05/07/2016

5 dicas do filme “Joy” para você começar o próprio negócio

empreendedorismo joy filme

Além de diversão, o cinema pode nos oferecer muitos exemplos de superação; este é o caso do filme “Joy: o nome do sucesso” (Joy, 2015). Baseado em uma história real, o filme é uma boa aula do porquê é importante insistir nos seus sonhos e como é possível sair-se vitorioso mesmo em uma situação adversa.

Neste artigo, destacamos alguns pontos mostrados no filme e que podem ajudar quem está pensando em empreender.

1. Dê preferência à área que você já conhece

Ok, isso não significa que você não terá sucesso em outras áreas, mas com certeza seu caminho será mais fácil empreendendo em um ramo em que já possui know how. Por quê?

Bom, para começar, quando você lida diariamente com uma atividade de um ramo específico, você já deve naturalmente saber o que funciona e o que ainda tem espaço para melhorar (muito) na área. Fora isso, já deve estar habituado a lidar com alguns prestadores de serviço e ter bons contatos que serão importantes para fazer seu negócio rodar.

Assim como Joy, a inspiração para uma ideia milionária pode vir de algo que você precisa fazer diariamente, mas não gosta. Em outras palavras, você pode já ter a faca e o queijo na mão para inovar dentro do seu mercado e nem se tocou disso.

Lembre-se que onde uns enxergam problemas, outros veem oportunidades.

2. Mantenha-se fiel ao que acredita

Você leu acima que deve começar pela área que já conhece bem, mas digamos que você trabalhe no setor automotivo e tenha cer-te-za que vender picolés de whey protein gourmet na orla de Copacabana é o seu caminho para o sucesso.

Neste caso, a primeira coisa que eu te diria é que não tem problema nenhum investir em um ramo diferente do seu se você realmente acredita nisso. E a segunda coisa que tenho para te dizer é parabéns pela escolha do seu novo “escritório”. 😉

O único ponto que você deve se certificar é que essa seja uma área na qual você realmente se encaixe, goste de verdade e que seja lucrativa na maior parte do ano, claro. Pois para fazer dar certo, você irá precisar estudar bem o seu público potencial e, também, o momento certo para lançá-lo no mercado.

Vamos para um exemplo rápido do que pode ser o “momento errado”: depois de meses de planejamento e de investir até seu último centavo para abrir a própria marca de frozen yogurt, finalmente chega o momento de lançamento. E você inaugura seu primeiro quiosque em Porto Alegre no mês de… julho.

Você pode até ser uma pessoa que ama tomar sorvete no frio, mas convenhamos que a maioria da população não pensa igual e prefere um fondue mesmo. E aí não importa o quanto você invista na divulgação do seu negócio, se você vai distribuir sorvete de graça… neste cenário, a chance de fechar no vermelho logo nos primeiros meses é bem maior do que se você iniciasse as operações em dezembro, por exemplo, o que você naturalmente saberia se já trabalhasse na área.

E o pior de tudo ainda é ter que esperar muitos meses até que chegue o verão para que as vendas subam e você comece a lucrar de verdade. Isso sem considerar os produtos que iriam estragar, concluindo a desgraça total da sua curta aventura como empreendedor.

Eu poderia continuar descrevendo as muitas coisas que podem dar errado quando você quer começar um negócio sem planejamento em uma área que não tem familiaridade, mas realmente não quero ser pessimista e tenho certeza que você vai se preparar muito bem e ler todas as aulas sobre empreendedorismo do nosso blog antes de correr para um banco e fazer um empréstimo para se aventurar em outros mares, não é?

Mesmo que no filme a personagem principal tenha investido em uma área que já conhecia, ela teve que lidar com o aumento relâmpago da demanda por seu produto, aumento para o qual ela não estava preparada e que quase inviabilizou o sonho de uma vida inteira. Então, estude bem a área, fale com pessoas do ramo e esteja preparado e organizado para todas as possibilidades – até mesmo a expansão da marca.

O sucesso pode não ser instantâneo, mas se existe alguém que pode fazer dar certo, essa pessoa é você. Portanto, se tem uma ideia, acredite nela e faça tudo o que puder para dar certo, inclusive se planejar!

3. Seja resiliente

Muitas vezes tido como sinônimo de flexibilidade, ser resiliente significa também ter a capacidade de se recuperar diante de uma adversidade.

Talvez o que mais vemos no filme é a resiliência da Joy diante de situações em que a maioria das pessoas desistiria. Isso serve para nos mostrar que as coisas não acontecem do dia para a noite e que é preciso muita flexibilidade para replanejar, adiar ou até reestruturar todo o projeto.

Mesmo que a sua ideia continue a mesma e que seja a pedra fundamental do seu negócio, você não deve ter medo de buscar novas abordagens caso a atual não traga os resultados que você imagina.

Isso não significa que é uma ideia ruim, apenas que você deve testar outras formas para atingir seus objetivos e refletir como você quer que sua ideia impacte o mercado. Ou seja, ser resiliente.

4. Esteja preparado para negociar

Uma coisa certa ao montar um negócio próprio é que você terá que negociar diariamente com fornecedores, prestadores de serviço e até mesmo com seus clientes. Assim como no filme, a personagem teve que negociar até com a madrasta para que ela aceitasse financiar o projeto.

Portanto, caso não tenha a prática de fazer acordos e negociar vendas, vale a pena estudar algumas táticas que você pode encontrar facilmente na internet ou até mesmo investir em cursos para melhorar esta habilidade. Assim, com certeza você será capaz de fazer melhores acordos para seu negócio.

5. Você não precisa remar sozinho, mas tenha cuidado com quem coloca no seu barco

Possivelmente a questão mais polêmica na hora de abrir um negócio é decidir se você vai querer ajuda para isso ou não. Com tantos pontos com que se preocupar na hora de montar sua empresa, a ideia de ter algum sócio parece tentadora e essa ajuda, que pode ser tanto por meio de sociedade comercial ou participação familiar, pode ser a linha divisória entre o sucesso ou fracasso do seu empreendimento.

Por isso é preciso refletir bem antes de decidir ter um parceiro de negócios, principalmente se ele for o maior investidor da sua ideia, como no filme. Após receber o investimento da madrasta, Joy fica “engessada”, tendo que esperar a aprovação do projeto e sem poder fazer tão rápido quanto gostaria as mudanças na produção.

Da mesma forma, ter um sócio significa que as decisões deverão ser tomadas em conjunto e deverá haver um consenso antes de cada mudança na estrutura do empreendimento. Portanto, assegure-se de que ele (a) é a pessoa certa para fazer negócios em conjunto e que também possua visão e ideais parecidos com os seus. Caso contrário, é melhor continuar como um lobo solitário… Assim como diria sua mãe: antes só do que mal acompanhado.

Entendido?

Espero que você tenha gostado das dicas e, se ainda não assistiu ao filme Joy, aproveite para colocá-lo na sua lista.

Enquanto isso, caso esteja pensando em montar um e-commerce para alcançar o sucesso, não deixe de testar a Nuvem Shop por 15 dias grátis e comece a vender o quanto antes.

Data da última atualização: 29/08/2018


O que você achou desse conteúdo?


Renata Estevo

Renata é formada em relações internacionais e pós-graduanda em gestão de marketing. Trabalha como consultora de e-commerce na Nuvem Shop, adora colecionar cartões postais, não perde um jogo do seu time do coração, o Chelsea FC, e também não passa um dia sem usar o Pinterest.


    5-dicas-do-filme-8220-joy-8221-para-voc-comear-o-prprio-negcio