23/04/2018

Precificação de produtos: os 3 erros mais comuns

erros comuns de precificacao de produtos

A precificação de produtos da sua empresa é focada em resultado ou é trabalhada como projeto e o foco real está em vendas e faturamento? Se for isto, você não está errado, apenas incompleto.

O cenário geral do varejo atualmente, do ponto de vista da gestão financeira, é desfavorável. Erros de cálculo e conceituais são realizados em cada transação e planejamento, o que está custando o crescimento de muitos empreendimentos.

De fato, é um processo que exige conhecimento, porém não deveria estar sendo negligenciado: segundo o Sebrae, cerca de 1040 empresas por dia chegam à falência por conta disso.

Logo, errar nesse gerenciamento é o começo de um fim lento e doloroso para o seu e-commerce. Para te auxiliar nessa tarefa, confira as três principais dicas do que não fazer em relação à precificação dos seus produtos:

1. Não se preparar para a guerra de preços

Primeiramente: sempre haverá guerra de preços. Alguns mercados serão piores que outros, mas será uma constante no seu dia a dia. Então, você deve estar se perguntando: faz sentido participar?

O ponto-chave, nesse caso, é o planejamento estratégico perante a isso. Envolver-se é inevitável, pois não será possível faturar se não acompanhar o mercado. Contudo, você pode fazer isso sabiamente, conhecendo as suas margens.

Estar em um nicho de alta ou baixa volatilidade te força a baixar ou subir preços. Para precificar corretamente é necessário entender seu capital de giro e quanto é preciso vender para obter lucro.

Você pode até mesmo não mudar os preços, mas trabalhar em estratégias como promoções, kits de produtos, frete grátis e descontos.

Por isso, analise com cuidado para não atirar no escuro: rastreie as informações citadas acima e saiba aproveitar o potencial do seu e-commerce.

2. Errar nos cálculos

O foco ser em vendas e faturamento advém, muitas vezes, da vaidade do empresário em saltar para esses números e pensar que os mesmos simbolizam crescimento de forma mais clara e prática.

Dizer que esse não deve ser um dos principais objetivos do seu negócio também seria uma falácia. Porém, se você precifica erroneamente e/ou não tem controle dos seus custos e finanças, vender mais poderá ser sinônimo de prejuízo.

O preço é o fator que impacta diretamente o seu resultado, o lucro e o faturamento da empresa – negligenciá-lo é fatal.

Mas como fazer certo?

Inicialmente, é importante dividir claramente a despesa fixa da empresa do custo variável de produtos. A formação de preços deve ser baseada somente nos custos de venda e compra de mercadorias.

O resultado do produto, o seu lucro bruto, é o que dá “resposta” para a empresa. Assim, some-o todo e, se ele for maior que o custo fixo da sua loja, o lucro real acontece.

Além disso, você deve precificar baseado na margem desejada. A sua margem de lucro bruto, chamada de margem de contribuição, deve ser colocada acima das despesas variáveis, como frete, taxa de cartão, comissão de marketplace, impostos etc.

3. Esquecer-se da estratégia

E de onde vem essa margem de contribuição? Como sei a margem ideal?

Quando se trata de precificar, esse talvez seja o fator mais esquecido: a sua estratégia. Sim, a finalidade que você busca para a sua empresa.

Por quê?

Você se lembra que o preço está diretamente relacionado ao lucro, certo? Se ele nasce diretamente do seu custo, do markup, ele perde o potencial de ser um fator decisivo para sua meta de lucratividade anual.

Meio óbvio, porém grandes empresas ainda precificam por markup e se esquecem de que preço é lucro e deve participar ativamente dos planos de ação.

Precificar nada mais é do que colocar uma vitrine financeira da sua empresa em um produto. E, por isso, não deve nascer de custo.

No fim, tudo se trata de evitar uma gestão financeira desfocada e negligenciada que pode colocar em risco a saúde da sua empresa.

Data da última atualização: 30/08/2018


O que você achou desse conteúdo?


Rodrigo Forny

Diretor de marketing do Preço Certo, plataforma de gestão de preços e indicadores financeiros focada em aumentar a lucratividade de empresas.


    precificao-de-produtos-os-3-erros-mais-comuns