Como abrir e-commerce depois do sucesso offline

Por: Laura Teodoro
Criado em: 02/10/19.
Atualizado em 17/10/19.
5 min
de leitura

Índice

abrir-ecommerce

Se uma empresa tradicional, nascida no interior de Minas Gerais e com mais de 60 anos de história consegue modernizar processos, abrir um e-commerce em um segmento inovador e alcançar o sucesso, o seu negócio também pode!

De onde vem o exemplo? Do Martins Atacadista, que há sete anos fez da internet mais um de seus canais de venda. Tudo isso com foco no varejista, que foi aprendendo aos poucos a comprar sozinho online.

Como provavelmente é o caso do seu e-commerce, o Martins.com.br nasceu pela aspiração de um futuro digital, tendo em sua história uma série de modificações, sucessos e tropeços que hoje se refletem em altos números de vendas todo mês. Acha que essa história pode te inspirar? Continue a leitura e descubra os aprendizados da empresa tradicional no mundo digital!

Abrir e-commerce mudou nosso jeito de olhar o cliente

Até que fossem atingidos números expressivos de vendas online, o Martins.com.br teve que aprender a ter o digital, efetivamente, no DNA. Foi necessário que aprendêssemos a entender as necessidades do cliente que usa a internet para comprar, seu perfil e seus desejos.

O mesmo ensinamento vale para qualquer um que já tem empresa ou loja física e pretende se aventurar no digital: é preciso entender que os consumidores on e offline não são, necessariamente, a mesma pessoa.

O cliente digital quer independência, facilidade e autonomia na experiência de compra, enquanto o consumidor offline do atacado, muitas vezes, está habituado a ter o auxílio qualificado do representante de vendas. Por isso, se você vai migrar da loja física para a internet, precisa investir em iniciativas educativas na sua empresa para diferenciar esses dois perfis.

Ser digital modificou o jeito Martins de trabalhar

Inspirados pela rapidez do digital, tivemos que aprender a simplificar e agilizar processos. Hoje, um dos nossos desafios é incorporar a metodologia ágil cada vez mais ao nosso dia a dia.

Aprendemos que, além da válida hierarquização e da necessária burocratização de alguns processos, vale a pena inovar, pensar grande e ter em vista a perspectiva do cliente 24h por dia e sete dias da semana.

O exemplo serve para aqueles que já são estabelecidos no meio offline e abrem um comércio eletrônico. Esteja ciente: abrir e-commerce significa mudar sua forma de trabalhar, já que as portas da internet não fecham.

Por exemplo, qualquer site está sujeito a problemas técnicos em uma sexta à noite, um cliente pode solicitar uma troca de produto na véspera de Natal, entre muitas outras possibilidades fora do horário comercial. Então, é necessário se adaptar.

Modernizar a gestão de estoque é indispensável

O estoque, obviamente, não fugiu da lógica de integração. No Martins, não há diferença entre os estoques das vendas via representantes, pelo telefone e por atendimento online, o que certamente é um desafio para uma empresa que atende o Brasil inteiro.

Se ao abrir e-commerce você desejar ter a mesma concentração de espaço físico, invista na modernização do seu controle de estoque. Tendo uma gestão eficiente e digitalizada de saída e entrada de produtos, é possível evitar o clássico problema do “tem mas acabou” e impedir que uma mercadoria já esgotada em vendas na loja física apareça como disponível no site.

Integração de diferentes áreas

Com tantos canais de vendas Martins, foi necessário que a empresa fizesse com que todas as modalidades de compra convergissem. Por isso, seis anos depois de abrir e-commerce na forma do Martins.com.br, o atacado-distribuidor tornou-se omnichannel.

Não dá pra negar que foi um desafio. Foi necessário integrar vendas físicas, telemarketing e e-commerce, assim como envolver todos os processos de compras, vendas, logística e finanças de diferentes áreas em processos digitalizados. Imagine articular 65 anos de história divididos em uma gama tão ampla de soluções?

Por isso, mesmo depois de abrir e-commerce, é necessário que a sua loja avalie se vale mesmo a pena se tornar omnichannel e se o investimento de tempo e energia vai realmente se converter em vendas e implemento positivo no nome da empresa. No nosso caso, está dando certo.

Por que abrir um e-commerce?

Segundo levantamento da Webshoppers, o mercado de e-commerces no Brasil teve crescimento de 12% no primeiro semestre de 2019, enquanto, no geral, o comércio brasileiro se ampliou em apenas 0,06% em média a cada mês – de acordo com dados do IBGE.

Frente aos números, é visível que o presente amplia os olhares para digital. E o futuro, nem se fala: promete clientes que nasceram, foram alfabetizados e cresceram no ambiente online – tanto quando se fala em B2B, quanto em B2C.

Abrir e-commerce depois do sucesso offline é mais que uma atitude ousada, é um aprendizado que projetará o seu negócio para o futuro. E então, pronto para o mundo digital?

Laura Teodoro

Inbound Marketing & SEO no Martins.com.br, e-commerce do maior atacado-distribuidor do Brasil. Mestre em Comunicação e bacharel em Jornalismo, aprendendo diariamente sobre o universo digital.


    Registre-se gratuitamente

    Receba posts sobre marketing e empreendedorismo diretamente no seu e-mail.

    Coloque o conhecimento na prática

    +15 mil alunos já aplicaram o aprendizado na Universidade e criaram seus negócios com a Nuvemshop.

    Teste 15 dias grátis

    Faça sua marca crescer

    Cria sua loja virtual com a Nuvemshop e venda de maneira profissional como eles:

    Osmoze - www.osmozestore.com.br
    Morango Brasil - morangobrasil.com.br
    Osram - loja.osram.com.br
    Testar 15 dias grátis