Descubra como conseguir investidores para o seu negócio

Por: Victoria Salemi
Descubra como conseguir investidores para o seu negócio

Aqui você encontra:

Se você já chegou em um ponto da sua empresa em que é preciso dar um passo mais largo para crescer, talvez um aporte financeiro seja o empurrãozinho que você necessita. Mas como conseguir investidores?

Existem diversas maneiras de se conseguir isso e diferentes tipos de investimentos. Tudo vai depender da fase do seu negócio, do tipo de produto e do quanto você necessita. Por isso, ao longo deste artigo, vamos entender os diferentes tipos de investidores existentes e do que você precisa para apresentar sua empresa a essas pessoas.

Ao procurar investidores, ao invés de empréstimos, para seu empreendimento, você estará em busca de alguém que vai apostar na sua ideia. Por isso, essa pessoa ou empresa estará disposta a correr os riscos desse novo negócio com você.

Antes de irmos ao ponto, é importante pontuar que um primeiro passo, antes de ir atrás de investidores, é ter clareza do que você quer como empreendedor. Quais seus planos? Que valor você precisa captar para colocá-los em prática? Tendo tudo isso considerado, estamos prontos para começar. 💰

Quais os tipos de investimentos para empresas?

Quando falamos sobre atrair investimentos para um novo negócio, existem alguns modelos diferentes. Então, vamos conhecê-los a seguir para que você consiga avaliar qual é a melhor opção para sua empresa.

1.  Sociedade

Por meio de uma sociedade, você pode encontrar um parceiro para seu negócio. Essa pessoa pode ser um amigo, familiar, colega de faculdade etc. A ideia é encontrar alguém que tenha o capital de que sua empresa precisa para crescer e que acredite no seu projeto para participar dele com você. Esse modelo de sociedade é conhecido como FFF (Family, Friends & Fools, em inglês, ou família, amigos e tolos — por se tratar de um estágio inicial de investimento).

A diferença entre um sócio e um credor — ou seja, alguém que te empresa dinheiro — é que o primeiro terá uma participação nos lucros do negócio e, possivelmente, será presença constante no dia a dia da empresa. Inclusive, lembre-se de colocar em contrato quanto que fica para cada, assim como as responsabilidades de cada um.

Já o credor apenas vai emprestar o dinheiro e cobrá-lo após o período acordado entre vocês, na grande maioria das vezes com juros.

2. Investidores anjo

Essas pessoas são pequenos investidores, normalmente pessoas físicas, que resolvem apostar em um negócio, colocando um pouco de dinheiro para que a empresa possa crescer. Os valores, nesse caso, podem ir de alguns milhares até R$ 500 mil. Em troca, no futuro, essa pessoa terá uma participação nos seus lucros.

Em geral, os investidores anjo já atuaram no mundo corporativo e têm uma vivência nesse ambiente — que podem compartilhar com o empreendedor. A ideia aqui é encontrar alguém que acredite no potencial do seu negócio e que tenha certa experiência no ramo. O termo “anjo” é empregado nesse caso porque não se trata apenas de alguém que vai investir na nova empresa, mas também será uma espécie de mentor.

3. Venture Capital (ou fundos de investimento)

Os fundos de venture capital são fundos de investimento que buscam contribuir com o crescimento de novas empresas. Normalmente, os valores investidos por esse tipo de empresa começam a partir dos R$ 500 mil.

Assim como nos casos anteriores, os investidores nesse tipo de modelo terão uma participação nos lucros que aquele negócio pode vir a ter.

4. Crowdfunding

O crowdfunding nada mais é do que a famosa vaquinha. Isso significa que, por meio desse tipo de investimento, várias pessoas contribuem com pequenas cotas para que você possa desenvolver seu projeto.

Em geral, o crowdfunding costuma funcionar melhor para empresas com ideias de produtos inovadores. Desse modo, os próprios clientes, interessados em ver aquele novo artigo ou serviço no mercado, investem na ideia.

Algumas das plataformas mais famosas para recolher essas cotas são:

5. Incubadoras

Uma outra forma de receber investimento é a de reduzir os custos da sua empresa e aplicar o dinheiro no crescimento do negócio. Nesse contexto, entram as incubadoras.

