O que é e como aplicar a inteligência emocional no trabalho?

Por: Victoria Salemi
O que é e como aplicar a inteligência emocional no trabalho?

Aqui você encontra:

Você já ouviu falar em inteligência emocional no trabalho? 🤔

Normalmente, esse termo costuma vir associado às necessidades dos bons profissionais no ambiente de negócios. Se você sabe que essa tal de inteligência emocional é importante, mas não sabe muito bem o que significa esse conceito e os motivos para tamanha relevância, não se preocupe.

Ao longo deste artigo, vamos entender tudo sobre a inteligência emocional no trabalho. Prepare o cérebro e o coração e venha comigo! 🧠❤️

O que é inteligência emocional?

Inteligência emocional é um conceito da psicologia que diz respeito à identificação de sentimentos, especialmente diante de situações adversas, e à forma como você lida com eles.

Esse termo já existia, mas ganhou popularidade em 1995, após o lançamento do livro do jornalista americano Daniel Goleman (chamado “Inteligência emocional”). Para o autor, os indivíduos emocionalmente inteligentes possuem cinco habilidades. Vamos conhecê-las:

1. Autoconhecimento

O primeiro ponto diz respeito a conhecer a si mesmo e como as situações têm impacto sobre você. O que te deixa ansioso? O que te faz feliz? Como você se motiva?

2. Controle emocional

Além de conhecer seus sentimentos, é necessário saber controlá-los em cada situação. Isso não significa fingir que eles não existem, mas aprender a lidar com cada um deles quando surgem.

3. Automotivação

A automotivação significa saber que sentimentos te levam adiante em diferentes situações. Nesse ponto, o autoconhecimento é fundamental.

Como um exemplo, conto uma experiência pessoal: ao longo dos anos como atleta, percebi que meu rendimento no esporte era muito melhor quando eu estava com raiva. Então, busquei aprender como utilizá-la a meu favor.

4. Empatia

Atualmente tão em voga, ser empático significa reconhecer as emoções das outras pessoas. Desse modo, é preciso se desenvolver para entender como os outros se sentem em diferentes situações e respeitar esses sentimentos, por mais que você nunca tenha passado por algo parecido.

5. Habilidade nos relacionamentos

Por fim, a inteligência emocional compreende a habilidade nos relacionamentos interpessoais, sejam eles no campo pessoal ou profissional. Aqui, estamos falando em saber ter uma relação saudável com outras pessoas, independentemente de vocês se gostarem ou não.

Qual a importância da inteligência emocional no trabalho?

A importância emocional no trabalho se mostra importante porque, assim como nas outras esferas de nossas vidas, o campo profissional, muitas vezes, envolve situações difíceis. Tomar decisões importantes e controlar as emoções quando tudo vai bem é uma coisa, mas é em situações adversas que a inteligência emocional pode fazer a diferença.

Além disso, o trabalho envolve relações interpessoais que, muitas vezes, não escolhemos. Por isso, saber lidar com indivíduos diferentes torna-se fundamental para se sair bem em sua profissão.

Em seu livro, Goleman ressalta que indivíduos com inteligência emocional desenvolvida têm mais chances de obter sucesso em suas carreiras. Isso porque, com as emoções controladas e usadas ao seu favor, fica muito fácil resolver problemas.

Como aplicar a inteligência emocional no trabalho?

Como já vimos, para ter a inteligência emocional bem desenvolvida, é preciso trabalhar o autoconhecimento, o controle das emoções, a automotivação, a empatia e os relacionamentos interpessoais. Porém como fazer isso na prática?

Para facilitar a compreensão, confira algumas dicas práticas sobre como aplicar a inteligência emocional no trabalho:

1. Não levar críticas para o lado pessoal

Não levar as críticas como ofensa pode ser um desafio. No entanto, quando entendemos que boa parte delas pode contribuir para o nosso desenvolvimento, isso vai se tornando mais fácil.

