O impacto da transformação digital nos e-commerces

mulher mexendo no notebook celular tablet transformacao digital e-commerce

Hoje em dia, um termo muito utilizado no ambiente corporativo é “transformação digital“.

Basicamente, ela consiste no processo dos avanços tecnológicos influenciando diretamente na maneira como os negócios são conduzidos.

E como não? As tecnologias que surgem a cada dia têm relação direta com os hábitos e costumes do consumidor. Então, não é exagero dizer que elas são o fio condutor dos processos de vendas.

Por exemplo, se no passado as pessoas enviavam cartas, hoje a comunicação direta está à distância de um clique. Isso, é claro, apresenta grandes e radicais mudanças.

Um novo gama de oportunidades se abre para empreendedores, que podem se adaptar às novas tendências de consumo e adquirir recursos valiosos para os negócios. Assim como riscos, que podem fazer a concorrência disparar na dianteira, se você não se dedicar.

No universo empresarial, são muitos os benefícios que a tecnologia proporciona. O modo como se administram companhias, gerenciam pessoas, atendem o consumidor e coletam informações modifica completamente todos os setores do mercado. E o comércio eletrônico é um deles.

Neste artigo, você saberá quais são os principais impactos da transformação digital no e-commerce. E aprenderá, de uma vez por todas, quais são as modificações do sistema nessa fase de transição.

Big Data

Se há uma grande vantagem a ser destacada nas lojas virtuais, em relação aos pontos de venda físicos, é a possibilidade de recolher e analisar dados relevantes.

Na internet, tudo é mensurável. É possível saber quantos usuários clicaram em um link, visualizaram uma página, o tempo de permanência naquela landing page e, claro, a quantidade de pessoas que efetivamente fecharam um negócio. A esse recolhimento de informações dá-se o nome de Big Data.

As próprias plataformas oferecem uma diversidade de métricas para os administradores. Sem dúvidas, trata-se de um elemento primordial para o e-commerce, já que permite estudar o comportamento do consumidor e exercer modificações na estratégia.

Dessa maneira, elementos como a customização e personalização, o Account-Based Marketing (Marketing baseado em contas) e o remarketing são direcionados para cada um dos potenciais compradores.

Automação

A automação visa otimizar os processos dentro de uma plataforma de comércio eletrônico. Basicamente, elas funcionam em qualquer setor, desde o envio de e-mails e notificações, pagamento, logística e criação de relatórios específicos.

A utilização de softwares é muito importante, pois representa um ganho de recursos – por exemplo, o tempo, muito valorizado pelas organizações e, claro, pelo consumidor moderno. Além disso, gera economia quando utilizada da maneira correta, potencializando a performance da loja.

Com a automação, ganha-se em segurança, eficiência e agilidade. Tanto empreendedores, quanto clientes agradecem.

Moeda eletrônica e meios de pagamento

Euros, reais, pesos e dólares. A tendência é que, cada vez mais, esses valores se tornem antiquados. O surgimento das soluções eletrônicas, como o bitcoin, terracoin, peercoin e feathercoin permite a criação de uma economia global no ambiente digital.

Também conhecida como dinheiro virtual, a moeda eletrônica facilita a conclusão de compras.

Além disso, a variedade de meios de pagamento, como o PayPal, o PagSeguro e as carteiras eletrônicas, cresce a cada dia.

Se antigamente os consumidores tinham poucas opções para realizar negócios, por meio de bancos ou dinheiro vivo, hoje os novos recursos abrem margem para os mais diversificados métodos de pagamento.

Adaptar-se a essa nova realidade significa estar um passo à frente na corrida mercadológica. A antecipação é o melhor meio para se diferenciar da concorrência.

Métodos de entrega

O serviço de delivery remoto parece um sonho distante. Teletransporte e materialização instantânea são tecnologias ainda inviáveis para a ciência atual. Porém, robótica, comando remoto em grandes distâncias e a utilização de serviços como facilitador de processos já existem e devem ser utilizados como aliados.

Em 2016, a Amazon fez a primeira entrega de produtos por meio de drones, o que mostra que a revolução no setor está mais próximo do que imaginamos.

Outra novidade é o Hyperloop, um sistema de transporte de cargas enviadas em cápsulas e em tubos mecânicos. Isso nos lembra dos filmes de ficção científica hollywoodianos, mas a verdade é que essa tecnologia está cada dia mais próxima da realidade.

E não precisamos pensar tão futuramente assim. Os métodos de entrega estão mudando. No Brasil, por exemplo, já está em atividade o serviço do UberEats, que utiliza a força de trabalho de seus motoqueiros e motoristas para entregas no setor alimentício.

Nos Estados Unidos, o UberRush tem exatamente a mesma função de tornar os processos de entrega mais eficientes por meio da terceirização de serviços. Tudo em prol da praticidade, facilidade na gestão de processos e, claro, redução de custos.

