforços, você deverá se atentar a outro fator muito importante: sua estrutura de custos.

Neste artigo, portanto, veremos o que é a estrutura de custos, como montar a da sua empresa e quais são os custos fixos e variáveis que você deve levar em conta. Então, vamos começar!

O que é estrutura de custos?

Estrutura de custos é um dos aspectos que deve ser levantado quando se elabora o modelo de negócios de uma empresa. Essa estrutura deve contemplar todos os custos necessários para que seu novo empreendimento possa funcionar e oferecer o que se propõe ao público.

Existem duas formas para uma empresa direcionar suas ações: por custo e por valor. Negócios direcionados por custo são aqueles em que o objetivo é minimizar os custos e oferecer uma proposta de valor mais barata ao público.

Já os negócios direcionados por valor são aqueles em que o foco está no que é oferecido aos clientes, mesmo que isso às vezes se traduza em produtos ou serviços mais caros, porém considerados de alta qualidade. A escolha por um desses modelos vai nortear a forma como os custos devem ser planejados em uma empresa.

Tipos de estruturas de custo

Uma estrutura de custos pode ter as seguintes características:

Custos fixos

Nesse tipo, os custos são sempre os mesmos, independentemente do quanto de produza ou venda. Falaremos especificamente sobre eles mais adiante.

Custos variáveis

Aqui, as despesas mudam de acordo com a quantidade produzida e comercializada. Também trataremos deste tópico em uma seção específica deste texto.

Economias de escala

Nesse modelo, quanto maior a produção, mais barato o custo por unidade produzida. Em geral, ele é adotado por grandes empresas com cadeias produtivas.

Economias de escopo

Nesse caso, mesmo que a empresa invista em diferentes produções, os custos diminuem à medida que o volume aumenta, pois as estruturas usadas são as mesmas. Também costuma ser utilizado por grandes indústrias.

Quando falamos sobre pequenas empresas — incluindo o e-commerce —, o que há é uma mistura entre custos fixos e variáveis para definir a estrutura de custos. Então, vamos entender como fazer o planejamento nesses casos.

Como planejar a estrutura de custos nas pequenas empresas?

Para poder planejar sua estrutura é importante diferenciar todos os custos que você pode ter. Como vimos, há dois tipos muito claros, os custos fixos e os custos variáveis.

Os custos variáveis dependem do seu volume de vendas (custo da mercadoria, tarifa cobrada pelos meios de pagamento, custo do frete etc), enquanto os custos fixos englobam despesas independentes das vendas, como internet, mensalidade da plataforma de e-commerce, salários, contadores etc.

Somado a isso você também terá o custo para divulgar seus produtos e sua loja, por meio de estratégias de marketing. Embora esse custo devesse ser categorizado como fixo ou variável, é mais simples pensá-lo como uma entidade independente. Isso porque esses custos podem gerar impacto no volume de vendas e, assim, conseguir cobrir a estrutura.

Como criar a estrutura das despesas fixas?

Para entender seus custos fixos você deverá colocar no papel todos os gastos que sua loja terá num mês, independente das vendas que fizer. Veja alguns exemplos típicos:

  • aluguel do escritório/depósito (incluir sempre despesas como luz, gás, limpeza e IPTU);
  • internet;
  • telefone;
  • salários (incluir todos os impostos nessa conta);
  • contadores;
  • advogados;
  • custos da conta bancária;
  • mensalidade da plataforma de e-commerce;
  • outros custos operacionais (impostos, por exemplo).

O importante é que você possa se planejar mensalmente e entender que investimento será necessário para manter o seu empreendimento funcionando de forma saudável.

Vamos ver um exemplo fictício de custos fixos mensais de uma loja virtual que está começando:

  • você trabalha em casa, então não há nenhuma despesa de escritório;
  • internet: R$ 70;
  • telefone: R$ 15;
  • salário que você e seu sócio, juntos, tiram: R$ 8.000;
  • contador: R$ 300;
  • horas usadas do escritório de advocacia: R$ 85;
  • conta bancária do seu negócio: R$ 30;
  • plataforma de e-commerce: R$ 49,90;
  • MEI (Microempreendedor Individual): R$ 49,90

No total, os custos fixos mensais somam R$ 8.599,80. Esse valor deve ser adicionado à estrutura de custos. Agora, vamos aos variáveis.

Como contabilizar os custos variáveis?

Para cada produto vendido você terá que entender os custos associados a ele. Cada item possui seus custos específicos, mas existem também aqueles custos independentes da mercadoria. Por exemplo, o custo para fabricar uma camiseta será bem diferente do custo para fabricar uma calça ou um cachecol, mas o custo da embalagem deverá ser similar para todos.

Veja alguns exemplos de custos variáveis:

Vejamos, então, um exemplo da venda de uma camiseta:

  • você gasta R$ 15 para fabricá-la;
  • o frete é pago pelo comprador, portanto você está livre desse custo;
  • o meio de pagamento cobra 4% por venda. Se o preço da camiseta é R$ 130, você será descontado em R$ 5,20;
  • para o envio, você utiliza envelopes em papel kraft estampados com o logo da sua marca. O custo é de R$ 0,30 por unidade.

Como base nesses dados, você terá um custo de R$ 20,50 para produzir a camiseta e um lucro de R$ 109,50 por peça, uma vez que o preço que você definiu para a venda foi de R$ 130.

Custos de marketing

Quando falamos dos custos de marketing, nos referimos ao valor que você vai pagar em campanhas de divulgação da sua marca e dos seus produtos.

Como dissemos no início deste conteúdo, optamos por considerá-lo à parte, pois esse investimento pode trazer um retorno direto sobre sua receita — que pode ser calculado por meio do ROI (retorno sobre o investimento).

Seguindo com o exemplo das outras seções, sabemos que você gasta R$ 8.599,80 por mês e que cada camiseta que você vende traz um lucro de R$ 109,50. Com uma conta básica (dividindo o total dos custos pelo lucro), observamos que você precisará vender 79 camisetas para cobrir seus custos fixos.

O importante agora é entender o que você pode fazer para vender essa quantidade de camisetas. Nesse momento, você vai avaliar quais estratégias vai adotar. Existem opções orgânicas (não pagas, mas que podem exigir que você contrate um profissional), como postagens em redes sociais e um blog da sua empresa, e pagas, como anúncios no Google Ads e no Instagram Ads, por exemplo.

Uma boa ideia é organizar toda essa divulgação em um documento chamado Plano de Marketing. Dessa forma, você poderá prever as ações e seus custos. Saiba como fazer o seu no nosso guia completo:


Saiba mais...

Tudo certo para fazer a estrutura de custos de uma empresa?

Calculados todos os custos — fixos, variáveis e de marketing —, você terá a estrutura de custos da sua empresa pronta. Assim, planejar ações, prever seu fluxo de caixa e garantir a saúde financeira do seu negócio vai se tornar mais simples.

Esperamos que este conteúdo tenha sido útil para te ajudar nos cálculos. E, se ainda tiver dúvidas, deixe nos comentários. 😉

Quer colocar tudo isso em prática? Crie sua loja virtual e teste 30 dias grátis na plataforma da Nuvemshop. É simples, rápido e sem a necessidade de conhecimentos técnicos!

Faça como +60mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Sabemos que migrar sua loja não é uma decisão simples.

Descubra os benefícios e facilidades que a Nuvemshop oferece exclusivamente para migrações.

Saiba mais sobre a migração