O que é storytelling e qual sua importância para as empresas?

Por: Victoria Salemi

Duas mulheres, uma jovem e uma idosa, leem o mesmo livro interessadas, apreciando o storytelling

Storytelling nada mais é do que contar histórias. Mas você já parou para pensar na diferença que transmitir as mensagens nesse formato pode fazer para uma empresa? E, indo mais além, como é que você pode fazer isso em seu negócio?

Se esse é o seu caso, você está no conteúdo certo. Ao longo deste texto, vamos entender o que é storytelling, qual sua importância e como aplicar esse conceito ao marketing. Além disso, você confere bons exemplos de storytelling e cursos gratuitos para se aprofundar no assunto. Então, vamos começar?

O que é storytelling?

Storytelling é a capacidade de contar histórias a partir de narrativas envolventes. O significado do termo tem origem na junção das palavras “story” (“história” em inglês) e “telling” (forma nominal do verbo “tell”, que significa “contar”).

No contexto dos negócios, essa é uma técnica focada no engajamento do público, que tende a se envolver mais com conteúdos que o cative. Desse modo, a ideia é buscar enredos e formatos narrativos capazes de prender a atenção das pessoas.

Você já se deparou com um anúncio no YouTube que te fez querer continuar assistindo até o final? Pois bem, muito provavelmente ele contava uma história que despertou sua curiosidade.

Isso acontece porque, desde os primórdios, o ser humano se comunica por meio de histórias. Fossem elas sobre a caça na Idade da Pedra ou sejam a respeito da viagem que algum amigo fez nas últimas férias, uma narrativa é capaz de nos envolver muito mais do que um relato distante e sem curva dramática — aquele “o que será que aconteceu?” que nos faz querer descobrir o fim de uma história.

Crie sua loja virtual e venda pela internet
Crie sua loja virtual e venda pela internet pelo seu computador

Qual a importância do storytelling no marketing?

O storytelling é um grande aliado no marketing quando se trata de conquistar a atenção das pessoas e fazer com que elas se lembrem da sua marca. Afinal, em um mundo com tantos estímulos, é preciso se destacar para ficar na memória do público.

Nesse sentido, as narrativas são poderosas aliadas. Conforme um estudo do psicólogo Jerome Bruner, líder da chamada Revolução Cognitiva, as pessoas têm 20 vezes mais chances de se lembrarem de algo que tenham ouvido em uma narrativa organizada.

Isso ocorre porque, ao apreender um conteúdo no formato de história, essa sequência de eventos passa a ter um significado. Assim, quando você apresenta uma narrativa envolvendo as soluções que sua empresa oferece, cria mais oportunidades para que o público se recorde delas.

Quer saber como criar histórias envolventes? Então conheça mais sobre essa dica e outras no vídeo abaixo sobre cinco passos do marketing digital para iniciantes:

O que é a jornada do herói e o que ela tem a ver com o storytelling?

A jornada do herói (ou monomito) é um conceito criado pelo americano Joseph Campbell para definir a estrutura típica de histórias e mitos que vêm sendo contados desde que o ser humano transmite seus conhecimentos por meio de narrativas.

Nesse modelo teórico, Campbell define 12 passos que o protagonista da história percorre em sua saga. São eles:

  1. O mundo comum: o protagonista vive sua vida normal;
  2. A chamada para a aventura: um desafio ou aventura se apresenta a ele;
  3. A recusa ao chamado: o personagem principal não quer ou demora para aceitar o desafio;
  4. O encontro com o mentor: o protagonista encontra um mentor que vai ajudá-lo a superar o desafio;
  5. A travessia do primeiro portal: neste ponto, o herói abandona o mundo comum para adentrar o mundo mágico de sua aventura;
  6. Provas, aliados e inimigos: o protagonista vai aprendendo as regras do mundo mágico à medida que passa por provas, descobre aliados e inimigos;
  7. A aproximação da caverna secreta: ao se aproximar do grande desafio, o herói se recolhe e volta a alguns dos seus questionamentos iniciais;
  8. A provação: um grande desafio para o protagonista na história, que, para ser superado, exigirá uma transformação;
  9. A recompensa: depois de superado o desafio, o herói conquista uma recompensa, que vai representar sua transformação;
  10. O caminho de volta: o herói volta para o mundo normal, mas se questiona se deve enfrentar o maior teste de todos antes disso;
  11. A ressurreição do herói: ponto alto da história, o desafio máximo do protagonista, que vai exigir toda a transformação por qual ele passou ao longo da jornada;
  12. O retorno com o elixir: a volta para o mundo normal com a solução que o herói buscava e a aclamação de todos.

