09/10/2017

4 aprendizados do livro “O Poder do Hábito”, de Charles Duhigg

Aprendizados do livro O Poder do Hábito

Comecei a ler “O Poder do Hábito”, de Charles Duhigg, esperando um livro de autoajuda. Apesar do preconceito que este gênero literário sofre por grande parte dos brasileiros, pessoalmente considero-o extremamente útil para nos ajudar a identificar bons e maus comportamentos.

Porém, a leitura foi bem diferente do que eu esperava. Mais densa – desgastante, por que não – e educativa. Trata-se de uma obra baseada completamente em estudos científicos e histórias reais, com uma boa dose de porcentagens, nomes e teorias comprovadas.

O mais interessante é que o autor, além de ter se preocupado em referenciar cada informação mencionada ao longo das 408 páginas, refletiu sobre a construção dos hábitos contextualizando-os em diferentes áreas: vida pessoal, gestão de negócios, marketing e até política.

Fiz um resumo dos meus principais aprendizados e compartilho com você:

Existe um processo

Pense em um hábito que você possui. Já se perguntou como ele surgiu? E qual a sua motivação diária? O livro explica, através de diversos casos reais, que o hábito é na verdade um processo composto por três etapas: a deixa, a rotina e a recompensa.

A deixa é o gatilho físico ou psicológico que aciona uma ação. Por exemplo: passar em frente à padaria. É o impulso – muitas vezes inconsciente – que leva você a fazer algo.

A rotina é a ação em si, como comprar um doce. Algo que você faz tão repetidamente que, com o tempo, passa a acontecer no “piloto automático”. Sem exageros: ela é memorizada em um lugar diferente do seu cérebro, que gasta menos energia e não exige reflexão.

Por fim, a recompensa é a sensação positiva causada pela rotina. Em nosso hábito hipotético, seria, por exemplo, a alegria momentânea causada pela descarga de dopamina, consequência do consumo de açúcar.

…e você não precisa transformá-lo completamente

“Eis a regra: se você usa a mesma deixa, e fornece a mesma recompensa, pode trocar a rotina e alterar o hábito. Quase todo comportamento pode ser transformado se a deixa e a recompensa continuarem as mesmas.”

Imaginemos que você queira deixar de comer doce todos os dias porque precisa manter uma alimentação mais saudável. Como conter o impulso, se a padaria está no seu caminho para o trabalho e é impossível evitá-la?

Charles conta o segredo: basta manter a mesma deixa e a mesma recompensa, alterando apenas a rotina. Ou seja: continuar entrando na padaria e, em vez de comprar o doce, escolher algo que também forneça a dopamina – como uma fruta ou um suco.

Assim, você não se privará da boa sensação e a mudança será muito menos drástica. Embora sinta falta do doce nas primeiras semanas, seu cérebro continuará gerando a mesma alegria diária e você não precisará mudar sua rota ao escritório.

Autoconhecimento é a chave do sucesso

Para identificar cada parte do seu hábito e alterá-lo, contudo, é necessária reflexão. Por que você realmente precisa da descarga de dopamina? Será que está estressado ou simplesmente viciou-se no açúcar?

O primeiro passo da mudança de comportamento é reconhecer a rotina, o hábito em si. Depois, o ideal é realizar experimentos com diferentes recompensas para entender qual é o seu real anseio: fazer uma pausa, alimentar-se etc.

Por fim, o desafio maior é isolar a deixa e traçar um novo plano para ela. De acordo com o livro, as deixas habituais quase sempre se encaixam em uma entre cinco categorias: lugar, hora, estado emocional, outras pessoas e ação imediatamente anterior.

Fazendo uma análise geral, é possível que você identifique mais de um hábito que deseja transformar ou implementar. Contudo, o autor recomenda que trabalhe em apenas um de cada vez – fazer uma escolha consciente em vez de algo automático demanda muita energia do cérebro, de maneira que a “força de vontade” se torna um recurso limitado.

Uma empresa são os seus hábitos

Um adendo sobre o mundo dos negócios: se nós somos os nossos hábitos, o mesmo pode-se falar de uma empresa. A cultura corporativa não se limita a missão, visão e valores: estende-se aos processos do dia a dia e a forma como são executados.

Como as pessoas se comunicam? Existe burocracia ou a organização flui facilmente? Quais são as preferências comuns e como o ambiente impacta o cenário de quem trabalha? Se você é um empreendedor ou gestor, dedique-se a responder essas questões e descobrir a verdadeira realidade da sua companhia para instigar hábitos saudáveis e produtivos.

Paralelamente, é essencial dar autonomia aos colaboradores. Tão importante quanto orientá-los a ter bons hábitos é inspirar confiança e segurança sobre como agir em situações inesperadas, que exigem uma reação rápida e certeira. Como em tudo na vida, equilíbrio é indispensável.

Os hábitos dos consumidores também são preciosos e podem dizer muito de seu estilo de vida e suas próximas compras. Portanto, realize pesquisas de marketing e peça feedback ao seu público para ser capaz de desenvolver abordagens coerentes e fazer ofertas verdadeiramente atrativas.

Gostou?

Espero que este artigo tenha sido útil para você e também o inspirado a ler o livro para conhecer todo “o poder do hábito”. Vale a pena!

Se a sua mudança de vida envolver ganhar liberdade e trabalhar em seu próprio negócio, experimente a plataforma de e-commerce da Nuvem Shop por 15 dias grátis e comece hoje mesmo a vender pela internet.

Data da última atualização: 29/08/2018


O que você achou desse conteúdo?


Luane Silvestre

Entusiasta da comunicação e da tecnologia, acredita no potencial de unir as duas ferramentas para transformar negócios e pessoas. É especialista em Marketing e lidera a equipe de Educação da Nuvem Shop no Brasil.


4-aprendizados-do-livro-8220-o-poder-do-hbito-8221-de-charles-duhigg