Shopping virtual: o formato de compras tradicional com a comodidade do e-commerce

Por: Alejandro Vázquez

Mulher rodeada de sacolas e segurando cartão de crédito, como quem compra em um shopping virtual

Mesmo com a expansão do e-commerce no mercado mundial, há quem sinta falta de “bater perna” nos corredores do shopping tradicional. Existem vários motivos para isso: a variedade de lojas e a possibilidade de comparar preços e produtos são alguns deles. O shopping virtual tem como missão trazer para o online esse formato clássico de compras.

Se quiser saber tudo sobre shopping virtual e o motivo por trás dos seus números surpreendentes, continue lendo nosso artigo!

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

O que é shopping virtual?

O shopping virtual, também conhecido como marketplace, funciona como um corredor de vitrines online. Reunindo diversas lojas em uma única plataforma, ele tem como objetivo emular a experiência de um shopping tradicional, onde o cliente pode encontrar diferentes marcas, produtos e comparar preços.

Unindo variedade à comodidade de comprar pela internet, esse modelo de negócios é responsável pela maior porcentagem de vendas do e-commerce no Brasil e no mundo.

Magalu, Amazon, Mercado Livre, Centauro etc. É provável que você já tenha ouvido falar em alguns desses nomes. Ou, melhor, há grandes chances de você possuir pelo menos um produto comprado em alguma dessas plataformas. Estes são exemplos de shoppings virtuais de sucesso que caíram no gosto do grande público.

O que atrai a maioria das pessoas para esses sites é, além da chance de negociar os preços com os vendedores em alguns casos, a possibilidade de encontrar produtos bastante distintos em um único lugar. No Mercado Livre, por exemplo, você pode encontrar desde um gerador de energia até um patinho de borracha.

Diferença entre loja virtual e shopping virtual

Uma boa forma de distinguir esses dois modelos de e-commerce é com o seguinte pensamento: um shopping virtual pode conter uma loja virtual, mas o contrário não é possível.

Uma loja virtual, ou e-commerce, via de regra, vende apenas produtos de um nicho e marca específicos, sem se misturar com concorrentes e cuidando de todos os processos financeiros e logísticos, em um modelo de negócios mais centralizado. A loja virtual possui layout e identidade visual próprios.

💡 Saiba mais: O que é e-commerce e como funciona?

Já o shopping virtual reúne diferentes lojas e marcas, oferecendo um ambiente virtual com todo o aparato técnico necessário para que lojistas realizem suas operações. Possui um modelo descentralizado e, muitas vezes, o shopping virtual também estabelece como devem ser os processos logísticos e de pagamento dos vendedores da plataforma. O layout e a identidade visual são próprios do marketplace, de forma que o foco nas lojas virtuais fica apenas em seus produtos.

Muitos empreendedores, no início de suas jornadas, acabam optando por vender em marketplaces pela facilidade de estar em um canal de vendas já estabelecido.

Por outro lado, além de taxas que afetam a margem de lucro do seu negócio, os marketplaces têm algumas limitações importantes quanto ao desenvolvimento da sua marca. Se você deseja levar o nome da sua empresa a outro nível e ter uma presença online mais marcante, a melhor escolha é criar sua própria loja virtual.

Mas, criar uma loja virtual não significa que você não possa usufruir das vantagens de estar em um marketplace. Muitas plataformas de e-commerce, como a Nuvemshop, oferecem integração com marketplaces. Dessa forma, você pode trabalhar melhor sua marca, enquanto amplia o alcance dos seus produtos em outra plataforma.

💡 Saiba mais: Como fazer integração com marketplace?

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

O mercado de shoppings virtuais

Com base nos nomes que citamos, você já deve imaginar que o mercado dos shoppings virtuais é bastante grandioso. De fato, os marketplaces foram responsáveis por mais de 78% das vendas de e-commerce no Brasil em 2020. E esses números não mostram nenhum sinal de desaceleração.

Fatores como o isolamento social fizeram com que até os clientes mais conservadores se rendessem ao mercado virtual. O relatório Webshoppers 44 estima que, no primeiro semestre de 2021, o e-commerce atingiu a marca histórica de R$ 53 bilhões de faturamento, registrando um crescimento de 31% em relação ao primeiro semestre de 2020.