Apps

Uma das maiores transformações no mundo do e-commerce foi a criação de aplicações para dispositivos móveis. Ela revolucionou a forma como as pessoas realizam suas compras no ambiente digital, alterando seus hábitos e costumes.

Mas isso já não pode ser considerado mais uma tendência. É quase uma obrigação as lojas digitais possuírem seus próprios players de vendas.

Porém, esse é um mercado em constante evolução. Os aplicativos tendem a exercer novas funções e gerar ainda mais benefícios para os usuários.

Estabelecer relacionamentos, criar conteúdo relevante, interagir, inserir ferramentas inovadoras para atender às exigências do público: tudo isso pode representar novas oportunidades de negócios e criar uma experiência única para o consumidor.

Não há dúvidas de que os dispositivos móveis são o futuro do consumo. Alguns estudos estipulam que, ao final de 2018, um a cada quatro dólares gastos nos Estados Unidos será feito por meio de tablets e smartphones.

Além disso, serão dois bilhões de usuários a realizar algum tipo de transação por esses mecanismos. Números assustadores, não é mesmo?

Inteligência artificial

A criação de algoritmos, chatbots e outras tecnologias de inteligência artificial mostram que, para gerir determinados pontos de um negócio, não é necessário investir em receita humana.

Esse tipo de desenvolvimento diminui as chances de erros e reduz custos em grande escala, proporcionando aos e-commerces um novo vislumbre de experiência, atendimento e suporte ao consumidor.

Alguns elementos primordiais, como a precificação, gerenciamento de inventários, detecção de fraudes, SAC, ações de marketing digital e vendas, trazem uma nova realidade para administradores no setor.

Por isso, muitos cientistas consideram a inteligência artifical como um dos recursos mais impactantes no mercado nos próximos anos.

Cloud Computing

A computação em nuvem já é uma realidade para grande parte das lojas virtuais ao redor do mundo. Por meio dela, é possível exercer uma série de funcionalidades que otimizam a segurança e agilidade dos processos de uma empresa.

Geralmente, é utilizada como armazenamento e compartilhamento de informações, mas a cada dia são desenvolvidas outras funções para o cloud computing.

A possibilidade de realizar tarefas em tempo real, segurança de dados e transferência de arquivos em uma velocidade cada vez mais rápida com certeza traz benefícios incalculáveis para o setor.

Omnichannel

Foi-se o tempo em que as empresas possuíam apenas um canal de comunicação com o consumidor. Se antes o telefone era utilizado para entrar em contato com os clientes, o mundo digital alterou essa concepção.

O conceito de omnichannel consiste em oferecer uma boa experiência para o usuário em diferentes canais. Isso inclui site, ferramentas de chat, redes sociais, e-mail, aplicativos, pontos de venda direta, entre outros recursos.

E, é claro, eles devem dialogar entre si. Quer um exemplo? A retirada da mercadoria no estabelecimento físico é algo muito praticado por e-commerces hoje em dia, assim como a apresentação de cupons extraídos do ambiente online.

Experiência do consumidor

As experiências pelas quais um consumidor online passa é, provavelmente, um dos fatores mais importantes para o sucesso de um e-commerce.

Todas as etapas, desde a descoberta do produto, a visualização da página, passando pelas interações em aplicativos, pagamento e culminando no pós-venda, devem ser memoráveis.

Por isso, os investimentos em interface, arquitetura, usabilidade e navegabilidade devem ser realizados. E, para cada um desses elementos, há soluções tecnológicas em desenvolvimento.

Modelos de negócios

Novos formatos de negócio são criados a todo instante. O desenvolvimento de mecanismos, que facilitam todas as etapas do processo de vendas em uma loja virtual, permite a exploração de novos paradigmas de mercado.

São muitos os benefícios trazidos pela inovação. A Netflix, por exemplo, só conseguiu se reinventar com o surgimento de novas tecnologias. De um simples serviço de aluguel de DVDs, passou a ser uma plataforma de streaming com um modelo de assinatura.

Marketplaces, cursos online, infoprodutos, prestação de serviços digitais, crowdfunding, programas de afiliados, facilitadores, anúncios nativos… Todos esses modelos, em algum momento, foram (e certamente serão) influenciados pelas novidades tecnológicas.

A transformação digital impacta diretamente a sociedade e, como consequência, a maneira como são conduzidos os negócios. Saber como se adaptar a ela não é apenas um desejo, mas uma necessidade para qualquer corporação que deseja estar em sintonia com o público consumidor.

E você, já utiliza algum dos elementos da transformação digital nos processos do seu negócio? Acha que há alguma outra grande revolução que não foi citada neste artigo? Conte pra gente nos comentários.


O que você achou desse conteúdo?


Rock Content

A Rock Content é líder em Marketing de Conteúdo na América Latina. Empresa que ajuda outros negócios a aumentarem seu faturamento e a fazerem sucesso no ambiente digital.


    o-impacto-da-transformao-digital-nos-e-commerces