Como funciona o Pix para pessoa jurídica (empresas)?

Por: Nuvemshop

Imagem mostra a transação de um Pix de pessoa jurídica

Pix é um meio de pagamento instantâneo e funciona todos os dias da semana, em qualquer horário. O Banco Central do Brasil garante a gratuidade do serviço para pessoas físicas, mas o Pix de pessoa jurídica pode ser tarifado.


O Pix trata-se de um sistema de pagamento instantâneo que permite o envio e recebimento de transferências 24 horas por dia. Contudo, existem algumas diferenciações importantes entre o Pix de pessoa jurídica, ou seja, para empresas, e de pessoas físicas, os cidadãos comuns.

Em primeiro lugar, vale ressaltar que qualquer pessoa física ou jurídica pode usar o Pix, desde que sejam proprietárias de uma conta transacional, isto é, uma conta corrente ou conta de pagamento que permita fazer e receber transferências.

Para pessoas físicas é assegurado pelo Banco Central do Brasil um serviço completamente gratuito, contudo, para as pessoas jurídicas, há a possibilidade de que sejam cobradas taxas, definidas pelas instituições financeiras.

Está com dúvidas sobre o assunto? Neste artigo, vamos te explicar como funciona o Pix de pessoa jurídica, quais bancos e instituições financeiras não cobram taxas do usuário PJ, o limite das transações e as vantagens dessa modalidade para as empresas. Não perca!

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

Como funciona o Pix para pessoa jurídica?

É uma definição do Banco Central do Brasil (BC), responsável por desenvolver a solução de pagamento instantâneo, que seja cobrada uma taxa de transação das pessoas jurídicas para o uso do Pix. Neste sentido, as instituições financeiras ficam responsáveis por este valor.

No caso de MEIs, isto é, microempreendedores individuais, o BC estipula o não cobramento de taxas. Contudo, tanto o MEI quanto as pessoas físicas podem ser cobradas em casos de pagamento de um produto ou serviço, uma vez que configuram atividade comercial.

Quais bancos e fintechs não cobram o Pix PJ?

Quando o Pix foi lançado, a maioria das instituições não cobrava taxas para pessoas físicas e nem jurídicas. No entanto, algum tempo depois, com a grande adesão da população a esse meio de pagamento, as cobranças começaram a aparecer.

Os bancos e fintechs que não cobram taxas para o uso do Pix PJ são:

No Mercado Pago e PagSeguro há a cobrança de tarifas para o recebimento via Pix. O Mercado Pago tem a tarifa de 0,99% em pagamentos online, e a venda por QR Code também é gratuita. Já o PagSeguro, há a cobrança de até 1,89% do valor das transações em vendas online ou via QR Code.

💡 Saiba mais: Meios de pagamento para e-commerce: saiba como escolher

Qual o valor da taxa cobrada pelos outros bancos para uso do PIX PJ?

Veja quais são os bancos e fintechs que cobram taxas para o uso do pix PJ e o valor praticado por eles:

1. Banco do Brasil

Para a tarifa de transferência ou pagamento com Pix, o Banco do Brasil cobra até 0,99% do valor pago. A tarifa mínima é R$1 e a máxima é R$10. Agora, para recebimento de transações por Pix, também é até 0,99% do valor pago, mas com valor máximo de R$140.

Para o pagamento de pix com QR Code, é cobrada uma taxa de R$3. Contudo, há isenção da tarifa se o Pix for realizado entre contas do Banco do Brasil.

2. Santander

O Santander cobra 1% do valor da transação para pagamento ou transferência realizada por pessoa jurídica utilizando o Pix. Há o valor mínimo de R$0,50 e máximo de R$10.

Para o recebimento de valores por meio do Pix, é cobrada a taxa fixa de R$6,54 para QR Code simples.

3. Itaú

O Banco Itaú cobra dos usuários o pagamento de uma tarifa de até 1,45% do valor pago, sendo o mínimo R$1,75 e o máximo R$9,60. Para o recebimento via Pix, o valor cobrado é de até 1,45% do valor pago, sendo o mínimo R$1 e o máximo R$150.

💡 Veja ainda: O que são meios de pagamentos e quais os principais?

Qual o limite do Pix pessoa jurídica?

Não há limite para pagamentos ou transferências via Pix para pessoa jurídica. No entanto, é prerrogativa das instituições financeiras ou de pagamento instituir um limite como medida de segurança para casos de fraude, por exemplo.

Para defini-los, há uma regulamentação a Instrução Normativa BCB. Ela determina que os limites devem ser compatíveis com o mesmo valor estabelecido para transferências via TED ou cartão de débito.

Vantagens do Pix para empresas (PJ)

O Pix é um meio de pagamento instantâneo, com uma série de facilidades que não são encontradas nas outras modalidades. Confira as principais vantagens para utilizar o Pix como pessoa jurídica:

💡 Saiba mais: Como funciona o Pix no verejo?

1. Recebimento instantâneo

Em pagamentos com Pix, o dinheiro cai na hora na conta do recebedor. Não é necessário aguardar a liberação do pagamento e a conferência pode ser feita na hora.

Essa é uma função excelente para quem sempre precisa de dinheiro rápido em caixa para garantir o pagamento de fornecedores, contas ou impostos do negócio.

Se você vende pela NuvemShop, é possível ativar e configurar o Pix em sua loja virtual. Confira dois tutoriais para isso:

👉 Saiba mais:

Crie sua loja virtual
Testar 30 dias grátis

2. Menos custos se comparado a outras modalidades

Primeiro, há a possibilidade de utilizar os serviços financeiros que não cobram pelo uso do Pix de pessoa jurídica. Nesse caso, a cobrança seria zerada. Além disso, mesmo usando serviços que cobram tarifas ainda vale a pena!

Isso porque em qualquer instituição ele ainda é uma alternativa bem mais em conta que outras, como o TED ou o DOC.

💡 Saiba mais: Como receber pelo Pix?

3. Segurança

O Pix, desde a sua criação, prioriza a segurança nas transações e disponibilização de informações pessoais. Segundo o Banco Central, a sua arquitetura está pautada em quatro dimensões principais:

  • Autenticação do usuário;
  • Rastreabilidade das transações;
  • Tráfego seguro de informações;
  • Regras de funcionamento e regulamentação.

Elas ajudam a garantir o alto nível de segurança deste meio de pagamento.

💡 Saiba mais: Como receber pagamentos online?

4. Transações a qualquer momento

Quem utiliza o Pix pode fazer transferências em qualquer hora do dia ou da noite, em qualquer dia da semana. O pagamento cai na hora na conta do recebedor em qualquer situação.

Resumo sobre Pix de pessoa jurídica

O Pix foi implementado em novembro de 2020 e proporciona diversas vantagens para os brasileiros. Como pessoa física, é garantido o uso gratuito dessa funcionalidade, contudo, para as pessoas jurídicas, como mencionamos, há a possibilidade de serem implementadas tarifas de uso.

Antes de ir embora, vamos recapitular o que explicamos aqui?

Como funciona o pix para pessoas jurídicas (empresas)?

O Pix para empresas funciona da mesma forma que o Pix para pessoas físicas, contudo, há a possibilidade de que sejam instituídas cobranças para o uso desse mecanismo.

Quais bancos não cobram o Pix?

  • C6 Bank
  • Caixa
  • Banco Inter
  • Nubank
  • MercadoPago
  • Pag Seguro

Qual o limite do Pix para pessoa jurídica?

Por definição, não há limite para o valor enviado via Pix, seja por pessoa física ou jurídica. Contudo, as instituições podem definir limites como medida de segurança.

Vantagens do Pix para empresas

  1. Recebimento instantâneo
  2. Menos custos se comparado a outras modalidades
  3. Segurança
  4. Transações a qualquer momento

Aproveite esse momento para testar a Nuvemshop por 30 dias! É grátis e você vai descobrir como a nossa plataforma ajuda o seu negócio a decolar! 💙

Aqui você encontra:

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Quer mudar de vida vendendo pela internet?

Crie agora sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional.

Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies