29/07/2014

8 dicas para landing pages em anúncios do Google Ads

Landing page anúncios Google Ads

Você pode ter a melhor campanha de links patrocinados do mundo, mas sem uma boa landing page (ou página de destino) as chances de vender caem consideravelmente. Imagine que você está fazendo uma busca por sapatos de couro e vê um anúncio interessante no Google. Ao clicar na publicidade, contudo, você é direcionado a uma página genérica, com tudo, menos sapatos de couro. Qual seria a atitude imediata de qualquer usuário neste caso? Sair do site, claro.

O intuito deste post é dar dicas para você conseguir melhorar o rendimento dos seus anúncios no Google e mostrar o que deve ser evitado quando o assunto é landing pages. Vamos lá?

1. Boas (ou más) landing pages influem no índice de qualidade

Já falamos aqui anteriormente sobre o índice de qualidade do Google Ads. Grosso modo, o índice de qualidade é uma estimativa de relevância e utilidade dos anúncios, palavras-chave, páginas de destino, ad extensions e formato da publicidade.

Por exemplo: se alguém está procurando pelos mesmos sapatos de couro, clica em determinado anúncio e o site direciona o usuário a uma compra, o Google irá considerar essa landing page como boa e, por consequência, elevará seu índice de qualidade. Por outro lado, se essa mesma pessoa entrou numa página e saiu rapidamente sem comprar, isso influirá negativamente no índice de qualidade.

A dica neste caso é manter as páginas de destino alinhadas com o conteúdo dos anúncios, pois desta forma você conseguirá ter um índice de qualidade melhor e pagar menos pelos cliques.

2. Jamais leve os usuários para a homepage

Quer uma landing page mais genérica do que a página principal de um site? Na homepage de uma loja online você encontrará diversos produtos, o que poderá confundir aquele usuário que está buscando sapatos de couro, por exemplo. Ao invés de direcionar esse potencial cliente à página principal, que tal enviá-lo à landing de sapatos do site? A chance de convertê-lo será infinitamente maior.

3. Observe as cores dos players de call-to-action

Uma call-to-action (CTA) direcionará o usuário a fazer algo dentro do site, seja efetuar uma compra, se cadastrar para receber novidades, etc. Tendo isso em vista, é fundamental que os players sejam efetivos. Fique atento às cores das CTA’s, pois por incrível que pareça elas querem dizer bastante coisa.

Cores interessantes para CTA’s: vermelho, verde, amarelo e laranja.

Leve em conta, todavia, que o público de cada site pode responder de forma diferente às cores, portanto, é leviano dizer que uma cor é melhor do que a outra. Se você tem uma loja virtual, faça testes com CTA’s de diversas cores e veja quais trazem os melhores resultados. Esse artigo (em inglês) traz alguns casos práticos bem interessantes comparando cores e CTA’s, vale a pena dar uma olhada!

Entre as lojas da Nuvem Shop, um dos players que mais me agrada é o do Clube dos Corujas, que opta pelo laranja. Veja só:

Landing page anúncios Google Ads

4. Informe o preço o quanto antes, de preferência no anúncio

Quem está buscando produtos na internet certamente também está atrás dos melhores preços. Por isso, é recomendado exibir o valor dos produtos o quanto antes (logo no anúncio, de preferência). Por que? Se o usuário que procura por sapatos de couro vê o preço já no anúncio, ele irá decidir de acordo com aquele valor se o site está dentro ou fora do investimento que ele pretende fazer. Se estiver fora, ele irá procurar outra loja e poupará um clique que seria infrutífero.

5. Descreva bem os produtos

Esse é outro tópico que sempre comentamos aqui no blog da Nuvem Shop. É essencial descrever bem os seus produtos e ser o mais específico possível quanto a eles. Quando falamos de uma loja online, temos que entender que o consumidor precisa de uma grande quantidade de dados sobre o item que está comprando para ter certeza de que aquele é o negócio certo a ser feito. Ou seja, se você caprichar na resenha do produto, certamente terá mais chances de converter esse visitante. O mesmo vale para as fotos, lembre-se!

6. Use texto em formato de… texto!

De vez em quando vemos por aí imagens recheadas de texto dentro de sites. Isso é ruim porque o Google lê textos ao invés de imagens, ou seja, tudo aquilo que estiver escrito dentro de um bloco de imagens será ignorado pelo buscador, o que prejudicará seu índice de qualidade, seu SEO, etc. Essa é uma péssima ideia, fuja dela!

7. Nunca use flash no seu site

Nunca use flash no seu site, nunca use flash no seu site, nunca, nunca MESMO, use flash no seu site! Antes de tudo, flash é uma tecnologia utilizada por programadores para construir o diálogo de uma página com o usuário. O problema é que essa tecnologia é ilegível para os buscadores como o Google. Se o seu site tiver sido construído em flash, como o Google irá saber se ele é relevante para determinada palavra-chave? Pense nisso!

Esse artigo explica bem por que utilizar flash pode ser uma ideia desastrosa.

8. Evite música e vídeos que tocam automaticamente

Pode até parecer uma boa ideia a princípio, mas procure evitar colocar música na sua loja online ou vídeos que tocam automaticamente ao abrir a página. Músicas e vídeos automáticos tornam um site mais pesado e, portanto, fazem com que ele demore mais para carregar e seja mal visto pelo Google, que “penaliza” páginas com alto tempo de carregamento.

Um estudo feito pelo blog KISSmetrics (em inglês) mostrou que sites com um tempo de carregamento baixo podem aumentar seu faturamento em até 60%. Incrível, né?

Resumo

No post de hoje vimos as melhores práticas para escolher páginas de destino para anúncios de links patrocinados. Tem alguma dúvida ou experiência que queira compartilhar conosco? Comente na caixinha abaixo!

Até a próxima!

Data da última atualização: 16/03/2018


O que você achou desse conteúdo?


Bruno Fernandes

Bruno é jornalista e responsável pela estratégia de conteúdo do blog e da Universidade do E-commerce da Nuvem Shop. É viciado em esportes, sobretudo basquete, e assiste 500 séries de TV ao mesmo tempo.


8-dicas-para-landing-pages-em-anncios-do-google-ads