Nesse modelo de investimento, o empreendedor tem acesso a um local de trabalho sem custos, a mentorias de negócios (também sem que seja cobrado por isso) e a mão de obra mais barata, em alguns casos.

Geralmente, as incubadoras estão vinculadas a instituições de ensino, a órgãos governamentais e até mesmo a outras empresas. Elas abrigam novos negócios por tempo limitado e têm como objetivo fomentar o empreendedorismo em áreas ligadas à tecnologia e à inovação.

Diferença entre incubadora e aceleradora

Tanto incubadoras, quanto aceleradoras têm o mesmo princípio de oferecer suporte às empresas reduzindo seus custos de operação. Todavia, o termo “incubadora” refere-se aos empreendimentos em fase inicial, até mesmo antes de serem lançados. Já as aceleradoras têm foco em empresas que já estão no mercado há mais tempo.

Extra: evite bancos

Muitas pessoas, quando pensam em conseguir dinheiro, consideram pedir empréstimos em bancos. Na grande maioria dos casos, essa não é uma boa opção. Em geral, os juros para crédito em bancos costumam ser altos.

Além disso, quando você busca um investidor de algum dos tipos que citamos anteriormente, essas pessoas ou empresas sabem que há um risco envolvido no desenvolvimento do seu negócio. Mas, para o banco, não há esse contexto. Quando o prazo chegar, você precisará devolver o valor com juros, não interessa o que tenha acontecido.

Se acreditar que, nesse momento, essa é a melhor opção para seu negócio, avalie a possibilidade dos microcréditos. Essa é uma modalidade de empréstimo de bancos para micro e pequenos empreendedores, com taxas menores, mas também valores menores, de até cerca de R$ 20 mil.

No vídeo a seguir, o investidor Danilo Amaral faz um panorama geral do ambiente de investimentos para startups no Brasil. Confira:

Como conseguir investidores para o seu negócio: dicas práticas

Quando você começa a pensar em como conseguir investimento para abrir uma empresa, precisa estar ciente de que, para que alguém decida colocar dinheiro em seu negócio, precisa estar totalmente convencido daquilo.

Por isso, você deve vender um sonho grande, convencer os potenciais investidores de que você vai conquistar um mercado considerável e de que é capaz de resolver um problema de um nicho por meio do seu produto ou serviço.

Portanto, para que você consiga apresentar essas informações da melhor forma, confira as dicas a seguir:

1. Tenha um plano de negócios estruturado

O plano de negócios é um documento completo com todas as informações sobre o que você planeja para sua empresa. A ideia é direcionar seu empreendimento para um caminho de crescimento a partir de informações completas sobre o cenário em que você está inserido.

O plano de negócios costuma trazer as seguintes informações:

  • Sumário executivo: uma espécie de introdução, apresentando a empresa e falando sobre que assuntos o documento vai tratar;
  • Contexto externo: uma avaliação do mercado em que seu negócio estará inserido, ponderando as oportunidades e ameaças para sua empresa;
  • Descrição das suas principais atividades;
  • Plano financeiro: de onde virá o investimento para abrir sua empresa;
  • Plano de marketing: um detalhamento de todas as estratégias de divulgação da sua empresa;
  • Projeção financeira: como seu negócio obterá receita e quais as previsões desse cenário em contextos otimista, realista e pessimista, além de projeções para curto, médio e longo prazo.

Toda nova empresa precisa de um plano de negócios. Todavia, como você pode imaginar, esse documento costuma ser mais extenso, então não é o ideal para ser apresentado para investidores em um primeiro momento.

Por esse motivo, a sugestão é que, a partir do seu plano de negócios, você crie um Lean Canvas. Esse documento é uma espécie de tabela com as principais informações sobre sua startup organizadas em uma página. Para fazer o seu, confira o modelo a seguir:

Desse modo, você garante que sua empresa será apresentada de forma completa, porém concisa para que os potenciais investidores não precisem perder muito tempo avaliando páginas e páginas de informações. E, acredite, muitas pessoas não se dedicarão a ler conteúdos muito grandes.

2. Pratique seu pitch

Quando se trata de conseguir investimento para abrir um negócio, você precisa estar totalmente confiante na sua ideia e com seu discurso na ponta da língua. Por isso, seu pitch profissional precisa estar conciso, compreensível e convincente.

Pitch é um pequeno discurso sobre você e sua empresa. Então, para garantir que as palavras fluirão e você apresentará as informações de forma clara, não tenha vergonha de treinar. Faça-o para amigos e familiares até que ele saia naturalmente. Dessa forma, no dia que precisar falar para investidores, não haverá problema.

Um modelo bastante famoso é o elevator pitch. Esse é um discurso breve, que leva esse nome porque, com ele, você deveria convencer alguém sobre seu negócio no tempo de um deslocamento em elevador.

3. Atente-se às suas capacitações

Quando for apresentar sua ideia a potenciais investidores, lembre-se de que eles certamente perguntarão como você vai fazer para atingir os resultados que lhes apresentou. Então, é importante ressaltar suas capacitações. Aqui, vale falar sobre sua formação e outras experiências que tenha vivido e possam te auxiliar nesse caminho do empreendedorismo.

Ademais, não se esqueça de que você não precisa fazer tudo sozinho. Portanto, fale também sobre os profissionais que pretende contratar para colocar sua empresa em pé.

4. Frequente eventos do seu segmento

Tendo tudo estruturado — plano de negócios, discurso e confiança —, comece a frequentar locais onde você possa fazer network. Isso significa aqueles ambientes em que você possa conhecer e estar em contato com profissionais da sua área. Muitas vezes, pode haver pessoas interessadas em investir nesses locais.

Uma boa forma de começar são eventos relacionados ao segmento em que você pretende atuar. Pode ser uma palestra, um workshop ou uma feira. Frequente esses lugares e interaja com as outras pessoas.

Se você é tímido, não se preocupe. No começo vai ser difícil, mas existem algumas perguntas que podem te ajudar a começar conversas de forma mais natural:

  • “Qual seu maior desafio hoje?”;
  • “Por que você está participando deste workshop/desta palestra/desta feira?”.

Esses são exemplos para quebrar o gelo e começar a criar uma conexão. Mas tente fazê-lo de forma genuína. Ouça e contribua, pois fazer network não significa apenas pedir, mas também doar. Isso pode fazer alguém se lembrar de você no futuro.

5. Seja persistente

Por fim, mas não menos importante, está a importância de manter-se persistente. São pouquíssimos os casos dos empreendedores que conseguem investimento na primeira tentativa. Então, aproveite as ocasiões em que não conseguir como aprendizado.

Se sua ideia for recusada por um investidor, tente entender os motivos, refine sua ideia e seu discurso. Assim, você estará melhor preparado para uma próxima oportunidade, certo? 😉

Plataformas para conseguir investimento

No Brasil, existem algumas plataformas para que os empreendedores possam conseguir investimento para suas empresas. Confira algumas delas:

1. EqSeed

A EqSeed é uma empresa de investimentos em startups. A ideia é colocar pessoas com vontade de investir em contato com as empresas que precisam desse capital.

Para isso, o empreendedor preenche um cadastro e a equipe da EqSeed avalia se o negócio será aprovado ou não. Em caso positivo, a empresa cadastrada é apresentada a investidores como uma oportunidade.

2. StartMeUp

No site da StartMeUp, negócios que já passaram pelo processo do FFF e de investidores anjo podem se candidatar para captar investimentos. Assim como no caso anterior, a empresa será avaliada e, se aprovada, a StartMeUp fará a ponte com investidores.

3. Nexoos

A Nexoos é uma empresa que conecta pessoas físicas com vontade de investir em startups e empreendedores. Mediante um cadastro na plataforma, pequenas e médias empresas podem pedir empréstimos com taxas menores que as dos bancos, com valores a partir de R$ 15 mil. O capital sai dos investidores, que recebem esse valor após o prazo estabelecido ao início do processo.

Gostou?

Esperamos que esse conteúdo tenha esclarecido suas dúvidas principais sobre como conseguir investidores. Se tiver mais perguntas, deixe nos comentários!

E se você ainda não possui um e-commerce, que tal começar a vender pela internet? Faça um teste de 30 dias grátis na plataforma da Nuvemshop e veja como é simples ter sua própria loja virtual!

Faça como +60mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Sabemos que migrar sua loja não é uma decisão simples.

Descubra os benefícios e facilidades que a Nuvemshop oferece exclusivamente para migrações.

Saiba mais sobre a migração