Na imagem abaixo, você pode observar graficamente essa jorada:

Ilustrações mostram, em sequência, cada passo da jornada do herói

Exemplo moderno da jornada do herói

Não apenas mitos e histórias antigas seguem esse formato. Narrativas modernas continuam obedecendo essa ordem — e fazendo enorme sucesso. Quer um exemplo? A trilogia original da saga Star Wars, em que nosso herói é Luke Skywalker. Observe:

  1. O mundo comum: Luke Skywalker vive uma vida comum desmontando robôs;
  2. A chamada para a aventura: a princesa Leia Organa chama Obi Wan Kenobi para a rebelião e Luke vai com ele;
  3. A recusa ao chamado: os tios de Luke, com quem ele mora, não querem que ele vá;
  4. O encontro com o mentor: Obi Wan treina Luke para ser Jedi;
  5. A travessia do primeiro portal: Luke chama Han Solo e o simpático Chewbacca para levá-lo até a princesa Leia;
  6. Provas, aliados e inimigos: Luke descobre que Darth Vader é um inimigo muito poderoso;
  7. A aproximação da caverna secreta: o mestre Yoda treina Luke e ele descobre seus poderes Jedi;
  8. A provação: Luke enfrenta Darth Vader;
  9. A recompensa: Luke descobre todo seu poder como Jedi;
  10. O caminho de volta: Luke e Leia descobrem que — sabemos que o filme já foi lançado há décadas, mas, caso não queira spoilers, não termine esta parte do texto — são irmãos;
  11. A ressurreição do herói: Luke se reencontra com o poderoso Darth Vader e descobre que ele é seu pai;
  12. O retorno com o elixir: Luke Skywalker, a princesa Leia Organa, Han Solo e Chewbacca obtêm êxito com sua rebelião e derrotam o Império Galáctico.

Como usar a jornada do herói no marketing?

Quando falamos sobre o uso da jornada do herói no marketing, é comum, em um primeiro momento, pensar em colocar a empresa no papel de protagonista. Porém, será que o público se identificaria com esse tipo de história?

O segredo para que esse tipo de formato dê certo em seus conteúdos é centrar o papel do herói no cliente e posicionar sua empresa como o mentor, aquele que vai ajudar o protagonista a vencer um desafio. Desse modo, o público enxergará sua marca como uma aliada na hora de resolver os problemas.

Vale ressaltar que o formato da jornada do herói não é o único possível na hora de criar as narrativas da sua empresa. No entanto, esse é um modelo que, comprovadamente, costuma cativar o público, visto o grande número de histórias de sucesso que o utilizam.

Antes de conhecermos o passo a passo para aplicar o storytelling, caso queira ouvir um papo muito bacana, confira o NuvemCast #9 sobre storytelling. Nele, Luna Pontes, Luane Silvestre e os convidados Joni Galvão e Murillo Leal conversam a respeito do que faz uma boa história:

Você também pode nos escutar no Spotify, YouTube ou direto no SoundCloud.

Como fazer storytelling?

Existem muitas formas de fazer storytelling — ou de contar histórias. Por esse motivo, a seguir, você confere um passo a passo para guiar sua estratégia, mas não uma fórmula pronta, pois ela não existe.

Tenha em mente que contar histórias não é um dom. Essa é uma habilidade que pode ser desenvolvida com estudo, treino e dedicação. Então, não desanime se o início parecer difícil: saiba que é perfeitamente possível se tornar bom em storytelling.

1. Conheça seu público

O primeiro ponto para criar suas campanhas fazendo uso do storytelling é conhecer muito bem o seu público. Assim como em muitas estratégias do marketing digital, esse é o ponto de partida porque, a depender de quem é a sua persona, seu cliente ideal, um tipo diferente de história vai ter apelo junto àquelas pessoas.


Saiba mais...

2. Estabeleça seus objetivos e formatos

Antes de sair criando histórias mirabolantes, entenda qual é o seu objetivo com determinada campanha e quais serão os formatos utilizados para atingi-los. Você vai criar um conteúdo em seu blog? Um vídeo para um anúncio no Instagram? É claro que você pode mudar o formato se perceber que outra coisa pode funcionar melhor, mas você precisa partir de algum ponto.

Na hora desse tipo de organização, um plano de marketing é uma ferramenta poderosa. Por meio desse documento, você registrará todas as informações sobre a campanha que está criando e poderá garantir a assertividade do seu trabalho.

3. Defina a história e a forma como será contada

Finalmente, é chegada a hora de definir a história que você vai contar. Alguns exemplos do que as empresas podem contar são:

  • Cases de clientes: histórias de pessoas reais que usaram o produto e obtiveram um resultado positivo;
  • Dicas aplicadas ao contexto do público: uma marca que, por exemplo, não vende diretamente suas roupas, mas ensina às pessoas como atingir determinado estilo ao se vestir — que inclui suas mercadorias;
  • A história da marca: ao invés de um texto padrão na página sobre a empresa, um relato do que motivou à criação daquele negócio e como ele surgiu;
  • Histórias em pílulas de entretenimento: conteúdos divertidos, mas que estejam ligados ao nicho do negócio.

Tão importante quanto o conteúdo em si é a forma como ele vai ser narrado de modo a prender a atenção do público. Para que sua história gere engajamento, confira algumas dicas:

Atice a curiosidade

Deixar as pessoas curiosas é uma ótima forma de fazer com que prestem atenção a uma história. Então, faça uso dessa característica na hora do storytelling.

