31/07/2018

Você sabe o que são micro-momentos?

o que sao micro momentos

Vivemos a era do empoderamento digital. Graças à massificação dos smartphones, hoje podemos ter acesso a informações e ferramentas com apenas poucos toques.

Quer enviar um recado à família? WhatsApp. Postar fotos das férias? Instagram. Passar o tempo até seu próximo compromisso? Olhadinha no Facebook. Saber como estará o clima no fim de semana? Busca no Google.

Apostamos que várias cenas vieram à sua mente e, com certeza, nenhuma delas com você em frente ao desktop e, sim, com o celular na mão. Acertamos? Pois é, o mobile é uma realidade.

Para exemplificar mais claramente, segue esse dado: de acordo com o Think with Google, os usuários de smartphones checam mais de 86 vezes por dia os seus telefones (e esse número é somente sobre os brasileiros!).

Consequentemente, devido a esse uso constante, o comportamento do consumidor se transformou e a jornada de compra se fragmentou em breves instantes, os chamados micro-momentos.

Tais momentos – divididos essencialmente entre saber, ir, fazer e comprar – são pontos de engajamento digital, quando o usuário está mais disposto a conceber suas intenções, preferências e tomadas de decisão.

Interessado? Na sequência, você encontrará características e dados sobre cada um deles. Confira!

Saber

A curiosidade é um dos grandes pontos de partida para uma jornada de compra. Com o acesso ao mobile, ganhamos a autonomia de navegar rapidamente neste grande mundo de informações que é a internet.

Assim, esta busca pelo saber pode acontecer a partir de diversas maneiras, como por:

  • Propagandas de televisão (65% dos usuários de smartphones utilizam seus aparelhos para aprenderem mais sobre o que assistiram);
  • Conversas com familiares e amigos sobre determinado serviço;
  • Contato com algum novo produto (como durante um passeio no shopping).

Perceba, então, que se trata de um contato inicial bastante espontâneo para o consumidor. Isso não quer dizer que as marcas não devam se preparar para ele: reviews de produtos no YouTube, por exemplo, poderão causar uma primeira impressão positiva.

Ir

Neste micro-momento ocorre a intenção de chegar a algum lugar. Com a facilidade de se locomover (por mapas digitais, como o Google Maps), hoje o usuário simplesmente pesquisa, escolhe e vai ao encontro do que deseja.

De acordo com o Think with Google, o interesse em buscas pela expressão aberto agora triplicou nos últimos dois anos – desde para atividades recreativas (como em shoppings, cinemas e restaurantes), até situações de emergência (como farmácias e hospitais).

Para mais, neste mesmo período, as procuras por hoje e esta noite, especificamente relacionadas a passagens e agências de turismo, cresceram mais de 150%. Incrível, não?

Esses resultados compactuam exatamente com a cultura que vivemos: a da velocidade e do imediatismo. Por isso, a importância das marcas geolocalizarem seus ambientes físicos (em redes sociais e anúncios), atraindo assim os consumidores mais próximos a elas.

Fazer

Quem nunca cozinhou seguindo uma receita que buscou no Google ou no YouTube, não é mesmo? Cerca de 95% dos usuários utilizam seus smartphones para terem ideias enquanto realizam uma tarefa.

Quando surge qualquer dúvida, emergência ou necessidade, nosso primeiro instinto é pesquisar. Seja para consertar uma peça quebrada, aprender um penteado ou entender como um aparelho novo funciona.

À vista disso, para uma marca se tornar referência diante da concorrência, é preciso não só vender, mas ensinar. Para uma loja de produtos de beleza, por exemplo, dicas de maquiagens diurnas e noturnas no blog corporativo poderão ser os pontos-chave para conduzir o consumidor à conversão.

Comprar

Por fim, este é o fragmento da intenção de compra, micro-momento de buscas mais detalhadas. Segundo análises do Google, 80% dos brasileiros procuram por referências online, quando estão em dúvida sobre qual produto adquirir.

Além disso, nos últimos dois anos, as pesquisas pelo termo melhor feitas no mobile cresceram mais de 70% (desde mercadorias mais comuns, como escovas de dente, até calçados e acessórios de viagem).

Assim, é essencial que as marcas invistam em descrições completas e imagens que revelem diversos ângulos dos itens. Se o e-commerce tem como foco batons hidratantes, por exemplo, uma boa ideia é caracterizá-los como “batons vermelhos para lábios ressecados”.

Indicar para que/quem tornará os produtos mais atrativos e, por consequência, esta abordagem personalizada certamente terá mais chances de sucesso.

Tudo certo?

Esperamos que, depois de ler este artigo, o conceito de micro-momentos tenha ficado mais claro para você.

Para aproveitá-los, as marcas devem se adequar ao novo movimento da jornada de compra e investir em conteúdos informativos e interativos para alcançarem uma maior conexão com os seus consumidores. Somente dessa maneira, tais contatos poderão se fidelizar.

E se esse artigo despertou em você o desejo de abrir a sua própria loja virtual, te convidamos a fazer um teste de 15 dias grátis com a Nuvem Shop! É simples, rápido e sem necessidade de conhecimentos técnicos.

Data da última atualização: 02/08/2018


O que você achou desse conteúdo?


Raquel Lisboa

Editora de conteúdo e responsável pela gestão de parcerias educacionais na Nuvem Shop. Adora comédias românticas e musicais. É licenciada em Letras e nunca dispensa a companhia de um livro. Acredita que uma xícara de chá resolve quase qualquer problema. E, como uma boa geminiana, gosta de bater papo e falar sobre diversos assuntos ao mesmo tempo (o que é notório nesta bio!).


voc-sabe-o-que-so-micro-momentos