Considerando esses números, fica claro que os shoppings virtuais são, de forma geral, uma excelente opção para novos e antigos empreendedores — seja lançando uma nova plataforma ou expondo seus produtos em outras já existentes.

Tipos de shopping virtual

Agora que você conhece mais a fundo esse ramo do e-commerce, vamos falar sobre os diferentes tipos que existem. Confira:

Shopping virtual de produtos físicos

Esse é o modelo mais comum. Como o nome sugere, nesse tipo de shopping virtual, você pode encontrar produtos físicos dos mais variados tipos: roupas, acessórios, remédios, artigos esportivos, artesanatos.

Alguns exemplos de marketplaces de produtos físicos são a Centauro, Mercado Livre, Submarino, Magalu etc.

💡 Saiba mais: Produtos mais vendidos no Mercado Livre

Shopping virtual de produtos digitais

Nesse tipo de marketplace, no lugar de produtos físicos, você encontra apenas produtos digitais. São eles jogos, e-books, cursos, softwares, aplicativos, etc.

A Hotmart, por exemplo, é especializada em cursos online. Outros exemplos são a Monetizze, Eduzz e a Lomadee.

💡 Saiba mais: Como vender produtos digitais?

Shopping virtual de serviços

Nesse nicho, em vez de produtos, o shopping virtual é responsável por conectá-lo com diferentes prestadores de serviços.

O Boobam é um exemplo de plataforma que conecta um tipo específico de profissionais — nesse caso, designers de produtos — com pessoas em busca desse tipo de serviço. Outro exemplo, mais generalista, é o GetNinjas.

Shopping virtual de venda e aluguel de imóveis

Esses marketplaces possuem como característica principal a possibilidade de filtrar as opções com base em parâmetros relacionados à moradia: preço, número de quartos, localização, etc.

Seja para zapear entre as opções de venda, planejar viagens ou buscar um novo apartamento para morar, plataformas desse tipo se tornaram bastante populares. O Airbnb, o Quinto Andar e o Viva Real são alguns exemplos conhecidos desse tipo de shopping virtual.

Como vender em um shopping virtual?

O processo para vender em um marketplace costuma ser bastante simples. De forma geral, tudo que você precisa fazer é se cadastrar na plataforma, acrescentar os produtos ou serviços que deseja vender e, claro, organizar seu tempo e estoque para começar a embalar e enviar seus produtos para seus novos clientes.

Mas, é claro, antes de escolher a plataforma, é recomendável fazer uma busca completa sobre as condições e taxas praticadas, seja para anúncio ou para venda, e considerar isso ao organizar seu orçamento. Além disso, é importante analisar bem qual marketplace se encaixa melhor no que você deseja vender.

Se você tem uma loja de artesanatos, por exemplo, sua melhor opção pode ser a Elo7, que tem esse nicho como foco. Se você está vendendo um curso virtual, sua melhor escolha seria uma plataforma como a Hotmart.
Muitos novos empreendedores começam com poucos recursos e com o desafio de construir uma base de clientes do zero. Dessa maneira, incluir seus produtos nas maiores plataformas de venda da internet pode ser uma opção viável para trazer maior visibilidade ao seu negócio.

💡 Saiba mais: Como vender em marketplace?

Como criar um shopping virtual?

Agora que você já sabe o que é e como vender em um marketplace, vamos ensinar como criar um shopping virtual. Veja o passo a passo:

1. Defina seu nicho

Apesar de a regra do shopping virtual ser variedade, algumas dessas plataformas se beneficiam tendo o foco em um nicho específico. Como já existem gigantes mais generalistas, essa é uma maneira bastante eficaz de se diferenciar da concorrência.

O Elo7, por exemplo, é um marketplace com foco em produtos artesanais. Por esse motivo, o site se tornou referência em itens de decoração.

Alguns shoppings online, como a Amazon e a Magalu, têm uma proposta mais generalista — ou seja, ambos vendem produtos muito variados. Ainda assim, cada marketplace acaba se tornando referência em um tipo específico de produto. A Amazon é referência em livros e entretenimento. A Magalu, por sua vez, é mais conhecida pela venda de eletrodomésticos.

💡 Saiba mais: O que é como definir seu nicho de mercado?