Assim como vários outros que veremos, esse é um aprendizado que leva tempo, mas é valioso na construção da inteligência emocional. Pratique a escuta e permita-se o aprimoramento a partir de feedbacks.

2. Não cair no desespero em situações adversas

Muitas vezes, é difícil manter o controle e não se desesperar quando tudo parece perdido. Mas essa atitude pode fazer a diferença na hora de tomar decisões importantes.

Se for o caso, dê um tempo antes de chegar a uma conclusão e peça aconselhamento a pessoas de confiança. As emoções têm papel importante em nossas vidas, mas podem “borrar” nossa visão em algumas situações.

3. Não ficar se estressando pelo que já passou

Coisas desagradáveis acontecem o tempo todo infelizmente. Todavia, você tem duas escolhas: ficar se lamentando ou seguir em frente. Normalmente, as pessoas que optam pelo segundo costumam ter resultados melhores. Isso não significa que você deve ignorar acontecimentos negativos, mas é necessário extrair o aprendizado da situação e avançar.

Se tiver dificuldade para fazer isso, você pode se fazer algumas perguntas: isso vai fazer diferença daqui a 10 minutos? E daqui a 10 anos? A partir das respostas, você poderá enxergar a relevância e o impacto daqueles fatos com mais facilidade.

4. Respirar fundo e contar até 10

Para conseguir aplicar as dicas que vimos até aqui, algumas vezes será preciso fazer um esforço para não perder a paciência. Nesses momentos, respirar fundo e contar até 10 pode fazer toda a diferença.

Há quem pense que isso é bobagem, mas a respiração pode ajudar a controlar a ansiedade por dois motivos principais:

  • O fisiológico, uma vez que emoções negativas podem alterar o ritmo de nossa respiração e, prestar atenção a ela, faz o equilíbrio voltar ao corpo;
  • E o psicológico, já que se concentrar na forma como se está respirando traz o foco para o momento presente, deixando um pouco os problemas de lado.

Portanto, respire!

5. Não tomar decisões precipitadas, baseadas na emoção

Como sabemos, as emoções — especialmente as negativas — podem alterar nossa percepção da realidade. Nesse contexto, tomar decisões baseadas apenas nelas pode não ser a melhor ideia.

É claro que os sentimentos não devem ser deixados de lado, mas a parte racional deve ter participação nesses momentos. Isso vale para todas as esferas de nossas vidas, mas, no ambiente de trabalho, a razão é muito valorizada.

6. Pensar na sua qualidade de vida

Por fim, para que você consiga controlar melhor suas emoções no ambiente de trabalho, tente pensar em como a situação que você está vivendo poderia afetar sua vida pessoal. Vale mesmo a pena perder seu sono por esse motivo?

É claro que esse exercício de reflexão não vai fazer você se desapegar de tudo logo na primeira vez. Mas tomar conhecimento de como cada situação te atinge emocionalmente vai ajudar a desenvolver a habilidade de ser pessoalmente menos afetado a cada vez.

Extra: vídeo sobre inteligência emocional

Conceitos são bons, mas às vezes os exemplos nos ajudam a entender melhor as ideias. Por isso, abaixo, você confere um vídeo sobre inteligência emocional, com dicas e situações comuns no ambiente de trabalho, especialmente de empreendedores:

Entendido?

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudado a entender melhor sobre a inteligência emocional no trabalho. Como vimos, as dicas para que você melhore suas relações no ambiente profissional exigem tempo para que você possa desenvolvê-las. Porém, o primeiro passo é reconhecer o que é necessário melhorar. 😌

Se você quer vender pela internet e ainda não tem uma loja virtual, aproveite e crie a sua hoje mesmo na Nuvemshop. São 30 dias grátis para provar sem compromisso nossa plataforma de e-commerce. Tenho certeza que você vai gostar!

Faça como +50mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Sabemos que migrar sua loja não é uma decisão simples.

Descubra os benefícios e facilidades que a Nuvemshop oferece exclusivamente para migrações.

Saiba mais sobre a migração