Crie identificação

Quando as pessoas se identificam com o personagem e com os acontecimentos, as chances de que absorvam o conteúdo é muito maior. Daí a importância de saber exatamente com quem sua marca está querendo conversar por meio daquela história.

Seja autêntico

Fazer o que todo mundo está fazendo pode parecer legal, mas como é possível se destacar no meio de tanta informação disponível? Uma das possíveis respostas é: por meio da autenticidade. Conte histórias originais para as pessoas!

Não se esqueça do seu propósito

Mesmo na hora de contar histórias que não apresentem diretamente seu produto — você conhecerá alguns exemplos desse tipo ainda neste conteúdo —, nunca se esqueça de incluir a essência da sua empresa. Que problemas ela procura solucionar? Qual seu propósito? Garanta que essa mensagem faça parte da sua história.

Atenha-se à realidade

Por mais que às vezes a realidade pareça sem graça, é importante ser fiel à ela. É claro que você pode contar uma história de modo a torná-la interessante, mas nunca invente coisas. Esse tipo de atitude pode render até mesmo investigações do Conar (Conselho de Autorregulamentação Publicitária) — como já aconteceu com empresas como Diletto e Do Bem.

Exemplos de storytelling de empresas

Agora que já conhecemos o passo a passo para usar o storytelling em sua empresa, nada melhor do que observar alguns exemplos de sucesso desse tipo de técnica.

Heineken e o clichê

Apesar de não trazer a clara mensagem de “beba nossa cerveja” em sua campanha, a Heineken criou uma história curta capaz de transmitir os valores da marca.

No vídeo, a cervejaria faz um experimento com três casais, permitindo que os homens fiquem sem suas mulheres no fim de semana da final da Liga dos Campeões. Eles pensam que elas vão para um spa, quando, na verdade, elas foram a Milão, para assistir à partida decisiva no estádio. Ao final, a mensagem de que mulheres também podem gostar de futebol é exibida, contrariando o senso comum (ou o clichê).

Mesmo que não ofereça diretamente seu produto, a Heineken reforça uma posição.

Caso queira assistir à campanha, dê o play:

Airbnb e as experiências culinárias

Como campanha do seu serviço de experiências culinárias, o Airbnb optou por contar as histórias de alguns dos anfitriões que oferecem essas refeições.

Em uma série de vídeos, conhecemos os perfis de pessoas de diferentes lugares do mundo e observamos como são essas experiências culinárias.

No vídeo abaixo, em inglês, conhecemos a história do português Pedro, que organiza seus jantares montado como drag queen:

Huggies e o milagre dos abraços

Em uma campanha no Canadá, a marca de fraldas Huggies mostrou uma iniciativa que realizou em hospitais com bebês prematuros. Nos vídeos, o poder dos abraços (“hugs”, em inglês, um termo ao qual o nome da marca remete) sobre o desenvolvimento desses recém-nascidos é mostrado.

Novamente, não vemos uma marca oferecendo diretamente seus produtos, mas posicionando-se junto ao público-alvo. Afinal, que mãe não se emocionaria ao ver a recuperação de bebês tão pequenos por meio de abraços?

Caso queira conhecer a iniciativa, assista ao vídeo abaixo:

Cursos de storytelling gratuitos

Até aqui, conhecemos o essencial do storytelling. Todavia, você já percebeu como esse assunto é vasto e exige estudo. Tendo isso em mente, abaixo apresentamos algumas opções gratuitas de cursos de storytelling:

Pixar in a Box (em inglês)

Apesar de este não ser um curso voltado especificamente para o marketing, o Pixar in a Box é oferecido pela própria empresa de animações. Nele, são apresentados os princípios usados pelo estúdio na hora de criar seus filmes — que conquistam corações há anos.

iEstudar

Focado no storytelling para empresas, o curso do iEstudar é oferecido à distância, por meio de apostilas. A carga horária é de 165 horas e, caso o aluno deseje obter o certificado de conclusão, precisará pagar R$ 69,90. Porém o acesso a todo o material didático é gratuito.

Rock Content

Por fim, para aqueles que desejam um material mais curto, o mini-curso de storytelling da Rock Content conta com quatro horas de videoaulas que se propõem a ensinar a aplicação da contação de histórias e da jornada do herói em conteúdos de negócios.

Resumo

Esperamos que agora você tenha entendido o que é o storytelling e qual a importância de aplicar essa técnica em seu negócio. Como vimos, contar boas histórias vai permitir que o público tenha uma identificação e, portanto, muito mais engajamento com seus conteúdos.

Ainda não vende pela internet? Experimente a Nuvemshop! Crie sua loja virtual hoje mesmo e ganhe 30 dias grátis para testar a plataforma. É fácil, rápido e sem a necessidade de conhecimentos técnicos.

Aqui você encontra:

Faça como +90 mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Pesquisando sobre storytelling para vender pela internet?

Crie agora sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional.

Criar minha loja

Nosso site utiliza cookies para te proporcionar uma melhor experiência. Ao acessar o site da Nuvemshop, você concorda com a nossa Política de Privacidade e Cookies