2. Escolha uma plataforma

Com a ideia do seu shopping virtual já bem desenhada, agora você precisa buscar a hospedagem mais adequada. Existem, hoje, diversas plataformas que servem a esse propósito. Para escolher a melhor opção, é importante que você baseie sua busca em alguns fatores importantes:

  • Valor mensal;
  • Aparato logístico;
  • Serviço de atendimento ao cliente;
  • Existência de um aplicativo;
  • Opções de layout e customização;
  • Serviços de implantação.

Considerando essas variáveis, você poderá encontrar a melhor opção que sirva às suas necessidades. Essas são algumas das principais opções de plataformas para criar um shopping virtual: ToroMarketplace, Flexy, SMPlaces, N2NVirtual e Ideia no ar.

Nessas plataformas, você pode criar e estruturar um shopping virtual do zero, com tudo que um marketplace pode oferecer: a possibilidade de reunir lojistas, um sistema logístico focado em intermediar vendas etc.

Mas, se o que você quer é lançar uma marca única e centralizada para vender seus próprios produtos, você deve criar uma loja virtual, já que as configurações oferecidas são bastante diferentes. Nesse caso, você deve procurar por uma plataforma de e-commerce.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

3. Procure por lojistas

Com a estrutura do seu shopping virtual montada, você precisará cuidar da parte mais importante: reunir os lojistas que irão compor o catálogo de produtos da sua plataforma.

Com um nicho bem definido, você pode começar abordando novos empreendedores que fazem sentido para a sua proposta. Apresente seu modelo de negócios e planos para o futuro, demonstrando sempre as vantagens de escolher o seu marketplace.

4. Invista em marketing

Quando seu shopping virtual estiver no ar, é chegada a hora de levá-lo até seu público-alvo.

A melhor forma de fazer isso é investindo em estratégias de marketing digital. Com anúncios pagos em redes sociais, por exemplo, você pode atingir o público que deseja, levando sua plataforma a quem realmente pode se beneficiar dela. Se não tiver experiência, é recomendado que você busque por um profissional de gestão de tráfego.

Você também pode investir em estratégias com efeitos a longo prazo, como a criação de um blog. Oferecendo conteúdo relevante e atraindo usuários de forma orgânica para o seu site, você terá maior estabilidade e um fluxo constante de novos visitantes.

💡 Saiba mais: Como criar um blog de sucesso?

Tudo entendido sobre o shopping virtual?

Shoppings virtuais são plataformas que aliam uma forma de fazer compras tradicional com a comodidade trazida pelo e-commerce.

Seja criando seu próprio shopping virtual ou unindo forças a um já existente, esse é um espaço no mundo do e-commerce que vale a pena ser explorado, principalmente se você for um novo empreendedor ainda sem uma base de clientes fixos.

Com um universo de possibilidades e nichos, os marketplaces possuem a vantagem de já terem um lugar estabelecido no mercado.

Esperamos que nosso artigo tenha tirado todas suas dúvidas sobre shoppings virtuais e lhe inspirado a explorar as vantagens que esse modelo de negócios oferece.

Se você não comprou totalmente a ideia e prefere ter sua própria marca e presença online, te convidamos para testar a plataforma da Nuvemshop por 30 dias grátis. Essa é uma excelente forma de lançar ou alavancar seu negócio, mesmo que você não tenha conhecimentos técnicos. Esperamos por você. 😉

Aqui você encontra:

Perguntas frequentes sobre shopping virtual

Shopping virtual é uma modalidade do e-commerce que reúne vários lojistas em uma mesma plataforma. Também é conhecido como marketplace.

Existem várias plataformas voltadas para a criação de um shopping virtual, com configurações específicas para esse tipo de e-commerce. Você só precisa comparar os serviços e taxas de cada uma e escolher a melhor opção.

O processo para vender em um shopping virtual é, de forma geral, bastante simples. Após pesquisar e escolher a plataforma que melhor se encaixa no seu nicho de mercado, o lojista só precisa se cadastrar no marketplace, subir seus produtos e começar a vender.

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer integrar o marketplace com uma loja virtual?

Com uma loja virtual Nuvemshop, você consegue vender por vários canais de venda integrados.

Testar 30 dias grátis

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies