Contabilidade gerencial: por que e como implementá-la na sua empresa

Por: Raquel Lisboa
Contabilidade gerencial: por que e como implementá-la na sua empresa

Aqui você encontra:

Você tem dificuldade em identificar os parâmetros contábeis da sua empresa e prever os próximos passos com base na evolução patrimonial? Se sim, este conteúdo completo sobre contabilidade gerencial será a solução para os seus problemas.

Nele, você aprenderá — de uma vez por todas! — o que é contabilidade gerencial e sua importância, quais são os principais relatórios utilizados por ela, o papel do contador nessa abordagem e como aplicá-la no seu negócio.

Você não vai perder, certo? 😉

O que é contabilidade gerencial?

Contabilidade gerencial é um conjunto de práticas contábeis que revela, a partir de relatórios sobre controle de custos e operações, a saúde financeira de um negócio. Em outras palavras, ela é uma fonte segura de informações que mostra ao administrador onde há desperdício de dinheiro e como ele pode ser melhor aplicado.

De modo geral, os dados evidenciados por tais informes são confidenciais e de uso interno. Além disso, mais do que apresentar o passado, a contabilidade gerencial evidencia quais serão os próximos passos da empresa.

Quais são os objetivos da contabilidade gerencial?

Dentre os muitos objetivos da contabilidade gerencial, destacam-se cinco:

  1. Expandir o conhecimento sobre o próprio negócio;
  2. Mensurar e examinar dados financeiros (como despesas e lucros, por exemplo);
  3. Facilitar as tomadas de decisão e, por consequência, aumentar a produtividade;
  4. Reduzir custos e riscos por meio das previsões apresentadas;
  5. Servir de apoio para o desenvolvimento do plano de marketing.

Agora tragamos isso para um exemplo prático: suponhamos que, há um ano, a empresa Z — do nicho de moda praia — se dedica à contabilidade gerencial. Em 2019, sua equipe notou que junho e julho (meses de temperaturas baixas) não geraram lucro conforme esperado.

Assim, o time de marketing da empresa Z, graças aos relatórios da contabilidade gerencial, puderam desenvolver, para este ano, um plano de ação mais eficaz para combater os impasses da sazonalidade e evitar prejuízos financeiros.

Quais são as diferenças entre contabilidade gerencial e financeira?

A contabilidade gerencial se diferencia da financeira em quatro principais preceitos: usuário da informação, periodicidade, obrigatoriedade e propósito. Confira os detalhes de cada uma delas a seguir:

Contabilidade gerencial

  1. Usuário da informação: quem faz uso da contabilidade gerencial são o administrador e os colaboradores da empresa. Logo, a prática é estritamente interna;
  2. Periodicidade: não há nenhum período pré-determinado para realizá-la. A regularidade deve ser estipulada de acordo com as necessidades de cada negócio;
  3. Obrigatoriedade: a contabilidade gerencial não é obrigatória por lei;
  4. Propósito: conforme vimos, ela é o pilar para o planejamento financeiro, administrativo e de marketing.

Contabilidade financeira

  1. Usuário da informação: quem faz uso da contabilidade financeira é o público externo, como fornecedores, investidores e o Governo Federal;
  2. Periodicidade: cumpre os prazos para pagamento de impostos estipulados pela Receita Federal;
  3. Obrigatoriedade: a contabilidade financeira é obrigatória por lei e deve respeitar normas e princípios de contabilidade;
  4. Propósito: serve para controle externo, pois mostra a órgãos fiscalizadores o que está acontecendo dentro da empresa.

A contabilidade gerencial e a financeira não são opostas, mas caminham juntas. Muitos dos relatórios desenvolvidos pela primeira servem como base para a segunda e vice-versa.

Quais são as ferramentas utilizadas pela contabilidade gerencial?

A contabilidade gerencial pode utilizar diversas ferramentas para apresentar os resultados de uma empresa, como relatórios de contas a pagar e a receber, de inadimplentes, de vendas, de clientes etc. Entretanto, três deles são essenciais:

  1. Balanço Patrimonial: mostra a evolução patrimonial da empresa — em outras palavras, se ela está em ascensão ou declínio. Tal informe é composto de passivos (deveres e dívidas a serem pagas) e ativos (direito e bens a serem recebidos);
  2. DRE (Demonstrativo de Resultados de Exercício): revela se em determinado período houve lucro ou prejuízo. Geralmente o DRE é elaborado anualmente e considera os impostos, as despesas variáveis e operacionais (como gastos com fornecedores, por exemplo);
  3. DFC (Demonstrativo de Fluxo de Caixa): apresenta a capacidade financeira da empresa para se manter estável. Esse relatório, por sua vez, identifica as entradas e saídas de dinheiro em contas bancárias e aplicações.

Qual é o papel do contador na contabilidade gerencial?

Na contabilidade gerencial, o contador tem uma função fundamental: é ele quem reúne os dados financeiros e contábeis, cria correlações e desenvolve os relatórios citados anteriormente.

A partir disso, ele repassa todos os informes ao administrador da empresa para que esse crie estratégias necessárias para otimizar o cenário e, até mesmo, elabore outros relatórios (geralmente mais simplificados) para compartilhar com a equipe.

Por exemplo: se o objetivo for cortar gastos supérfluos, o time financeiro da empresa pode rever, fundamentado nas ferramentas de DRE e DFC, onde há desperdício de dinheiro. Ou se a intenção for reverter clientes inadimplentes em pagantes, o time de vendas pode entender, respaldado nos ativos do Balanço Patrimonial, qual lucro é possível alcançar.

Como aplicar a contabilidade gerencial na sua empresa?

Agora que você já sabe o que é contabilidade gerencial e sua importância, bem como quais são suas ferramentas, chega o momento de entender como aplicá-la no seu negócio. Para tal, pondere três fundamentos:

  1. Separe finanças pessoais das profissionais: para melhor medir os resultados da sua empresa, é primordial ser rígido em relação a essa fragmentação. Assim, você não corre o risco de gastar o dinheiro da sua loja em questões privadas e vice-versa;
  2. Determine uma periodicidade: exceto para o DRE, que geralmente é anual, entenda qual é a melhor frequência para realizar o Balanço Patrimonial e o DFC junto do seu contador (mensal, bimestral ou semestral);
  3. Inclua a contabilidade gerencial à sua rotina: dedique um tempo específico da sua semana (ou até mesmo do seu dia) para analisar os relatórios e, principalmente, para considerar contas a pagar e a receber.

Com isso em mente, que tal revisar todo as noções de contabilidade gerencial e ainda receber dicas exclusivas sobre como implementá-la na sua empresa? Para isso, assista a este vídeo com a Thaisa Cardoso, responsável pelo financeiro da Nuvemshop:

Esperamos que, com este conteúdo, você tenha tirado suas principais dúvidas sobre contabilidade gerencial. Para mais artigos relacionados a finanças, acesse a categoria Financeiro no Blog da Nuvemshop.

E se você ainda não possui uma loja virtual, que tal começar a vender pela internet hoje mesmo? Teste 15 dias gratuitos na plataforma da Nuvemshop e tenha o seu próprio e-commerce!

Ganhe tempo e receba conteúdos da Nuvemshop no seu e-mail Ganhe tempo

Receba semanalmente uma curadoria dos melhores conteúdos sobre Marketing, Vendas, Gestão e E-commerce diretamente no seu e-mail.

Faça como +30mil lojas e
crie a sua Nuvemshop

Testar 30 dias grátis
Crie a sua loja na Nuvemshop

Nossa resposta ao Coronavírus

Conheça a iniciativa #TamoJunto. Todas as ações que estamos criando aqui na Nuvemshop para te ajudar neste momento.

Conhecer a #TamoJunto